Home Page > Raças & Espécies > Cães > Podengo português

Podengo português

podengoportugues

País de origem: Portugal
Nome no país de origem: Podengo Portuguê;s
Utilização: Cão de caça, guarda e companhia.
Sem prova de trabalho
RESUMO HISTÓRICO: cão do tipo primitivo que tem a sua provável origem nos
antigos cães trazidos pelos Fenícios e Romanos para a Península Ibérica na clássica
antiguidade. Posteriormente teve influê;ncia com a introdução de cães que
acompanharam os mouros nas invasões no séc.VIII. Adaptou-se ao território e ao
clima portuguê;s, originando o que é hoje o Podengo Portuguê;s. Evoluiu
morfologicamente ao longo dos séculos, em razão da funcionalidade, tendo sido
selecionada a variedade pequena, a partir do séc. XV, como um cão caçador de ratos
nas Caravelas dos navegadores portugueses.
APARÊNCIA GERAL: cabeça piramidal quadrangular, com orelhas eretas; cauda
em forma de foice, bem proporcionado, com boa ossatura e bem musculoso;muito
vivo e inteligente; sóbrio e rústico. Ele existe em trê;s tamanhos, com duas variedades
de pelo: liso e duro.
PROPORÇÕES IMPORTANTES
Podengo Grande e Médio: quase um quadrado (sub-mediolíneo) de grande e média
substância, respectivamente. Relação comprimento do corpo/altura da cernelha de
11/10 e profundidade de peito/altura da cernelha de 1/2.
Podengo Pequeno: corpo levemente mais longo que alto (sub-longilíneo), de pequena
estatura. O comprimento do corpo é levemente maior que a altura na cernelha, com
relação comprimento do corpo/altura da cernelha de 1/2.
Em todas as variedades o comprimento do focinho é mais curto que o comprimento
do crânio.
COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO
Podengo Grande: usado para grandes caçadas.
Podengo Médio: também conhecido como “coelheiro”, sua aptidão natural para
caçar coelhos é bem utilizada, caçando em matilha ou isoladamente.
Podengo Pequeno: usado para procurar coelhos em buracos e rochas.
Todas as variedades são usadas como cães de vigia e de companhia.
CABEÇA: seca, em forma de pirâmide quadrangular, com a base larga e extremidade
bastante afilada. Os eixos longitudinais superiores crânio-faciais são divergentes.
5
REGIÃO CRANIANA
Crânio: plano; visto de perfil, quase reto; arcadas superciliares proeminentes; sulco
frontal pronunciado; o espaço entre as orelhas é horizontal, com protuberância occipital
saliente.
Stop: pouco definido.
REGIÃO FACIAL
Trufa: adelgaçada e truncada obliquamente; é proeminente na extremidade; de cor
mais escura que a da pelagem.
Focinho: pontiagudo; de forma curvada quando visto de frente; visto de perfil é reto;
mais curto do que o crânio e mais largo na base do que na ponta.
Lábios: ajustados; finos, firmes, rasgados horizontalmente e bem pigmentados.
Maxilares / Dentes: com mordedura em tesoura normal; dentes brancos e fortes;
oposição regular entre os maxilares. Dentição completa na variedade Grande.
Olhos: com uma expressão muito vivaz; pouco salientes nas órbitas; sua coloração
vai do mel ao castanho, variando de acordo com a pelagem. São oblíquos e pequenos;
pálpebras com pigmentação mais carregada do que a cor da pelagem.
Orelhas: de inserção oblíqua no nível dos olhos; retas, portadas eretas, com grande
mobilidade; verticais ou inclinadas para frente, quando atentos; pontiagudas, largas
na base, de forma triangular; finas, com uma altura considerável e maior que a da
base.
PESCOÇO: se une harmoniosamente com cabeça e o tronco; reto; comprido;
proporcional, forte e bem musculoso. Ausê;ncia de barbela.
TRONCO
Linha superior: reta, nivelada
Cernelha: levemente perceptível em relação ao pescoço e ao dorso.
Dorso: reto e comprido.
Lombo: reto; largo e bem musculoso.
6
Garupa: reta ou ligeiramente inclinada; de comprimento médio; larga e musculosa.
Peito: descido até os cotovelos, de largura moderada; longo, com o esterno inclinado
para trás e para cima; costelas ligeiramente arqueadas e oblíquas; antepeito nem
muito aparente nem muito musculoso, de largura moderada.
Ventre e Flancos: ligeiramente esgalgado; secos.
CAUDA: natural, inserida mais alta do que para baixa; forte, grossa e pontiaguda, de
comprimento médio Em repouso, caindo suavemente entre as nádegas até a altura
dos jarretes; em ação, eleva-se na horizontal, ligeiramente arqueada ou verticalmente
dobrada em foice, mas nunca enrolada; franjada na parte ventral.
MEMBROS
ANTERIORES: bem aprumados, quando vistos de frente ou de perfil; bem
musculosos e secos.
Ombros: compridos; inclinados; fortes e bem musculosos; o ângulo escápulo-umeral
de aproximadamente 110°.
Cotovelos: paralelos ao plano médio do corpo.
Antebraços: verticais; longos e bem musculosos.
Carpos: secos e não proeminentes.
Metacarpos: curtos; fortes; curtos; ligeiramente oblíquos.
Patas: arredondadas; dedos compridos, fortes, unidos e bem arqueados; unhas fortes
e de preferê;ncia escuras; almofadas plantares resistentes e duras.
POSTERIORES: bem aprumados, quando vistos por trás e de perfil; bem
musculosos e secos; paralelos ao plano médio do corpo.
Coxas: longas; de largura média; bem musculosas.
Joelhos: com angulação femorotibial de aproximadamente 135°.
Pernas: oblíquas; longas, secas, fortes e bem musculosas.
7
Articulação dos jarretes: de altura mediana, seca e forte; formando um ângulo
aberto de aproximadamente 135°.
Metatarsos: fortes, curtos, oblíquos e sem ergôs.
Patas: arredondadas; dedos compridos, fortes, unidos e bem arqueados; unhas fortes
e de preferê;ncia escuras; almofadas plantares resistentes e duras.
MOVIMENTAÇÃO: trote leve, movimentos ágeis e fáceis.
PELE: fina e tensa. Mucosas, de preferê;ncia, pigmentadas de preto ou sempre mais
escuras que a pelagem.
PELAGEM
Pelo: duas variedades: curto e macio ou longo e duro - ambas de espessura média;
sem subpelo. O pelo curto é mais denso do que o duro; na variedade de pelo duro, o
pelo do focinho é comprido (barba).
COR: amarelo e fulvo, em todas as tonalidades, do claro ao escuro, com ou sem
manchas brancas, ou branco com manchas dessas cores. No Podengo Pequeno, as
seguintes cores são admitidas, mas não preferenciais: preto, marrom, com ou sem
marcas brancas ou branco com manchas dessas cores.
TAMANHO / PESO
Pequeno: 20 a 30 cm;
Médio: 40 a 54 cm;
Grande: 55 a 70 cm.
Peso:
Pequeno: 4 a 6 kg
Médio: 16 a 20 kg
Grande: 20 a 30 kg
FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como
falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem
estar do cão.
8
FALTAS
• temperamento: sinais de timidez.
• crânio / focinho: eixos longitudinais superiores crânio-faciais paralelos.
• maxilares: mordedura incorreta ou má implantação dos dentes. Mordedura em
torquê;s; dentição incompleta na variedade Grande.
• trufa: despigmentação parcial.
• pescoço: arqueado.
• corpo: linha superior arqueada;
• garupa: demasiadamente caída;
• ergôs: sua existê;ncia é indesejável.
FALTAS GRAVES
• crânio/focinho: eixos longitudinais superiores crânio-faciais convergentes.
• trufa: despigmentação total.
• orelhas: arredondadas.
• ventre: muito esgalgado.
• cauda: enrolada.
FALTAS ELIMINATÓRIAS
• temperamento: agressivo ou timidez excessiva.
• aparê;ncia geral: sinais de cruzamento com Galgo ou Perdigueiro ou qualquer
outro cruzamento.
• maxilares: prognatismo superior ou inferior.
• olhos: de cores diferentes.
• orelhas: dobradas ou caídas.
• cor: tigrado, preto e castanho, tricolor e totalmente branco.
NOTAS:
• os machos devem apresentar os dois testículos, de aparê;ncia normal, bem
desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.
• todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento
deve ser desqualificado.



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletPassarinho

bulletA rosa e o beija flor

bulletPassaro

bulletPavão pavãozinho

bulletCobra Jibóia



Dicas Veterinárias:

bulletProblemas de coluna nos animais (discopatias)

bulletAgressividade materna

bulletTumor testicular (células de sertoli) em cães

bulletA toxoplasmose

bulletDoenças do coração do nó sinusal em cães



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Fabio Nakabashi (parkvet@gmail.com) CRMVSP 5997 Tel.: (19) 32724001 End.: Av. Francisco de Paula Oliveira Nazareth, 559 Parque Industrial Campinas SP http://parkve6.wix.com/parkvet>

bullet dra ayne murata hayashi
mé dica veterinária
crmv: 6378
campinas (19) 3294-3377,
valinhos (19) 3849-2522
são paulo (19) 9742-2665 aynemurata@ig.com.br>

bullet Rafael Senos Médico Veterinário UFF Mestrando USP Técnico em Biotecnologia CEFETEQ RJ>

bullet RENAL VET S?O PAULO: Endereço: Rua Heitor Penteado, 99 Sumaré, S?o Paulo/SP. Telefones: (11) 38752666 e (11) 38725138. Telefone para emerg?ncias: (11) 98985622. Site: www.renalvet.com.br Email: renalvet@br.inter.net RENAL VET RIO DE JA>

bullet Marco Antonio Gioso FMVZ USP>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletK9 - um policial bom pra cachorro

bulletNetto e o domador de cavalos

bulletO gato (dr seuss the cat in the hat)

bulletO gato e o violino (the cat and the fiddle)

bulletThe dark knight (2008)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletEnfermidades dos cavalos

bulletCães de guerra

bulletPassaros sao eternos, os

bulletO gato e a revolução

bulletNosso planeta verde - 100 ótimas propostas para trabalhar na educação infantil

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos