Home Page > Notícias > Pesquisa identifica composto com potencial para tratamento da malária

Pesquisa identifica composto com potencial para tratamento da malária


 

Pesquisadores

Pesquisadores identificaram um composto capaz de interromper o ciclo de vida do parasita causador da maláriaImagem: iSTock

Camila Boehm

Da Agência Brasil

04/09/2019 09h46

Pesquisa feita por um grupo internacional de pesquisadores identificou um composto capaz de interromper o ciclo de vida do parasita causador da malária no corpo humano, impedindo a transmissão da doença para o mosquito vetor. Os resultados do estudo abrem caminho para que um novo medicamento contra a doença seja desenvolvido. O trabalho teve a participação de brasileiros, financiados pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de São Paulo).

A molécula denominada TCMDC-135051, sintetizada pela empresa farmacêutica GSK, conseguiu inibir uma proteína essencial para o ciclo de vida de três espécies de parasitas causadores da malária, sendo duas delas em circulação no Brasil. Mesmo o mais agressivo dos parasitas, Plasmodium falciparum, mostrou-se sensível ao composto.

Veja também

src=

Apesar dos esforços, a luta contra a malária está estagnada

src=

Quais doenças podem ser transmitidas por sexo oral?

src=

Quantas vezes é normal fazer xixi? Segurar é ruim? O cheiro indica algo?

"[De acordo com dados do ano passado] foram documentados mais de 190 mil casos de pessoas infectadas pela malária no Brasil, a grande maioria na região amazônica. O número de pessoas infectadas é bastante grande. A indústria farmacêutica mundial tem pouco interesse nesse tipo de doença porque os países são pobres e as doenças não são crônicas", disse Paulo Godoi, que realizou o trabalho de pesquisa no CQMED (Centro de Química Medicinal), da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

A malária é uma doença infecciosa febril aguda, causada por parasitas do gênero Plasmodium, transmitidos pela picada da fêmea infectada do mosquito Anopheles. O paciente com malária não é capaz de transmitir a doença diretamente para outra pessoa —é preciso que haja a participação do mosquito.

A ação do composto testado na pesquisa afeta o parasita em diferentes estágios de desenvolvimento, o que o torna mais eficiente. A substância tem eficácia tanto na fase assexuada do parasita, quando ele se prolifera dentro da célula humana e provoca os sintomas; quanto na fase sexuada, quando pode ser transmitido de volta para o inseto vetor e completa o seu ciclo, podendo infectar outras pessoas.

Os testes foram realizados com cultura de células in vitro e em animais. "In vitro mostrou a inibição da enzima, que o parasita morria dentro da célula, e in vivo mostrou a eliminação do parasita circulante no camundongo", disse Godoi. O resultado in vivo mostrou ainda a eliminação do parasita na corrente sanguínea após cinco dias de infecção.

O pesquisador explicou que há uma diferença importante entre a ação desse novo composto e dos medicamentos que já estão no mercado. "Essa molécula nova é bastante específica para eliminar o parasita sem, provavelmente, interferir em outras proteínas do corpo. Isso já é uma boa indicação de que efeitos colaterais no ser humano, se ocorrerem, devem ser pequenos", disse.

"A gente testou concentrações bem altas do composto contra a proteína humana e não viu qualquer tipo de interação entre as duas. Então, isso é uma boa indicação", acrescentou. Para ser considerada segura, uma molécula candidata a se tornar um medicamento não pode ter interferência com proteínas humanas.

Além da falta de interesse da indústria farmacêutica, outra barreira para a erradicação da malária é que o parasita tem adquirido resistência aos medicamentos existentes. "Dado o número de casos no Brasil e em outras partes do mundo, acho que é interessante sim a gente trabalhar com uma droga nova, também porque as drogas atuais não estão mais funcionando muito bem, os organismos [dos parasitas] estão se tornando mais resistentes e, por isso, fica mais difícil tratar as pessoas que forem infectadas".

O grupo de pesquisadores que realizou os testes integra a rede do SGS (Structural Genomics Consortium), consórcio internacional de universidades, governos e indústrias farmacêuticas para acelerar o desenvolvimento de novos medicamentos.



Fonte da Notícia: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/09/04/pesquisa-identifica-composto-com-potencial-para-tratamento-da-malaria.htm



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletFoi daquele jeito

bulletCrocodilo rico os figurantes

bulletSai cachorro charanga e chará

bulletCavalo de pau

bulletBurro Tem Que Comer Capim



Dicas Veterinárias:

bulletHipoplasia de esmalte

bulletVermes e vermífugos

bulletA importância da recompensa

bulletFérias e abandono

bulletVisão noturna dos cães



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Luciana Leite Ribeiro dos Santos Médica veterinária CRMVSP 8298 www.spaces.msn.com/members/vetemcasa lulrs@yahoo.com.br>

bullet Leila de Mello>

bullet Prof. Saulo Tadeu Lemos Pinto Filho>

bullet Helena Monkevic Casarin clinica veterinária Julius 19 996242435 Av. José Pancetti 887 Jd. Aurelia , Campinas/SP>

bullet Nayara Zonta, 56811999>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletO corcel negro

bulletMeu irmão virou um cachorro (mein bruder ist ein hund / my brother is a dog)

bulletThe wolf of wall street

bulletVinte mil léguas submarinas

bulletMamãe virei um peixe (hjælp, jeg er en fisk)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletAtlas colorido de anatomia veterinária do cão e gato

bulletAmazonas aguas, passaros, seres e milagres

bulletA perigosa vida dos passarinhos pequenos

bulletO gato que falava com fantasmas

bulletUm gato aprende a morrer

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos