Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Raças & Espécies > Cães > Buldogue campeiro

Compartilhe em suas redes sociais:

Buldogue campeiro

buldoguecampeiro

País de origem: Brasil
Nome no país de origem: Buldogue Campeiro
Utilização: Eram usados para capturar o gado selvagem,
participando de tropeadas, sempre capturando o boi
fujão. Participavam nos matadouros, sempre segurando
o boi bravo quando necessário. São cães de grande
versatilidade, possuindo características de guardião e
de combatente bastante equilibradas. São cães
selecionados na lida, guardando a casa do tropeiro
como também a carreta e o seu cavalo, onde jamais
alguém chegava se houvesse um Buldogue deitado
observando. Além disso, ainda servem de pastor e
para derrubar um boi desgarrado. Conviviam em
matilhas, respeitando a vontade de seus donos, que
era de que não brigassem entre si.
RESUMO HISTÓRICO: o Buldogue Campeiro tem sua origem nos Bulldogs que
vieram para o Brasil trazidos pelos imigrantes europeus desde o século XVIII. Devido
à criação de gado ser sempre forte na região sul, os Buldogues eram bastante usados
para capturar o gado selvagem que se criava em meio a um ambiente hostil de campo
e mata nativa. Participou de grandes tropeadas sempre capturando o boi fujão. Nos
matadouros tinha participação ativa, solicitados para segurar um boi bravo sempre
que fosse necessário. Os Buldogues para o trabalho tiveram uma seleção quase
natural, uma vez que os que eram muito baixos, levavam desvantagem em percorrer
longas distâncias e em não poder tracionar segurando o boi. E os que através de
cruzamentos com outra raça ficavam muito altos perdiam o instinto de pegador, a
precisão de movimentos, além de ficarem vulneráveis às investidas dos bois com
seus coices e chifradas. O que era considerado um bom cão? O corpo deveria ser
forte. A cabeça larga com fortes maxilares; o focinho largo e forte, não curto como o
do atual Bulldog, nem tão comprido como o do Bullmastiff, para que pudesse morder
e segurar um boi independentemente do peso. Cão de temperamento vigilante e
tranqüilo, com acentuado espírito de luta e companheirismo. Este temperamento
teria que ser tão obstinado que não conhecesse limites e tão controlado que sempre
obedecesse aos comandos do tropeiro. Assim, “selecionado na lida” nasceu o
BULDOGUE CAMPEIRO.
APARÊNCIA GERAL: cão de constituição potente e larga, indicando força e
agilidade. Formato corporal quase quadrado. Membros vigorosos, musculosos, com
ossos fortes. Cabeça volumosa e peito amplo. Aspecto imponente. Visto de cima,
deve ser largo nos ombros e comparativamente estreito no lombo.
PROPORÇÕES IMPORTANTES: a altura na cernelha deve ser, preferencialmente,
igual ao comprimento medido da cernelha até a inserção da cauda.
COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: versátil, com características de
guardião. Destaca-se pela fidelidade ao dono, tenacidade e coragem. Seu
temperamento é vigilante e tranqüilo, perseverante, com acentuado espírito de luta e
companheirismo. Muito dócil com crianças; é um cão de fácil adaptação. Controlável,
não tímido, late pouco, é tranqüilo.
4
CABEÇA: volumosa com boas bochechas; larga com fortes maxilares e com pele
solta sem excesso de rugas. A medida da circunferê;ncia da cabeça fica, no mínimo,
na mesma proporção da altura e do comprimento para as fê;meas e obrigatoriamente
maior nos machos.
REGIÃO CRANIANA
Crânio: bastante largo, alto e levemente arredondado, com forte musculatura. Visto
de frente, forma uma linha reta entre as orelhas, quando em atenção.
Stop: bem definido.
REGIÃO FACIAL
Focinho: curto, com no máximo 1/3 e no mínimo 1/5 do comprimento do crânio.
Largo embaixo dos olhos; grosso com as linhas laterais paralelas até a ponta da trufa;
o mais quadrado possível quando visto de cima.
Trufa: bem formada, de bom tamanho e bem pigmentada.
Orelhas: pequenas, pendentes, triangulares; também são aceitas as viradas para trás
(em rosa), de inserção alta, o mais separadas possível entre si. Quando dobradas
levemente no sentido dos olhos, o comprimento não pode ultrapassar o canto interno
do globo ocular.
Olhos: ovalados, de tamanho médio, não podendo ser profundos, nem saltados.
Preferencialmente com as pálpebras bem pigmentadas. A coloração dos olhos, o
mais escuro possível, indo do castanho ao marrom escuro, nos exemplares com a
trufa escura. Nos exemplares de trufa ruiva, são aceitas as tonalidades mais
claras, castanho claro (cor de mel). Deve-se evitar olhos caídos com aspecto de
“chorão”.
Lábios: grossos e pendentes sem demasia, não devendo ultrapassar a linha inferior
do maxilar em mais de 50% da altura do focinho em toda a sua extensão. A rima labial
deve ser o mais pigmentada possível.
Mordedura: prognatismo inferior, sendo que este não deve exceder 3 cm.
Maxilares: largos, maciços e quadrados. O inferior deve avançar além do superior e
elevar-se no extremo da mandíbula.
5
Dentes: fortes com os caninos bem desenvolvidos para agarrar e bem distanciados
entre si. Dá-se preferê;ncia aos incisivos bem alinhados aos caninos. Dentes inferiores
aparentes são aceitáveis. A dentição deve ser a mais completa possível. Tolera-se
caninos aparentes, dentes a mais e falta dos P1.
Mordedura: prognatismo inferior, sendo que este não deve exceder 3 cm.
PESCOÇO: forte, de comprimento moderado, muito musculoso e de circunferê;ncia
aproximada a do crânio, com pele frouxa que forma barbela a qual não deve ser
excessiva.
TRONCO
Dorso: moderadamente curto, reto, com linha ascendente levemente inclinada até a
garupa.
Peito: de amplitude notável, quase redondo, sendo que a profundidade deve alcançar
a altura dos cotovelos.
Costelas: bem arqueadas.
Ventre: ligeiramente esgalgado.
Garupa: levemente arredondada.
CAUDA: inserida baixa, grossa na raiz, de comprimento moderado e de linha
inconstante; quebrada naturalmente. Dá-se preferê;ncia a cauda que não exceda
em comprimento, em dois terços, a distância da inserção da cauda à ponta do
jarrete.
MEMBROS
ANTERIORES: vigorosos e musculosos, com ossos fortes.
Ombros: largos, musculosos e oblíquos. Em relação à horizontal deve ter 45°
enquanto que a angulação escápulo-umeral deve ter menos de 90°.
Cotovelos: ligeiramente afastados das costelas, são corretamente direcionados para
a frente, em uma linha vertical medida dos cotovelos até o solo, proporcionalmente a
altura.
Antebraços: bem desenvolvidos e com ossos fortes e retos.
6
Metacarpos: moderadamente angulados.
Patas: são ligeiramente voltadas para fora com dedos levemente separados e um
pouco arqueado.
POSTERIORES: vigorosos, musculosos, com ossos fortes.
Coxas: bem desenvolvidas, que indicam vigor e atividade.
Jarretes: levemente angulados, paralelos.
Patas: são ligeiramente voltadas para fora com dedos levemente separados e
arqueados; com almofadas plantares grossas e elásticas.
MOVIMENTAÇÃO: com caminhar balanceado, mantém a cabeça na linha do dorso
e a cauda baixa. Seu movimento é típico; o balanço do corpo deve ser perceptível na
garupa e nas costelas, enquanto caminha, mantém a traseira nivelada mas não firme.
Seu galope é rápido, com grande propulsão.
PELAGEM
Pelo: curto, liso, de textura média, não sendo nem macio e nem áspero ao toque.
COR: todas as cores são aceitas.
TAMANHO
Ideal : machos: 53 cm.
fê;meas: 51 cm
PESO
machos: de 35 kg a 45 kg aproximadamente.
fê;meas: de 30 kg a 40 kg aproximadamente.
A tolerância na altura é de 48cm a 58cm. Devem ser respeitadas as proporções de
peso e altura que confiram aspecto vigoroso ao exemplar.
FALTAS: Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como
falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem
estar do cão.
7
FALTAS LEVES
• caninos aparentes.
• dentes a mais.
• falta dos P1.
• orelhas de inserção muito alta.
• orelhas muito curtas, estreitas, muito largas ou compridas.
• pelagem atípica.
• pescoço muito curto.
• angulação dos anteriores e posteriores excessiva.
• ponta da cauda ultrapassando a altura do jarrete.
• pescoço sem barbelas ou com barbelas em demasia.
• olhos azuis.
FALTAS GRAVES
• olhos redondos ou muito grandes; olhos saltados ou de duas cores.
• prognatismo superior a 3 cm.
• dorso selado, carpeado ou descendente.
• peito fraco, estreito, pouco profundo.
• angulação dos anteriores e posteriores insuficiente.
• jarretes de vaca.
FALTAS DESCLASSIFICANTES
• ausê;ncia de prognatismo inferior.
• torção de mandíbula.
• ausê;ncia de caninos; incisivos a menos ou ausê;ncia de mais de 2 molares.
• trufa com mais de 1/4 despigmentada.
• ausê;ncia de angulação nos anteriores e nos posteriores.
• anteriores muito compridos ou muito curtos, em “X” ou arqueados.
• movimentação muito pesada, difícil, com passos curtos ou passo de camelo
contínuo.
• agressividade ou timidez excessiva.
NOTA:
• os machos devem apresentar os dois testículos, de aparê;ncia normal, bem descidos
e acomodados na bolsa escrotal.
• todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento
deve ser desqualificado.
8



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Dicas de Profissionais do ramo pet e agropecuário:


bulletPrimeiros socorros para picada de aranha

bulletCães precisam de exercícios

bullet3 motivos importantes para você mesma aprender como adestrar seu cachorro

bulletComo fazer da alimentação uma atividade divertida

bulletNeurectomia dos nervos digitais


Ver todas as Dicas de Profissionais



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores



bullet João Kleinerdr joão alfredo kleiner dvm, msc especialista em oftalmologia e clínica cirúrgica geral acvo ophthalmology course wisconsin, madison ? 1998 e-mail: docjak@vetweb.com.br

bullet Ciro Pinheiro Mathias Franco Medico Veterinário atuante em odontologia eqüina. Cel. (11) 98146666 Email: ciromedvet@ig.com.br

bullet Sergio Lobato é Médico Veterinário, consultor e palestrante em Gestão da Inovação e Marketing em Medicina Veterinária. CRMV 4476. www.sergiolobatopetmarketing.blogspot.com

bullet Janaína Biotto, médica veterinária e diretora do Vila Chico Pet Hotel www.vilachicopethotel.com.br.

bullet Diskvet Telefone: (19) 32581887 / 33081887 / 33081886 Celular: (19) 93183040 (emergência) Email: diskvet@gmail.com Av. Antonio Carlos Couto de Barros, n? 1156 Sousas Campinas / SP

Ver todas as Dicas dos Colunistas




Letras de Música com temas Animais:


bulletVaca profana caetano veloso

bulletmineirinho genial! nova lima - cidade natal marquês de sapucaí - o poeta imortal!"

bulletCobras essiele

bulletcerol na mão

bulletPássaro Livre

Ver todas as Letras de Músicas




Cinema, Filmes e Seriados:


bulletGatos numa roubada (tomcats)

bulletLassie

bulletPiranhas

bulletNo olho do gato (dans l oeil du chat)

bulletO gato e o violino (the cat and the fiddle)


Ver todos os filmes e seriados




Livros Animais

bulletUm gato indiscreto e outros contos

bulletO gato que falava com fantasmas

bulletPássaros amarelos

bulletA volta do gato preto

bulletExplicação dos pássaros

Ver todos os Livros



Dinheiro / Notas Animais



Garoupa
R$ 100


Beija flor
R$ 1


Garça branca grande
R$ 5


Arara vermelha
R$ 10


Mico leão-dourado
R$ 20


Onça pintada
R$ 50


Tartaruga-de-pente
R$ 2


Lobo Guará
R$ 200


Ver todas as Notas e Moedas



Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos