Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Home Page > Notícias > Jovem baiana é primeira brasileira a ganhar prêmio global da onu sobre meio ambiente

Jovem baiana é primeira brasileira a ganhar prêmio global da onu sobre meio ambiente


src=

'A gente não esperava (o prêmio), foi uma grande surpresa. Agora, sabemos que não só vamos ter o retorno financeiro para investir no projeto, como também estamos abrindo portas para expandir a tecnologia para África, Ásia e outros países da América Latina', diz BeserraImagem: ONU Meio Ambiente

 

src=

Ricardo Senra

Da BBC Brasil em Londres

18/09/2019 16h42

"Eu diria ao presidente que, por favor, não desestimule a ciência e o empreendedorismo local. Se não houver estímulo, as pessoas vão se desmotivar", diz a vencedora à BBC News Brasil.

A baiana Anna Luisa Beserra, de 21 anos, acaba se tornar a primeira brasileira a vencer o prêmio Jovens Campeões da Terra, principal premiação ambiental das Nações Unidas para jovens entre 18 e 30 anos.

A homenagem acontecerá em um baile de gala marcado para o dia 26, durante a Assembleia Geral da ONU, em Nova York.

Acostumada a laboratórios químicos e termos científicos desde a adolescência, Beserra explica com simplicidade a invenção para aqueles nunca viram um tubo de ensaio na vida.

"A gente passa protetor quando vai à praia justamente para nos protegermos contra a radiação ultravioleta. Em humanos, ela causa câncer de pele. Mas, para vírus e bactérias, ela é letal. A gente aproveita a mesma radiação ultravioleta para fazer o tratamento na água, que passa a ser potável", diz.

Nascida em Salvador, Beserra começou a desenvolver a tecnologia aos 15 anos, em 2013, depois de ganhar uma bolsa para jovens cientistas oferecida pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), do governo federal.

De lá para cá, ela criou 10 versões distintas até chegar à tecnologia atual, que purifica água não potável usando a luz solar, sem produtos químicos ou filtros descartáveis.

Segundo a ONU, 1,8 bilhão de pessoas bebem água imprópria ao consumo humano no mundo. No Brasil, segundo dados divulgados neste ano pelo Instituto Trata Brasil, cerca de 35 milhões de pessoas não têm acesso a redes de água potável.

Batizado de Aqualuz, o dispositivo foi acoplado em fase de testes a cisternas na região do semiárido do nordeste brasileiro e já garante acesso a água limpa para 265 pessoas.

"Até o fim do ano chegaremos a mais 700", afirma. "É uma metodologia muito fácil e viável para estas regiões. O dispositivo dura 20 anos, em média, e só precisa ser limpo com água e sabão."

'Democratizar o acesso a água potável'

Vencedora da categoria América Latina e Caribe da premiação oferecida pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Beserra quer agora expandir a tecnologia para fora do Brasil.

"A gente não esperava (o prêmio), foi uma grande surpresa. Agora, sabemos que não só vamos ter o retorno financeiro para investir no projeto, como também estamos abrindo portas para expandir a tecnologia para África, Ásia e outros países da América Latina", diz.

"A meta é democratizar o acesso a água potável", prossegue a criadora do Aqualuz, que é capaz de limpar até 10 litros de água em 4 horas.

 

Dispositivo

Dispositivo foi acoplado a cisternas na região do semi-árido do nordeste brasileiro e já garante acesso a água limpa para 265 pessoas

Imagem: ONU Meio Ambiente

 

Agora elevada a uma das "ideias mais inovadoras e arrojadas para solucionar os desafios ambientais mais urgentes do nosso tempo", segundo a ONU, a solução criada pela jovem brasileira pode frear os impactos devastadores da nona principal causa de mortes em todo o mundo.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, só em 2016, 1,4 milhão de pessoas morreram em decorrência de doenças diarréicas contraídas pelo consumo de água contaminada.

A ONU aponta que estas mortes estão "diretamente ligadas à falta de água potável e à falta de saneamento e de acesso à higiene" e que os problemas atingem principalmente "populações jovens, vulneráveis ou que vivem em zonas rurais remotas".

Bolsonaro: 'Por favor, não desestimule a ciência'

Sobre a repercussão negativa da politica ambiental brasileira no exterior, criticada por especialistas e líderes mundiais em meio ao avanço do desmatamento e das queimadas, a jovem diz ver oportunidades.

"É triste, mas ao mesmo tempo isso gera uma visibilidade para o Brasil e a gente pode aproveitá-la de forma positiva", diz.

A reportagem pergunta o que Beserra diria ao presidente Jair Bolsonaro -- que estará em Nova York quando a jovem for premiada, caso a viagem presidencial à Assembleia Geral da ONU se confirme.

"Eu diria ao presidente que, por favor, não desestimule a ciência e o empreendedorismo local. Se não houver estímulo, as pessoas vão se desmotivar."

No início do mês, o CNPq anunciou que não pode garantir verbas para o pagamento de quase 80 mil bolsistas brasileiros a partir de setembro.

Primeira fonte de financiamento da jovem premiada pela ONU, o CNPq foi criado em 1951 para estimular pesquisas científicas no país com o pagamento de bolsas a alunos de graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado, além de projetos independentes.

Os cortes no investimento em educação vêm sendo criticados há meses. Em julho, sete ex-presidentes do CNPq escreveram uma carta conjunta, apontando que a "grave condição orçamentária e financeira da agência que coloca em risco décadas de investimentos em recursos humanos e infraestrutura para pesquisa e inovação no Brasil".

A brasileira pretende investir os US$ 15 mil (R$ 61,3 mil) que ganhará na premiação no projeto. Outros US$ 9 mil (R$ 36,7 mil) são oferecidos pela ONU para investimento em "comunicação e comercialização, além de formação, orientação e convites para participar de reuniões de alto nível da ONU".

Em todo o mundo, mil jovens se inscreveram no prêmio — que teve, além de Anna Luisa, outros seis vencedores ao redor do mundo. No total, 158 brasileiros se inscreveram — destes, outros três ficaram entre os 35 finalistas da premiação.



Fonte da Notícia: https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/2019/09/18/jovem-baiana-e-primeira-brasileira-a-ganhar-premio-global-da-onu-sobre-meio-ambiente.htm



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletA Cobra e a Rolinha

bulletQue País é Este

bulletBurro De Carga / Carga De Burro

bulletBaile da tartaruga zé gonzaga

bulletCobra Venenosa



Dicas Veterinárias:

bulletCães enxergam o mundo em azul e amarelo

bulletMusculatura dos equinos

bulletComo escolher o seu cão

bulletAnimais de estimação ajudam crianças a desenvolver habilidades sociais e emocionais

bulletMeus custos não param de subir!



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Claudia Leschonski Veterinária de Cavalos Blog http://leschonski.blog.terra.com.br/>

bullet Gabriel Guerreiro Qual quer dúvida ou sugesteatilde;o enbsp;estarei respondendo no email Gabriel_g_f@hotmail.com no twitter @AdestramentoDOG >

bullet Regina Incane Ito Médica Veterinária CRMVSP 4612 Paiquerê Pet Center Rua Eraldo Aurélio Franzese, 88 Paiquerê Valinhos SP FONE: (19) 38697743>

bullet Yara L. Schinzel Côrtes vetschinzel.blogspot.com.br>

bullet Marina Milos http://www.geocities.com/RainForest/6327/pag2.htm>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletNo olho do gato (dans l oeil du chat)

bulletV

bulletFlipper (1996)

bulletA vingança do homem chamado cavalo (the return of a man called horse)

bulletA morte anda a cavalo (da uomo a uomo / death rides a horse)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletGato que gostava de cenoura

bulletPássaros amarelos

bulletAtlas colorido de anatomia veterinária do cão e gato

bulletMarley e eu

bulletPassaros sao eternos, os

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos