Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Home Page > Notícias > Plásticos invadem berçários de larvas de peixes

Compartilhe em suas redes sociais:

Plásticos invadem berçários de larvas de peixes


 

Enquanto

Enquanto o impacto do plástico em animais marinhos adultos é cada vez mais conhecido, autores de novo estudo encontraram a contaminação em larvas de peixesImagem: Getty Images

 

src=

13/11/2019 07h50

Para peixes "bebês", a superfície do mar perto do costa é uma camada rica em nutrientes, fazendo dela uma espécie de "berçário" para larvas desses animais, chamados de alevinos.

Mas o que cientistas desconfiavam foi confirmado agora em um estudo inédito: esses locais, ricos em plânctons, estão repletos também de fragmentos de plásticos flutuantes, o que ameaça a vida dos peixes em uma fase bastante vulnerável para a sobrevivência. Em uma dimensão maior, isso implica em potenciais danos para ecossistemas marinhos e até para o consumo humano de produtos vindos dos oceanos, dizem os autores do artigo, publicado esta semana no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences.

RELACIONADAS

src=

Autoridades já temem que óleo derramado no Nordeste atinja praias do Rio

src=

Cervo-rato é encontrado no Vietnã após quase 30 anos desaparecido

src=

Estudantes de PE criam papel reciclado que vira planta após ser molhado

O achado alarmante, vindo da dissecação de animais, constatou que peixes em sua fase larval já consomem pedaços de plástico presentes na água — coisa para a qual só havia confirmação até agora para peixes adultos.

"Peixes na fase larval são fundamentais para o funcionamento dos ecossistemas e representam as futuras populações de peixes adultos", explicou em um comunicado à imprensa Jamison Gove, um dos autores do estudo e oceanógrafo da NOAA, órgão de pesquisa do governo americano.

"O fato de estas larvas estarem rodeadas de detritos plásticos diminutos e ingerirem plásticos carregados de toxinas, em seu estágio mais vulnerável de vida, é motivo de alarme", disse Gove.

Concentração de plástico oito vezes maior que no Grande Depósito de Lixo do Pacífico

Os pesquisadores, vinculados ao NOAA e também à Universidade do Estado do Arizona, analisaram dados e materiais de uma área de cerca de 1.000 km² na costa oeste do Havaí.

Eles focaram em corredores na superfície da água em que materiais orgânicos e inorgânicos se juntam.

"Estes corredores concentram plânctons e, portanto, fornecem um oásis de comida que é fundamental para o desenvolvimento e a sobrevivência das larvas de peixes", disse Jonathan Whitney, ecologista marinho do NOAA e um dos autores do estudo.

Com técnicas de sensoriamento remoto, os pesquisadores detectaram, nestes corredores em comparação com águas superficiais "normais", uma maior densidade de fitoplânctons (1,7 vezes maior); zooplânctons (3,7 vezes); e larvas de peixes (8,1 vezes). Os corredores continham também peixes com melhores habilidades para nadar, tanto em termos de velocidade quanto de duração.

Mas esses corredores também mostraram uma densidade mediana 126 vezes maior de plásticos do que outras partes das águas superficiais ? e oito vezes maior do que a densidade encontrada no Grande Depósito de Lixo do Pacífico, uma massiva área de acúmulo de resíduos, boa parte plásticos, entre a Califórnia e o Havaí. Em 658 larvas de peixes dissecadas, foram encontrados partículas de plástico em 42 deles, uma ocorrência 2,3 vezes maior do que em outros tipos de águas superficiais.

"Encontramos pequenos pedaços de plástico no estômago de espécies amplamente comercializadas, como o espadarte e o dourado-do-mar, e espécies de recifes de corais como o peixe-porco", contou Whitney.

A maior parte dos plásticos encontrados foram considerados fragmentos pequenos (menores que 5mm) — que costumam originar da decomposição de plásticos maiores, expostos por meses a anos a fatores como Sol e o sal do mar. Em relação ao tipo, a maioria foi de polímeros de polietileno e polipropileno.

"Esses polímeros são usados em itens de consumo de uso único (por exemplo, sacolas plásticas, caixas de alimentos e garrafas d'água) e em materiais comumente usados em indústrias marítimas, como transporte, aquicultura e pesca (por exemplo, engradados, baldes, cordas e redes). Sabe-se que o polímero mais dominante encontrado nos corredores, o polietileno (76,6%), absorve poluentes mais rapidamente do que outros polímeros e pode servir como um vetor de poluentes para a fauna marinha", diz o estudo.

Fragmentos plásticos azuis confundidos com alimento

Como boa parte dos fragmentos plásticos ingeridos tinham cor azul ou translúcida, e muitos zooplânctons têm pigmentos assim, os pesquisadores acreditam que os animais confundam os itens com alimentos na hora de comer.

Ainda não se sabe ao certo o impacto desta ingestão para os organismos de larvas de peixes, mas tudo indica que seja igual ou pior do que para animais adultos.

"Estudos de laboratório têm algumas limitações, mas já revelaram que a ingestão de plástico pode ter efeitos adversos nos peixes, incluindo o acúmulo de substâncias tóxicas; bloqueio e perfuração intestinal; desnutrição; e diminuição da capacidade de fuga de predadores. Órgãos não plenamente desenvolvidos podem prejudicar a capacidade das larvas de peixes de se desintoxicar e eliminar poluentes químicos. Portanto, os impactos da ingestão de plástico nas larvas são provavelmente mais graves do que nos peixes adultos", diz o artigo, que apesar do alarme ser sucedido também por possíveis soluções.

"É importante ressaltar que reduzir diretamente a exposição de larvas de peixes a plásticos é factível. Estima-se que o volume anual de plástico que chega aos oceanos poderia ser reduzido em cerca de 80% com investimentos globais no gerenciamento de resíduos e comportamento dos consumidores", conclui



Fonte da Notícia: https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/2019/11/13/plasticos-invadem-bercarios-larvas-de-peixes.htm



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletPeixe Vivo Palavra Cantada

bulletPedaço de chão

bulletA dança da tartaruga asa de águia

bulletQue nem o meu cachorro

bulletPasse em Casa



Dicas Veterinárias:

bulletOs mandamentos de agiliteiros

bulletEspirro reverso em cães ? o que é isso?

bulletCavalos

bulletAdestramento de hamsters

bulletVasculite cutânea em cães



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Darby de Lima
darbykpl@hotmailcom>

bullet Dra. Vanessa Mollica Caetano Teixeira Médica veterinária Especialista em clínica e cirurgia ? UFV Mestre em cirurgia / Unesp>

bullet Prof. Fabiano Gregolin professorfg@uol.com.br>

bullet dr joão alfredo kleiner dvm, msc especialista em oftalmologia e clínica cirúrgica geral acvo ophthalmology course wisconsin, madison ? 1998 e-mail: docjak@vetweb.com.br>

bullet UNESCO em Bruxelas, no dia 27 de janeiro de 1978>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletKing kong

bulletO cavalo de ferro (the iron horse)

bulletMato sem cachorro

bulletThe batman (1943)

bulletVinte mil léguas submarinas



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletO encantador de cães

bulletVira-lata? não! também sou cachorro

bulletOs segredos dos gatos tudo para entender e ensinar o seu companheiro

bulletUm gato entre os pombos

bulletUm gato indiscreto e outros contos

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos