Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Home Page > Notícias > A águia nazista que virou uma dor de cabeça para os uruguaios até hoje

Compartilhe em suas redes sociais:

A águia nazista que virou uma dor de cabeça para os uruguaios até hoje


Jorge de Souza

26/09/2019 10h04

src=

A águia de bronze do Graf Spee, exposta eno Uruguai em 2006

Quinze anos atrás, o mergulhador uruguaio Héctor Bado encontrou, no fundo do Rio da Prata, os destroços do couraçado alemão Graf Spee, afundado no início da Segunda Guerra Mundial pelo seu próprio comandante nos arredores do porto de Montevidéu, onde buscara abrigo ao ser cercado pelos inimigos ingleses.

src=

Em seguida, financiado por dois empresários uruguaios, os irmãos Alfredo e Felipe Etchegaray, Bado sacou dos destroços a parte mais emblemática do navio, que passou a fazer parte da História do Uruguai: uma grande águia de bronze de quatro toneladas, com as asas abertas e a suástica nazista presa em suas garras, que decorava a proa do cruzador, na época o mais poderoso da Marinha Alemã.

src=

E foi aí que começou uma novela que, até hoje, 15 anos depois, ainda não terminou – e que virou uma dor de cabeça judicial e diplomática para governo uruguaio.

src=

O que fazer com aquela águia, símbolo do poder nazista, desde então guardada dentro de uma caixa de madeira em um depósito da Armada uruguaia?

Aparentemente, ninguém no governo sabe, embora os empresários que financiaram o resgate da icônica imagem não tenham dúvidas sobre o que deve ser feito com a águia emblemática:

"O governo uruguaio tem que honrar o contrato que assinou conosco, enviar ou vender a peça para uma entidade cultural e nos pagar metade do que ela vale", diz Alfredo Etchegaray, um conhecido relações públicas e milionário uruguaio, que diz ter investido uma pequena fortuna para retirar o objeto intacto do fundo do rio.

src=

"O melhor destino para a imagem seria ir para um museu aqui mesmo, em Montevidéu, já que a Alemanha sempre pressionou o governo uruguaio para que a águia não saísse do Uruguai, porque é um tema que incomoda aos alemães até hoje", diz Etchegaray, que acrescenta: "Mas também não me agrada a ideia que ela seja vendida para um colecionador qualquer, porque, em mãos erradas, poderia servir de objeto de culto para grupos neonazistas", diz.

Quanto vale a águia de bronze do Graf Spee?

"Difícil dizer, porque é um objeto histórico. Mas estimo uns 60 milhões de dólares", diz Etchegaray, que sempre foi contestado, tanto no direito que alega ter sobre 50% do valor da peça, quanto no que diz que ela vale, pelo governo uruguaio, que, no entanto, não sabe o que fazer com a batata quente que tem nas mãos.

O problema é que, desde que a águia foi içada do fundo do rio, o governo uruguaio, que, pela lei, tem direito a tudo o que há submerso nas águas territoriais do país, vem sendo pressionado tanto por Etchegaray, que quer receber o que diz ter direito por contrato, quanto pela Alemanha, que gostaria que o assunto fosse esquecido, e até pela comunidade judaica, dividida em duas vertentes contrárias.

Enquanto uma parte da comunidade judaica uruguaia quer que a águia vá para um museu adequado (Etchegaray diz já ter recebido propostas tanto do Museu do Holocausto de Washington quanto de Israel, mas não cabe a ele negociar, e sim ao governo uruguaio), outra preferiria que ela fosse simplesmente destruída, "como uma forma simbólica de deixar os horrores do nazismo no passado", como defende o ex-presidente do Comitê Central Israelita, Ernesto Kreimerman, "Nenhum símbolo do poder nazista foi conservado intacto", defende Kreimerman. "Até o bunker de Berlin foi posto abaixo", diz.

Mas Etchegaray e o próprio governo uruguaio são radicalmente contra essa medida extrema.

"A águia merece ter um destino acadêmico e cultural e a criação de um museu sobre o naufrágio do Graf Spee, em Montevidéu, financiado pela Alemanha, que quer que ela fique no nosso país, seria perfeito", diz o empresário, antevendo aí a melhor forma de receber o dinheiro que diz ter a receber do governo.

O governo uruguaio, no entanto, alega que Etchegaray não cumpriu o contrato integralmente, porque retirou apenas as partes que lhe interessava do naufrágio e não promoveu a remoção de todos os escombros, que até hoje complicam a navegação nas imediações do porto de Montevidéu.

Briga na Justiça

Meses atrás, porém, Etchegaray conseguiu uma vitória.

A Justiça uruguaia ordenou que o Ministério da Defesa, que tem a guarda da peça, promovesse a venda da águia do Graf Spee num prazo de 90 dias e pagasse a parte que ele tem direito (o mergulhador Héctor Bado, que achou o objeto, morreu dois anos atrás, sem nada receber por ele).

O governo, então, recorreu da sentença.

Mas, na semana passada, às vésperas do fim do prazo dado pela Justiça para a venda do objeto, o governo uruguaio anunciou que "estava negociando com Etchegaray", e que, de comum acordo entre as partes, o prazo havia sido suspenso, temporariamente.

src=

Agora, aguarda-se o próximo capítulo de uma novela que vem se arrastando há uma década e meia, desde que a imagem símbolo do couraçado Graf Spee foi resgatada do fundo do Rio da Prata, 67 anos após o teatral naufrágio do então principal navio de Hitler na Segunda Guerra Mundial pelo seu próprio comandante, o oficial Hans Langsdorff, que se matou em seguida, para que os segredos do navio não caíssem em mãos inimigas

.



Fonte da Notícia: https://historiasdomar.blogosfera.uol.com.br/2019/09/26/a-agua-nazista-que-virou-uma-dor-de-cabeca-para-os-uruguaios-ate-hoje/



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Dicas de Profissionais do ramo pet e agropecuário:


bulletA água, ph x gh x kh

bulletHidroterapia

bulletAs doenças mais comuns em cães e gatos

bulletDegeneração retiniana

bulletCão e gente têm o mesmo tratamento


Ver todas as Dicas de Profissionais



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores



bullet Gabriel Guerreiro Qual quer dúvida ou sugesteatilde;o enbsp;estarei respondendo no email Gabriel_g_f@hotmail.com no twitter @AdestramentoDOG

bullet Magda Izidio de Souza, Médica Veterinária

bullet Jacqueline R. F. Cremoneze profissão: Médica Veteriária CRMVSP21312 Sou médica veterinária formada pela Faculdade de Jaguariúna em junho 2006, e minha dedicação com as aves começou no ano de 2003. Devido a isso, presto apoio a todos os interess

bullet Dr. Luiz Bolfer formou se em Medicina Veterinária no Brasil e mudou se para os Estados Unidos para se especializar em Cardiologia, Emergência e Cuidados Intensivos em cães e gatos. Completou 12 meses de Internato em Clínica Médica e Cirúrgica Veterin

bullet André Barreto www.andrebarreto.com 1150936244 / 25037333

Ver todas as Dicas dos Colunistas

Letras de Música com temas Animais:


bulletJoao de Barro

bulletCaipira

bulletBicho cantador

bulletA pulga

bulletCabeção da tartaruga ki prazer

Ver todas as Letras de Músicas

Cinema, Filmes e Seriados:


bulletBatman (1989)

bulletUma dupla quase perfeita

bulletOs pássaros feridos (the thorn birds)

bulletAs crônicas de nárnia - o leão, a feiticeira e o guarda-roupa

bulletMarley e eu


Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletEu não sou cachorro, não

bulletSinopse do livro 97 maneiras de fazer seu cachorro sorrir

bulletCrianca, cachorro que fala!

bullet4 vidas de um cachorro

bulletA volta do gato preto

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos