Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Raças & Espécies > Cães > Mastim dos pireneus

Compartilhe em suas redes sociais:

Mastim dos pireneus

mastimdospireneus

País de origem: Espanha
Nome no país de origem: Mastín del Pirineo
Utilização: Guarda e defesa. No passado foi utilizado para defesa
contra animais selvagens, especialmente, lobos e ursos.
Atualmente cumpre com perfeição a tarefa de guarda
nas fazendas e de pessoas, sendo muito receptivo ao
adestramento.
Sem prova de trabalho
APARÊNCIA GERAL: é um cão de grande altura, hipermétrico e de proporções
medianas. Bem proporcionado, extremamente potente e musculoso. Ossatura
compacta. Pelagem discretamente longa. Apesar do seu tamanho enorme, não deve
dar a impressão de ser pesado ou apático.
PROPORÇÕES IMPORTANTES: estrutura mediolínea. Boas proporções e
harmonioso em qualquer circunstância.
• comprimento do corpo é um pouco maior do que a altura na cernelha.
• a relação entre o comprimento do crânio ao focinho deve ser de 5:4.
• a largura do crânio deve ser igual ou ligeiramente superior ao seu comprimento.
• a relação entre a altura na cernelha e o perímetro torácico deve ser de
aproximadamente de 7:10.
COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: carinhoso, manso, nobre e
particularmente inteligente; é ao mesmo tempo valente e feroz com estranhos, de
quem ele jamais recua. Em sua relação com outros cães, se mostra benevolente e
conhecedor de seu singular poder. Se for o caso, se revela habilidoso na luta, denotando
as regras de comportamento adquiridas depois de séculos de combates contra o
lobo. Seu latido é grave e profundo e sua expressão alerta.
CABEÇA: grande, forte e moderadamente longa. A relação entre o comprimento
do crânio e o do focinho deve ser de 5:4. As linhas crânio-faciais são moderadamente
divergentes, com tendê;ncia ao paralelismo. O conjunto crânio-focinho, visto de cima,
deve ser longo e uniforme, sem nenhuma diferença muito marcada na largura, entre
a base do focinho e dos temporais. Vista de perfil, a cabeça deve ser profunda e não
abobadada.
REGIÃO CRANIANA
Crânio: largo, forte, de perfil ligeiramente convexo. A largura do crânio deve ser
igual ou ligeiramente maior que o seu comprimento. Crista occiptal marcada.
Stop: suave, pouco acentuado, porém definido.
4
REGIÃO FACIAL
Trufa: preta, úmida, grande e larga.
Focinho: perfil reto. Visto de cima parece ser discretamente triangular, largo em sua
inserção, afinando paulatinamente até a trufa, sem tornar-se pontudo.
Lábios: o superior deve cobrir bem o inferior, mas sem flacidez. O lábio inferior
forma uma comissura labial marcada. As mucosas devem ser pretas.
Maxilares / Dentes: mordedura em tesoura. Dentes brancos, fortes e saudáveis.
Caninos grandes, longos, afilados e bem cruzados para segurar a presa. Molares
bem dimensionados e fortes. Incisivos mais para pequenos. Palato preto, com estrias
bem marcadas.
Olhos: pequenos, amendoados, de cor avelã, preferivelmente escuros. De olhar atento,
nobre, simpático e inteligente, porém de uma extraordinária severidade diante de
um adversário. Pálpebras pigmentadas de preto e preferivelmente aderidas ao globo
ocular quando o animal está em atenção. É típica uma leve frouxidão da pálpebra
inferior, que mostra uma pequena porção da conjuntiva quando o cão se encontra
em repouso.
Orelhas: de tamanho médio e caídas, de forma triangular, planas, inseridas acima
da linha dos olhos. Em repouso, caídas e aderentes às bochechas. Em atenção,
claramente afastadas das faces e parcialmente erguidas em seu terço posterior. Não
devem ser amputadas.
PESCOÇO: troncocônico (em forma de cone), largo, forte, musculoso e flexível.
Pele grossa e ligeiramente solta. Barbela dupla bem definida mas não excessivamente
abundante.
TRONCO
Aspecto geral: retangular. Muito forte e robusto, mostrando grande força mas flexível
e ágil.
Linha superior: reta, horizontal, mesmo quando em movimento.
Cernelha: bem marcada.
Dorso: forte e musculoso.
5
Lombo: longo, largo e forte; estreitando-se em direção aos flancos.
Garupa: larga e forte. Sua inclinação é de aproximadamente 45º em relação a
horizontal. A altura da garupa igual a altura da cernelha.
Peito: largo, profundo, musculoso e poderoso. A ponta do esterno é bem marcada.
Costelas com amplos espaços intercostais e arredondadas, não planas. A relação da
altura na cernelha e o perímetro torácico deve ser de aproximadamente de 7:10.
Ventre e flancos: ventre moderadamente esgalgado. Flancos profundos e muito largos.
CAUDA: grossa na raiz, inserção média. Forte, flexível e pelagem na cauda e
abundantemente guarnecida por pelo longo e suave, formando um vistoso penacho.
Em repouso, seu porte é mais baixo chegando aos jarretes e sempre curvada em seu
terço final. Quando em movimento ou alerta, a cauda é portada em sabre, com uma
evidente rosca, porém nunca dobrada em sua totalidade nem repousando sobre o
dorso.
MEMBROS
ANTERIORES
Aspecto geral: perfeitamente aprumados; vistos de frente, retos e paralelos,
percebendo-se claramente músculos e tendões. O comprimento do antebraço deve
ser o triplo do metacarpo. Ossos fortes com metacarpos potentes.
Ombros: oblíquos, muito musculosos. Mais longos que o antebraço. Ângulo escápuloumeral
de aproximadamente 100°.
Braços: muito poderosos.
Cotovelos: fortes e bem aderidos a caixa torácica. Ângulo úmero-radial de
aproximadamente 125°.
Antebraços: de ossatura forte. Retos e potentes.
Metacarpos: vistos de perfil, pouco inclinado. É praticamente a continuação do
antebraço.
Patas: patas de gato. Dedos justos. Falanges fortes, altas e bem arqueadas. Unhas e
almofadas robustas e duras. Membranas interdigitais moderadas e providas de pelos.
6
POSTERIORES
Aspecto geral: poderosos, musculosos. Vistos de perfil, articulações adequadas.
Vistos por trás e de perfil, aprumos corretos. Jarretes sem desvios. Devem ser capazes
de impulsionar o cão com facilidade, força e elegância.
Coxas: fortes e musculosas. Ângulo coxofemoral de aproximadamente 100°.
Joelhos: ângulo femorotibial de aproximadamente 120°.
Pernas: longas, musculosas e de ossatura forte.
Jarretes: ângulo aberto, de aproximadamente 130º.
Metatarsos: bem marcados, com nítida presença do tendão. Presença ou não de
ergôs que podem ser simples ou duplos, admitindo-se sua amputação. Em cães de
igual qualidade, deve-se preferir ergôs duplos.
Patas: pés de gato, ligeiramente ovaladas. Um pouco mais longas que as patas
anteriores.
MOVIMENTAÇÃO: o movimento preferido é o trote que tem que ser harmônico,
forte e elegante sem tendê;ncia a lateralidade. Sem “ambladura”, ou seja, o cão não
pode andar movendo os dois membros de um mesmo lado ao mesmo tempo.
PELE: elástica, grossa, de cor rosa, com pigmentações mais escuras. Todas as
mucosas devem ser pretas.
PELAGEM
Pelo: denso, grosso, moderadamente longo. O comprimento médio ideal, medido
sobre o centro da linha superior, é de 6 a 9 cm, sendo. A pelagem e mais longa nos
ombros, no pescoço, abaixo do ventre, na parte traseira dos braços e pernas, assim
como na cauda que exige um penacho, cuja textura não é tão cerdosa como no
restante do corpo. O pelo deve ser cerdoso, não lanoso.
COR: basicamente branco e sempre com máscara bem definida. Eventualmente
manchas da mesma cor que a máscara, repartidas pelo corpo de forma irregular,
porém bem marcadas. Orelhas sempre manchadas. Não são desejáveis os exemplares
tricolores nem os totalmente brancos. A ponta da cauda e as extremidades são sempre
7
brancas. A máscara deve ser bem definida e as bordas das manchas, preferivelmente,
bem definidas. Na raiz, o pelo deve ser o mais claro possível, sendo o ideal, branco.
As cores mais apreciadas são, por ordem de preferê;ncia, branco puro ou branco
neve com manchas cinza médio, dourado amarelo intenso, pardo, preto, cinza prata,
bege claro, areia e jaspeado. Não são desejadas para as manchas, as cores vermelhas
e nem o branco amarelado como cor de fundo.
TAMANHO: não existe limite máximo para a altura, sendo sempre mais valiosos, a
igualdade de proporções, os exemplares de maior altura.
Altura na cernelha: limites mínimos: machos: 77cm
fê;meas: 72cm
De toda maneira, é desejável que estes limites sejam amplamente superados.
Considera-se conveniente ultrapassar os 81cm para os machos e os 75cm para as
fê;meas.
FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deverá ser considerado como
falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.
FALTAS LEVES
• visto de perfil, focinho ligeiramente arqueado.
• mordedura em torquê;s, ausê;ncia de um pré-molar.
• linha dorso-lombar distorcida e ondulante durante a movimentação, mas não em
excesso.
• pelo ligeiramente ondulado, pelo que supere levemente os 9 cm na linha superior.
• ligeira timidez.
FALTAS GRAVES
• aspecto frágil ou apático.
• focinho pontiagudo ou exageradamente arredondado.
• prognatismo superior moderado.
• ausê;ncia de vários pré-molares ou caninos, se não perdidos devido a acidentes.
• pequenos defeitos na oclusão dos incisivos.
• entrópio ou ectrópio exagerados.
• orelhas amputadas.
• dorso selado.
• altura da garupa nitidamente superior a altura na cernelha.
• cauda portada sobre a garupa; falta de penacho; cauda com ausê;ncia de curva na
extremidade; cauda amputada.
8
• aprumos incorretos.
• fraqueza em geral nos metacarpos, metatarsos e patas.
• jarretes de vaca durante a movimentação ou em repouso.
• movimentos laterais durante a movimentação.
• pelo muito ondulado ou crespo. Comprimento do pelo discretamente menor que
6cm na linha superior ou levemente superior a 11cm.
• descolorações nas orelhas.
• características gerais desequilibradas.
FALTAS ELIMINATÓRIAS
• cão excessivamente tímido, covarde ou agressivo.
• trufa e mucosas despigmentadas.
• trufa fendida.
• prognatismo superior excessivo ou prognatismo inferior.
• comprimento do pelo igual ou inferior a 4cm ou superior a 13cm sobre a linha
superior.
• ausê;ncia de cor branca nas extremidades da cauda e membros.
• pelagem totalmente branca. Ausê;ncia de máscara.
• manchas difusas que não ressaltem sobre o fundo e que indique mestiçagem.
• todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento
deve ser desqualificado.
NOTA:
• os machos devem apresentar os dois testículos, de aparê;ncia normal, bem descidos
e acomodados na bolsa escrotal.



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletMelô Da Aranha

bulletCamarão que dorme a onda leva

bulletSe você fosse um peixinho

bulletSai cachorro charanga e chará

bulletFoi daquele jeito



Dicas Veterinárias:

bulletFraturas em répteis

bulletMedicamentos nefrotoxicidade induzida em cães

bulletAbraço no asfalto

bulletNefrologia veterinária

bulletAs diferenças de cuidados entre c es e gatos



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Aquarium Lab http://aquariumlab.com.br>

bullet Israel M. BleichDiretor Técnico do Laboratório CEPAV Tecnologia em Saúde AnimalR. Tanabí, 185 São Paulo SP BRASILCEP05002010 Fone/Fax (011) 38729553email: info@cepav.com.br>

bullet dr clélio costa carreira
médico veterinário
crmv 1910
hovet campinas - hospital veterinário campinas av orosimbo maia 2565 - campinas fone (19) 3294 3377>

bullet Daniel Zacharias Zago Médico Veterinário Clínica Geral e Reprodução Equina 11 82627922>

bullet Rosmeire de O.S.Jacinavicius Médica Veterinária Acupunturista tel: (19)999971911 email: stuffzinha@gmail.com>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletO cachorro (el perro)

bulletO gato mais rico do mundo (the richest cat in the world)

bulletTarzan

bulletA quinta execução

bulletBolt - supercão



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletPássaros amarelos

bulletO gato que tocava brahms

bulletCães de guerra

bulletA perigosa vida dos passarinhos pequenos

bulletSinopse do livro 97 maneiras de fazer seu cachorro sorrir

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos