Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Raças & Espécies > Cães > Basset hound

Compartilhe em suas redes sociais:

Basset hound

bassethound

País de origem: Grã-Bretanha
Nome no país de origem: Basset Hound
Utilização: Caça
Sujeito à prova de trabalho para campeonato internacional.
Sergio Meira Lopes de Castro
Presidente da CBKC
Roberto Cláudio Frota Bezerra
Presidente do Conselho Cinotécnico
Tradução: Claudio Nazaretian Rossi
Revisão: José Luiz Cunha de Vasconcelos
Impresso em: 03 de outubro de 2011.
3
BASSET HOUND
NOMENCLATURA CINÓFILA UTILIZADA NESTE PADRÃO
1 – Trufa 13 – Perna 25 – Braço
2 – Focinho 14 – Jarrete 26 – Ponta do esterno
3 – Stop 15 – Metatarso 27 – Ponta do ombro
4 – Crânio 16 – Patas
5 – Occipital 17 – Joelho
6 – Cernelha 18 – Linha inferior
7 – Dorso 19 – Cotovelo a – profundidade do peito
8 – Lombo 20 – Linha do solo
9 – Garupa 21 – Metacarpo b – altura do cotovelo
10 – Raiz da cauda 22 – Carpo
11 – Ísquio 23 – Antebraço a + b = altura do cão
12 – Coxa 24 – Nível do esterno na cernelha
4
RESUMO HISTÓRICO: o Basset foi supostamente criado por monges na França,
na Idade Média, para caçar em terrenos com densa cobertura, sendo capaz de manter
seu nariz perto do chão. Embora intimamente relacionados com a família inteira de
Bassets Franceses, a raça foi desenvolvida à perfeição na Grã-Bretanha. É um cão
capaz de caçar sua presa natural, a lebre, com persistê;ncia e em um ritmo relativamente
lento sobre distâncias prodigiosas.
APARÊNCIA GERAL: hound de pernas curtas, de considerável substância, bem
equilibrado, cheio de qualidades. É importante ter em mente que este é um cão de
trabalho e deve ser apto a esta finalidade, portanto, deve ser forte, ativo e capaz
de grande resistê;ncia no campo.
COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: hound tenaz, de uma antiga
linhagem que caçava pelo faro, possui um instinto de matilha, e uma voz melodiosa e
profunda. Plácido, nunca agressivo ou tímido. Afetuoso.
CABEÇA: pode apresentar uma pequena quantidade de rugas na testa e ao lado
dos olhos. Em qualquer caso, a pele da cabeça deve ser flexível o bastante para
formar rugas ligeiramente marcadas quando puxada para frente ou quando a cabeça
está baixa.
REGIÃO CRANIANA: a parte superior do focinho é quase paralela à linha superior
do crânio e ele não é muito mais longo do que este.
Crânio: em cúpula, com um proeminente osso occipital, de largura média entre as
arcadas superciliares e afinando ligeiramente para o focinho.
Stop: moderado.
REGIÃO FACIAL
Trufa: inteiramente preta, exceto nos cães de cor clara, onde pode ser de cor marrom
ou fígado. Narinas grandes e bem abertas que podem ultrapassar ligeiramente a linha
dos lábios.
Focinho: a aparê;ncia geral é de um focinho esguio, não pontudo.
Lábios: o lábio superior sobrepõe-se substancialmente ao inferior.
5
Maxilares / Dentes: maxilares fortes com uma perfeita, regular e completa mordedura
em tesoura, isto é, os dentes superiores recobrem os dentes inferiores e são inseridos
ortogonalmente aos maxilares.
Olhos: em forma de losango, nem proeminentes, nem inseridos muito profundamente.
Escuros, mas podem ter tons de marrom médio em cães de cor clara. De expressão
calma e séria. Olhos claros ou amarelos são altamente indesejáveis.
Orelhas: inseridas baixas, exatamente abaixo da linha dos olhos. Longas, alcançando
apenas um pouco além de um focinho de comprimento correto, mas não em excesso.
Estreitas ao longo de seu comprimento e enrolando-se bem para dentro. Muito
flexíveis, finas e de textura aveludada.
PESCOÇO: musculoso, bem arqueado e suficientemente longo com barbelas
pronunciadas, mas não exageradas.
TRONCO: longo e profundo em todo seu comprimento; cernelha e quartos traseiros
aproximadamente na mesma altura.
Dorso: nivelado e bastante largo. Da cernelha até a garupa, não deve ser
exageradamente longo.
Lombo: pode ser ligeiramente arqueado.
Peito: antepeito bem encaixado entre as patas curtas, quando visto de frente. Esterno
proeminente, mas o peito não é nem estreito, nem muito profundo. Costelas bem
arredondadas e bem arqueadas, sem saliê;ncias, estendendo-se bem para trás.
Linha inferior e ventre: deve haver espaço suficiente entre a parte mais inferior
do tórax e o chão para permitir que o cão se movimente livremente sobre todos
os tipos de terreno.
CAUDA: bem inserida, bastante longa, forte na base, afinando para a ponta com
moderada quantidade de pelos grossos em sua parte inferior. Quando em movimento,
a cauda é portada bem para cima e curva-se ligeiramente, em forma de sabre; nunca
enrolada ou alegre.
6
MEMBROS
Anteriores
Aparê;ncia geral: antebraço alto, ligeiramente inclinado para dentro, mas não a tal
ponto de impedir a ação livre ou resultando em pernas que se toquem quando paradas
ou em movimento. Algumas rugas da pele podem aparecer na parte inferior das
pernas, mas isso não deve em nada ser excessivo.
Ombros: escápulas bem colocadas para trás. Ombros não pesados.
Cotovelos: não virando nem para fora, nem para dentro, mas bem ajustados às
laterais.
Antebraços: curtos, poderosos e com grande ossatura.
Metacarpos (pulsos): formando uma curva para frente é altamente indesejável.
Patas: largas, com boas juntas e almofadas. Patas anteriores podem apontar
diretamente para frente ou podem virar ligeiramente para fora, mas em todos os
casos, um hound deve colocar-se em “stay” perfeitamente; o peso repartido igualmente
entre os dedos e as almofadas, de maneira que as patas deixem as pegadas de um
cão de grande porte, sem que nenhuma parte desprovida de almofada esteja em
contato com o solo.
Posteriores
Aparê;ncia geral: bem musculosos e firmemente plantados, dando um efeito quase
esférico, quando vistos por trás. Algumas rugas de pele podem aparecer entre os
jarretes e as patas; por trás da articulação dos jarretes pode aparecer uma ligeira
bolsa devido à pele solta, mas em nenhum dos casos deve ser algo excessivo.
Joelhos: bem angulados.
Jarretes: bem descidos e ligeiramente angulados, não virando nem para dentro, nem
para fora e bem abaixo do corpo, quando o cão está parado numa posição natural.
Patas: largas, com boas juntas e almofadas. Um hound deve colocar-se em “stay”
perfeitamente; o peso repartido igualmente entre os dedos e as almofadas, de maneira
que as patas deixem as pegadas de um cão de grande porte, sem que nenhuma parte
desprovida de almofada esteja em contato com o solo.
7
MOVIMENTAÇÃO: o mais importante para certificar-se que o hound é apto
para seu propósito. Ação suave, poderosa e sem esforço, com bom alcance dos
membros anteriores e os posteriores mostrando uma poderosa propulsão, com o
cão se movimentando corretamente tanto na frente quanto atrás. Os jarretes e os
joelhos jamais podem permanecer rígidos em movimento, nem qualquer dedo ser
arrastado.
PELE: flexível e elástica, sem quaisquer exageros.
PELAGEM
Pelo: macio, curto e fechado, sem ser muito fino. Todos os contornos são lisos e
sem franjas. Os pelos longos, pelos macios ou com franjas, são altamente
indesejáveis.
COR: geralmente preto, branco e marrom (tricolor); limão e branco (bicolor); mas,
qualquer cor reconhecida de hound é aceitável.
TAMANHO
Altura na cernelha: 33 a 38 cm.
FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como
falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos sobre a saúde e
bem estar do cão e em sua habilidade para realizar a sua função.
 



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletCavalos Calados

bulletQue nem o meu cachorro

bulletTartaruga uguinha celelê e talili

bulletNão atire o pau no gato aline barros

bulletPaga pau



Dicas Veterinárias:

bulletPus na cavidade torácica de cães

bulletPreparação para chegada dos filhotes!

bulletO que é diabetes?

bulletGato precisa arranhar

bulletParasite medicina (ivermectina) envenenamento em cães



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Dr. Luiz Bolfer formou se em Medicina Veterinária no Brasil e mudou se para os Estados Unidos para se especializar em Cardiologia, Emergência e Cuidados Intensivos em cães e gatos. Completou 12 meses de Internato em Clínica Médica e Cirúrgica Veterin>

bullet Adriana Morales Médica Veterinária CRMV: 6467 Membro do Colégio Brasileiro de Oftamologia Veterinária. Avenida 11 de Agosto, 1693. Valinhos/SP Tel.: 19 38492522>

bullet Nayara Zonta, 56811999>

bullet Rosmeire de O.S.Jacinavicius CRMVSP 21580 Médica Veterinária acupunturista tel: 19 999971911 email: stuffzinha@gmail.com>

bullet sergio villa santi svillasanti@aolcom
embaixador da oster no brasil
república dos c?es
avorozimbo maia, 1515, cambui, campinas/sp
fone: (19) 3255-1578>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletHarry, o amigo de tonto

bulletOs pássaros feridos (the thorn birds)

bulletO corcel negro

bulletFeito cães e gatos (the truth about cats and dogs)

bulletMarley e eu



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletVira-lata? não! também sou cachorro

bulletAves-simbolos dos estados brasileiros, as

bulletPassaro-camaleao, o

bulletA princesa e o sapo

bulletO cachorro e o lobo

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos