Home Page > Raças & Espécies > Cães > Podengo ibicenco

Podengo ibicenco

podengoibicenco

País de origem: Espanha ( Ilhas Baleares – Ibiza )
Nome no país de origem: Podenco Ibicenco
Utilização: É principalmente usado para a caça de coelhos sem
armas de fogo, tanto durante o dia quanto à noite. Particularmente pela sua habilidade
de farejar, que associado à audição acurada, que ele usa mais do que a visão, ele
fareja e caça os coelhos com facilidade, mesmo em matas mais densas. Ágil e
brilhante, ele captura sua presa rapidamente, especialmente se estiver caçando com
outros cães. Quando um dos cães indica a caça, ele é circundado pelos outros, que
mantê;m uma certa distância e se mantê;m em estado de espera. Eles latem apenas
quando vê;m ou escutam a caça, momento em que eles a cercam. Tanto apontando
quanto cercando a caça, eles balançam a cauda rapidamente, mas facilmente deixam
esta atitude de espera e partem para a apreensão. Também é usado na caça de lebres
ou de caças maiores. É considerado um bom “retriever”. Com algumas exceções,
apenas as fê;meas são usadas para a formação da matilha de caça, ou, quando muito,
apenas um macho é usado na parelha, porque eles não costumam trabalhar juntos,
ou são algo brigões. Quando uma parelha já caçou muitos animais, pode acontecer
de alguns cães “se recusarem” a continuar a caça até que tenham descansado bastante.
Em Espanhol, a expressão “enconillarse” ( ir para o descanso ), se refere a esta
peculiaridade.
Sem prova de trabalho
RESUMO HISTÓRICO: esta raça se origina nas Ilhas Baleares de Maiorca, Ibiza,
Minorca, e Formentera, onde ela é conhecida pelo nome original de “Ca Eivissec”.
Ela também é largamente encontrada na Cataluña, nos arredores de Valencia, no
Roussillon e em Provence, onde é conhecida com os nomes de Mallorquí, Xarnelo,
Mayorquais, Charnegue, Charnegui e Cão Balear. Provavelmente estes cães foram
levados para as ilhas pelos Fenícios, Cartagineses e eventualmente pelos Romanos.
Este cão é um representante primitivo típico e robusto de uma das mais velhas raças
existentes. Ilustrações destes cães são encontradas nas tumbas dos Faraós e em objetos
de museus, mostrando que a existê;ncia da raça pode ser atribuída ao ano de 3.400 AC.
PROPORÇÕES IMPORTANTES: a distância da ponta da trufa até os olhos é igual
àquela que vai dos olhos ao occipital.
CABEÇA: vista como um todo, a cabeça fina e delicada tem a aparê;ncia de um cone
cortado próximo à sua base; completamente seca, algo pequena em relação ao tamanho
do corpo.
REGIÃO CRANIANA
Crânio: longo e plano (dolicocéfalo). Occipital protuberante. Face delicada e plana.
Stop: muito pouco pronunciado.
REGIÃO FACIAL
Trufa: cor de carne, com narinas bem abertas. Cana nasal discretamente arqueada.
Focinho: cana nasal e trufa se projetam acima do maxilar inferior; delicado, longo e,
de acordo com a cor da pelagem, cor de carne.
Lábios: finos, aderentes e cor de carne.
Dentes: dentição perfeita, com mordedura em tesoura, brancos e regulares.
Olhos: oblíquos, pequenos, de cor âmbar claro, lembrando a cor caramelo. A cor
âmbar pode ser mais ou menos intensa, de acordo com a cor do cão. Sem parecer
muito nobre, a expressão mostra inteligê;ncia,mas também medo e desconfiança.
4
Orelhas: sempre esticadas e muito móveis. Apontando para a frente ou para o lado em
um plano horizontal ou mantidas para trás. Eretas quando o cão está animado. O
centro da linha de implantação da orelha fica no nível dos olhos. A forma é de um
rombóide ( paralelogramo – figura geométrica quadrilátera, de ângulos não retos,
com lados opostos iguais e lados contíguos diferentes ), alongado, que foi cortado
em 1/3 de sua diagonal mais longa. Elas são finas, sem pelos no seu interior, de
tamanho médio, não exagerado.
PESCOÇO: bastante seco, tanto na sua parte superior quanto inferior. Seu comprimento
é correspondente a ¼ do comprimento do corpo do animal, discretamente arqueado e
musculoso. A pele é lisa e sem barbelas. Normalmente a pelagem é um pouco mais
longa e densa na região de sua inserção no corpo, especialmente na variedade pelo
curto.
TRONCO: visto como um todo, o corpo é simétrico, levemente convexo de proporções
medianas e alinhadas, compacto e levemente mais longo que a altura, sem as diferenças
exatamente bem estabelecidas.
Cernelha: bem definida, alta, seca e longa.
Dorso: longa, reta e maleável. Musculatura forte, ainda que plana, sem relevos.
Lombo: arqueado, de largura mediana, forte e firme.
Garupa: bastante inclinada com a estrutura óssea visível; ela mostra musculatura muito
forte e rígida.
Peito: profundo, estreito e longo, mas não alcançando os cotovelos. Antepeito
pontudo e fortemente protruso. Costelas planas.
Abdômen: esgalgado, mas não muito.
CAUDA: de inserção baixa; devem existir alguns pelos mais longos e mais grossos,
levemente eriçados (como os desenhos e retículos das fibras de uma madeira cortada),
em direção à ponta; longo. Quando a cauda é colocada entre as pernas, ela deve tocar
a coluna vertebral.Discretamente mais grosso na sua inserção, afilando em direção à
ponta. Em repouso, é colocado baixo e pendurado; em movimento é portada em forma
de foice como uma curva acentuada. Preferencialmente, não portada muito encaracolada
ou acima do dorso.
5
MEMBROS
Anteriores: verticais e simétricos. Vistos de frente a posição das pernas é bem fechada;
absolutamente fortes e vigorosos, com membros longos que dão a impressão de um
animal delgado, rápido e forte.
Ombros: escápulas inclinadas, fortes e bastante móveis.
Braços: bem longos, retos, fortes e bastante próximos na sua posição.
Cotovelos: largos, bem separados do corpo, paralelos a um plano mediano do corpo,
mas nuca soltos.
Antebraços: alargando em direção aos metacarpos.
Metacarpos: fortes, firmes, largos e verticais.
Posteriores: verticais, com músculos fortes, longos e sem relevos aparentes.
Jarretes: bem angulados, largos, bem descidos, verticais, sem virar nem para dentro
nem para fora.
PATAS: quase como patas de lebre. Dedos longos e juntos. Pelos em profusão nos
espaços interdigitais; unhas muito fortes e, normalmente, brancas, mas ocasionalmente,
de acordo com a cor do animal. Almofadas muito duras.
MOVIMENTAÇÃO: a movimentação preferida é o trote em suspensão. O galope é
muito rápido e dá a impressão de grande agilidade.
PELE: esticada e aderente ao corpo; Avermelhada, mas pode ser de cor diferente nas
partes do corpo onde haja diferença de cor.
PELAGEM
Pelo: pelo curto, duro ou longo.
• o pelo curto não deve ser sedoso, mas forte e brilhante.
• o pelo duro deve ser muito denso e de algum modo, mais curto na cabeça e
orelhas e mais longo no posterior das coxas e na parte inferior da cauda. Uma
barba é altamente valorizada.
• o pelo longo é mais macio e deve ter no mínimo, comprimento de 5cm. A cabeça
é densamente coberta de pelos.
6
COR: preferencialmente, são vermelhos e brancos ou inteiramente vermelhos ou
brancos. Dourados são permitidos desde que seja um animal excepcionalmente bom.
Em cães de pelo curto, esta cor não é permitida.
TAMANHO
machos: 66 a 72 cm
fê;meas: 60 a 67cm
Sem restrições, cães que estejam próximos das medidas requeridas, podem ser aceitos
desde que sejam bem proporcionados e estéticos.
FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerada como falta e
penalizado na exata proporção de sua gravidade.
FALTAS GRAVES
• cabeça curta e larga.
• stop muito marcado.
• ausê;ncia de um pré-molar.
• orelhas caídas.
• costelas em barril.
• cotovelos para fora.
• jarretes de vaca.
• patas viradas para fora.
• movimentação cruzando a frente e os jarretes.
FALTAS DESQUALIFICANTES
• crânio em forma de degrau (linha do crânio muito alta em relação à cana nasal).
• pigmentação marrom ou marcas negras na pele da trufa.
• qualquer forma de prognatismo.
• borda palpebral e lábios marrom avermelhados.
• evidê;ncia de cruzamento com galgos ou outra forma de Hounds.
• orelhas dobradas.
• olhos escuros.
• garupa larga.
• antepeito pouco definido.
• dianteiros separados (frente larga).
• coxas redondas e largas, com veias visíveis.
7
NOTAS:
• os machos devem apresentar os dois testículos, de aparê;ncia normal, bem descidos
e acomodados na bolsa escrotal.
• todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento
deve ser desqualificado.



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletMeus Gatos

bulletCavalgada

bulletCachorro viralata baby do brasil

bulletmineirinho genial! nova lima - cidade natal marquês de sapucaí - o poeta imortal!"

bulletSereníssima



Dicas Veterinárias:

bulletLuxaçao/sub luxaçao interfalangica distal

bulletPorque o cão destrói objetos em casa?

bulletPor que os cães cavam?

bulletÁgua no cérebro em cães

bulletFérias e abandono



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Pedro Lauane Barbosa Campioni VET HOME clinica veterinária e banho e tosa vinhedosp (19) 38865677 >

bullet Israel M. BleichDiretor Técnico do Laboratório CEPAV Tecnologia em Saúde AnimalR. Tanabí, 185 S?o Paulo SP BRASILCEP05002010 Fone/Fax (011) 38729553email: info@cepav.com.br>

bullet RENAL VET S?O PAULO: Endereço: Rua Heitor Penteado, 99 Sumaré, S?o Paulo/SP. Telefones: (11) 38752666 e (11) 38725138. Telefone para emerg?ncias: (11) 98985622. Site: www.renalvet.com.br Email: renalvet@br.inter.net RENAL VET RIO DE JA>

bullet Jacqueline R. F. Cremoneze>

bullet Sergio Lobato é Médico Veterinário, consultor e palestrante em Gest?o da Inovação e Marketing em Medicina Veterinária. CRMV 4476. www.sergiolobatopetmarketing.blogspot.com>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletUm homem chamado cavalo (a man called horse)

bulletUm peixe chamado wanda (a fish called wanda)

bulletMoby dick

bulletO pássaro das plumas de cristal (l uccello dalle piume di cristallo)

bulletJurassic park ii



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletSucesso na criação de pássaros canários e periquitos

bulletMais que um leao por dia

bulletPássaros amarelos

bulletMarley e eu

bulletVira-lata? não! também sou cachorro

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos