Home Page > Raças & Espécies > Cães > Wolfhound irlandês

Wolfhound irlandês

wolfhoundirlandes

País de origem: Irlanda
Nome no país de origem: Irish Wolfhound
Utilização: Até o fi m do século 17, o Wolfhound
Irlandê;s era usado para caçar lobos e cervos na
Irlanda. Foi utilizado também para caçar os lobos
que infestaram grandes áreas da Europa antes do
desmatamento das fl orestas.
Sem prova de trabalho
RESUMO HISTÓRICO: sabemos que os Celtas continentais mantiveram um
greyhound, provavelmente, descendente dos greyhounds pintados nos afrescos
Egípcios. Como os seus correspondentes continentais, os Celtas Irlandeses estavam
interessados na criação grandes cães de caça, mas ao que parece, estes eram ainda
maiores que a mais antiga variedade. Esses grandes hounds irlandeses teriam as
pelagens lisas ou ásperas, porém com o passar do tempo, a pelagem áspera predominou,
possivelmente por causa do clima irlandê;s.
O primeiro documento, a respeito desses cães, foi escrito por um Cônsul Romano a
391 D.C. mas já estavam estabelecidos na Irlanda, no primeiro século D.C quando
SETANTA mudou seu nome para CUCHULAINN
(o cão de CULAN). Uma menção
feita do Uisneach (século 1) levando consigo 150 hounds em seu vôo para a Escócia.
Os hounds Irlandeses, sem dúvida, formaram a base do Deerhound Escocê;s.
Casais de hounds irlandeses foram recebidos, como presente, pelas Casas Reais da
Europa, Escandinávia e outros lugares, desde a Idade Média até o século 17. Foram
enviados para a Inglaterra, Espanha, França, Suécia, Dinamarca, Pérsia, Índia e
Polônia. No século 15, a cada condado da Irlanda, foi exigido manter 24 Wolfdogs,
para proteger o rebanho dos camponeses da devastação feita pelos lobos. A proibição
Cromwellian (1652), para a exportação de Wolfhounds, ajudou a preservar a quantidade
por um tempo, mas o desaparecimento gradual dos lobos e a contínua exigê;ncia no
sentido de reduzir o número, estendeuse,
quase a ponto de extinção, no fi m do século
17. O renascimento do interesse pela raça acompanhou o crescente Nacionalismo
Irlandê;s, ao fi nal do século 19. O Irish Wolfhound tornouse
um símbolo vivo da
cultura Irlandesa e do seu passado Celta. Nessa época, um estusiasta, determinado,
Capt. G. A. Graham, obteve alguns dos poucos hounds do tipo do Wolfhound, ainda
encontrados na Irlanda e com o uso do sangue do Deerhound e ocasionalmente com
o do Borzoi e Dogue Alemão, criou eventualmente um tipo que se mantém a cada
geração.
Os resultados foram aceitos como um legítimo renascimento da raça. O Kennel Clube
Irlandê;s determinou uma classe para a raça, em sua exposição de abril de 1878, e
um clube foi fundado para o Wolfhound Irlandê;s em 1885. Agora, o Wolfhound
desfruta, novamente, parte de sua reputação, conseguida na idade Média. São criados
e adquiridos grande número fora da Irlanda.
APARÊNCIA GERAL: o Wolfhound Irlandê;s não deve ser tão pesado e massudo
quanto o Dogue Alemão, porém, mais do que o Deerhound, o qual ele se parece ao
seu tipo geral. De grande porte e aparê;ncia dominante, muito musculoso, forte em
sua construção elegante, movimentação fácil e ativa; cabeça e pescoço portados
altos; cauda portada com uma suave curva para a extremidade. De tamanho grande,
incluindo a altura nos ombros e proporcional ao comprimento do tronco, é desejado
que se tenha o propósito, de estabelecer fi rmemente uma raça que deva ter a média
de 81 cm a 86 cm para os machos, mostrando o requisito poder, atividade, coragem
e simetria.
COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: “cordeiro em casa, leão na caça”.
CABEÇA: longa e plana, portada alta; os ossos frontais do focinho levemente elevados
e ligeiramente pronunciados entre os olhos.
REGIÃO CRANIANA
Crânio: não muito largo.
REGIÃO FACIAL
Focinho: longo e moderadamente pontudo.
Dentes: ideal, mordedura em tesoura; torquê;s aceitável.
Olhos: escuros.
Orelhas: pequenas, em rosa, (portadas como as do Greyhound).
PESCOÇO: bastante longo, muito forte e musculoso, bem arqueado, sem barbelas
ou pele solta na garganta.
TRONCO: longo, costelas elevadas.
Dorso: mais para longo do que curto.
Lombo: ligeiramente arqueado.
Garupa: bem larga acima dos quadris.
Peito: muito profundo, moderadamente largo, esterno largo.
Costelas: bem arqueadas.
Linha inferior: bem esgalgada.
6
CAUDA: longa e ligeiramente curvada, de espessura moderada e bem coberta por
pê;los.
MEMBROS
Anter iores
Ombros: musculosos, dando largura ao peito, inseridos inclinados.
Cotovelos: bem abaixo do corpo, não virando nem para dentro, nem para fora.
Br aços: musculosos, de ossatura forte, quase retos.
Posteriores
Coxas: longas e musculosas.
J oelhos: bem angulados.
Per nas: bem musculosas, longas e fortes.
J arretes: bem descidos e não virando nem para dentro, nem para fora.
PATAS: moderadamente grandes e redondas, não virando nem para dentro, nem para
fora. Dedos bem arqueados e fechados. Unhas muito fortes e curvadas.
MOVIMENTAÇÃO: fácil e ativa.
PELAGEM
Pê;lo: áspero e duro no tronco, pernas e cabeça especialmente de arame. Pê;los sobre
os olhos e barba especialmente de arame.
COR E MARCAÇÕES: as cores reconhecidas são: cinza, tigrado, vermelho, preto,
branco puro, fulvo ou qualquer cor que apareça no Deerhound.
TAMANHO / PESO
altura desejada: 81 a 86 para os machos.
altura mínima: machos: 79 cm.
peso mínimo: machos: 54,5 kg
altura mínima: fê;meas: 71 cm.
peso mínimo: fê;meas: 40,5 kg .
FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta
e penalizado na exata proporção de sua gravidade.
· cabeça muito leve ou muito pesada.
· ossos frontais altamente arqueados.
· anteriores tortos, metacarpos fracos.
· posteriores fracos e uma ausê;ncia geral de músculos.
· tronco muito curto.
· dorso selado ou carpeado ou inteiramente reto.
· orelhas largas e pendentes planas rente à face.
· patas tortas.
· dedos abertos.
· pescoço curto; barbelas.
· peito muito estreito ou muito largo.
· cauda excessivamente enrolada.
· trufa de outra cor senão preta.
· lábios de outra cor senão preto.
· olhos muito claros. Borda dos olhos de cor rosa ou fígado.
NOTAS:
· os machos devem apresentar os dois testículos, de aparê;ncia normal, bem
desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletCavalos Selvagens

bulletGarganta

bulletBoi soberano

bulletTartaruga uguinha celelê e talili

bulletRomaria



Dicas Veterinárias:

bulletNunca lave seu aquário

bulletCuidados na gestação

bulletComo separar uma briga entre cachorros

bulletBanho e tosa: 4 maneiras de aumentar o faturamento desses serviços

bulletCuidados durante a gestação de éguas: os primeiros 60 dias são os mais críticos



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Mariana LageMarques Médica Veterinária graduada pela Universidade Paulista em 2002. Mestre em Cirurgia pela FMVZUSP em 2008. Sócia Fundadora ABOV (Associação Brasileira de Odontologia Veterinária), 2002. Faço atendimento odontológico móvel. >

bullet Helena Monkevic Casarin clinica veterinária Julius 19 996242435 Av. José Pancetti 887 Jd. Aurelia , Campinas/SP>

bullet Centro de Pesquisas Hospital Evandro Chagas Departamento de Doenças Infecciosas Serviço de Zoonoses Serviço de Dermatologia Infecciosa
http://www.inpa.com.br>

bullet Claudia Leschonski Veterinária de Cavalos Blog http://leschonski.blog.terra.com.br/>

bullet Nayara Zonta, 56811999>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletBenji - o filme

bulletOs pinguins de madagascar: operação patrulha pinguim

bulletO gato preto (the black cat)

bulletO zelador animal

bulletÁgua para elefantes



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletCachorro magro

bulletCama de gato

bulletAves-simbolos dos estados brasileiros, as

bulletPasso, trote, galope - uma familia e seus cavalos

bulletSucesso na criação de pássaros canários e periquitos

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos