Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Raças & Espécies > Peixes > lula

Compartilhe em suas redes sociais:

lula

lula
A lula (ou calamar), ao contrário de outros animais do mesmo filo, não possui uma casca externa dura, mas um corpo externo macio e uma casca interna. Além disso, fazem parte ainda da classe dos cefalópodes ( pés na cabeça ), um grupo que também inclui o polvo, o choco e o náutilo.1 A maioria das lulas não tem mais que 60 cm de comprimento, mas já foram identificadas lulas-colossais com quatorze metros.
Trata-se de moluscos marinhos da classe Cephalopoda, subclasse Coleoidea, ordem Teuthida, que inclui as subordens, Myopsina e Oegopsina (esta última inclui a espécie Architeuthis dux, a lula-gigante). Sua classificação é atribuída à divisão dos pés, que formaram os braços e tentáculos, esses deslocaram-se para a parte anterior do corpo e situando-se em torno da boca, dando origem a designação cefalópodo (do grego kephale, cabeça + pous, pé). Os cefalópodos nadam por propulsão a jato, a força é gerada pela contração do manto, que se fecha na região próxima a cabeça e a água e expelida da sua cavidade através de um pequeno funil derivado de uma parte do pé.
CLASSE CEPHALOPODA Subclass Nautiloidea: náutilo Subclass Coleoidea: lula, polvo, sépia SuperOrdem Octopodiformes SuperOrdem Decapodiformes ?Ordem +Boletzkyida Ordem Spirulida: Spirula spirula Ordem Sepiida: sépia Ordem Sepiolida Ordem Teuthida: lula Família +Plesioteuthididae (incertae sedis) SubOrdem Myopsina Família Australiteuthidae Família Loliginidae: calamari, lula-mansa SubOrdem Oegopsina Família Ancistrocheiridae: Ancistrocheirus lesueurii Família Architeuthidae: lula-gigante Família Bathyteuthidae Família Batoteuthidae: Batoteuthis skolops Família Brachioteuthidae Família Chiroteuthidae Família Chtenopterygidae: Chtenopteryx sicula Família Cranchiidae Família Cycloteuthidae Família Enoploteuthidae Família Gonatidae Família Histioteuthidae: Histioteuthis Família Joubiniteuthidae: Joubiniteuthis portieri Família Lepidoteuthidae: Lepidoteuthis grimaldii Família Lycoteuthidae Família Magnapinnidae Família Mastigoteuthidae Família Neoteuthidae Família Octopoteuthidae Família Ommastrephidae Família Onychoteuthidae Família Pholidoteuthidae Família Promachoteuthidae: Promachoteuthis sulcus Família Psychroteuthidae: Psychroteuthis glacialis Família Pyroteuthidae Família Thysanoteuthidae: Thysanoteuthis rhombus Família Walvisteuthidae Parateuthis tunicata (incertae sedis) Aparência Como todos os cefalópodes, caracterizam-se por possuírem cabeça distinta, simetria bilateral e tentáculos com ventosas. Assim como o choco, a lula tem oito braços, para a captura de alimento, e dois tentáculos, com função na reprodução. As lulas têm cromatóforos na sua pele, ou seja, células que permitem mudança de cor dependendo do ambiente em que se encontram, o que caracteriza sua capacidade mimetizante. Sendo coleoides, têm uma concha interna, chamada de pena, devido ao seu formato similar a penas de aves. As lulas movem-se por intermédio de propulsão, ejetando grandes quantidades de água armazenadas na cavidade do manto, através de um sifão de grande mobilidade e capacidade de direcionamento dos jatos. Por esta razão, além de seus corpos altamente hidrodinâmicos, são fortes rivais dos peixes no que se refere à habilidade de natação e manobrabilidade. Na boca, as lulas apresentam a rádula quitinosa que lhes permite triturar alimentos e que é a característica comum a todos os moluscos, exceto Bivalvia e Aplacophora. As lulas respiram por duas guelras e têm um sistema circulatório bombeado por um coração principal e dois subsidiários.
Alimentação São animais exclusivamente carnívoros, alimentando-se de peixes e outros vertebrados, que capturam através dos braços. O principal órgão de ingestão é um par de poderosas mandíbulas móveis, em forma de bico, que podem cortar e rasgar a presa. Como ajuda complementar para matar a vítima, existe um par de glândulas salivares que se transformou em glândulas de veneno.
Reprodução Após a cópula, macho e fêmea morrem. Diferentemente da fêmea do polvo, a lula fêmea não precisa cuidar dos ovos, pois estes apresentam substâncias fungicidas (fungos podem matar o embrião ao introduzir as hifas no ovo) e bactericidas.
Visão Tal como a grande maioria dos cefalópodes, as lulas possuem apenas um pigmento visual, o que não lhes permite ver cores. São capazes de distinguir objectos brancos de objectos pretos ou objectos de uma tonalidade de cinzento mais escura ou mais clara, mas não lhes é possível diferenciar objectos coloridos que apresentem a mesma tonalidade na escala de cinzas.2 Embora ainda não tenham sido realizados testes em todas as espécies, o único cefalópode conhecido que possui visão a cores é a lula Watasenia scintillans.3

Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Dicas de Profissionais do ramo pet e agropecuário:


bulletDores abdominais em cães

bulletO que não fazer durante uma briga de cães

bulletBaixa temperatura corporal em cães

bulletA brucelose nos equinos

bulletHomeopatia na medicina veterinária


Ver todas as Dicas de Profissionais



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores



bullet Rosmeire de O.S.Jacinavicius Médica Veterinária Acupunturista tel: (19)999971911 email: stuffzinha@gmail.com

bullet CEPAV Centro de Patologia Clínica Veterinária Ltda. Rua Tanabi, 185 Água Branca São Paulo SP. CEP. 05002 010 Tel.: (11) 3872 9553

bullet silvia c parisi médica veterinária crmvsp 5532

bullet Dra Renata Avancini Médica veterinária, formada pela Universidade de Santo Amaro em 2007. Mestre e Doutora em Ciências pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Universidade de São Paulo (USP), em 2009 e 2012 respectivamente. Graduada em 2014 no Curso de Especialização em Produção e Sanidade de Animais de Biotério pela FMVZ USP. Experi?ncia em clínica geral, medicina regenerativa, biotecnologia com concentração em células tronco e experi?ncia em doc?ncia na disciplina de Anatomia dos Animais Domésticos. Professora de Anatomia Veterinária da Faculdade das Metropolitanas Unidas (FMU) e na Universidade Paulista (UNIP). Médica veterinária na CURAVET. Contato: contato@curavet.com.br

bullet LUIZA CERVENKA DE ASSIS http://emais.estadao.com.br/blogs/comportamento animal/morte e luto o que fazer quando o cachorrogato morre/

Ver todas as Dicas dos Colunistas

Letras de Música com temas Animais:


bulletDo jeito que a moçada gosta

bulletCachorro amigo iridio e irineu

bulletDiamond dogs

bulletBoi da estrela

bulletVida de cachorro

Ver todas as Letras de Músicas

Cinema, Filmes e Seriados:


bulletBatman e robin (1997)

bulletBatman begins (2005)

bulletOs pássaros 2 - o ataque final (the birds ii: land s end)

bulletRio

bulletAquele gato danado (that darn cat!)


Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bullet4 vidas de um cachorro

bulletEnfermidades dos cavalos

bulletO gato de botas

bulletSucesso na criação de pássaros canários e periquitos

bulletExplicação dos pássaros

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos