Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Home Page > Notícias > Escola libera animais de estimação em sala de aula; conheça a iniciativa

Compartilhe em suas redes sociais:

Escola libera animais de estimação em sala de aula; conheça a iniciativa


 


Divulgação


Os alunos puderam até mesmo conhecer e interagir com um cão utilizado em terapiasImagem: Divulgação


Marcelo Testoni


Colaboração para Universa


18/12/2018 04h00


O número de animais de estimação abandonados no Brasil impressiona. Segundo a Organização Mundial de Saúde, são 30 milhões, entre 10 milhões de gatos e 20 milhões de cachorros --sujeitos a violência humana, riscos naturais e outros perigos.


Preocupado com esse cenário, o Colégio Marista, em Ribeirão Preto, no interior paulista, permitiu, ao longo deste ano, que os próprios alunos levassem seus bichos para dentro da sala de aula. O objetivo, explica Francina Dias, professora do 1º ano do Ensino Fundamental da escola, foi trazer para o ambiente educacional a discussão sobre a importância da solidariedade e do respeito aos animais.


Veja também



"A ideia partiu dos estudantes, que expressaram suas opiniões a respeito do tema 'fraternidade e superação da violência'. Na busca de soluções para diversas situações, eles escolheram atitudes pró-animais abandonados e vítimas de maus tratos", comenta.


Trabalho em equipe


O projeto iniciado no primeiro semestre de 2018 se estendeu até o último dia do ano letivo, 14/12. Segundo o colégio, se for do interesse dos estudantes e de outras turmas, continuará a ser desenvolvido também em 2019, mas sem ser uma obrigação. "É fundamental que o projeto nasça a partir dos interesses dos alunos, para que sejam críticos e saibam reivindicar seus interesses", observa a professora Francina.


 


Divulgação


Os animais recebem carinhos, cuidados e atençãoImagem: Divulgação


 


Neste ano, para que a iniciativa de levar os animais para dentro da sala de aula desse certo, foi preciso mobilizar, além dos estudantes, os pais e a comunidade escolar. 


Primeiro, os alunos formaram pequenos grupos, onde cada um dos integrantes recebeu uma tarefa. Entre elas, elaborar uma carta para o diretor do colégio solicitando a autorização de entrada dos animais na escola, organizar as datas e os dias das visitas, fazer divulgação sobre cuidados animais, solicitar arrecadações a serem doadas, partilhar a ideia com outras séries, funcionários da escola, vizinhos, familiares e planejar um espaço para desenvolver a campanha e receber os pets.


"Essas atividades levam os alunos a desenvolverem seu protagonismo e servem para estimular o processo do ensino-aprendizagem na alfabetização", explica a professora da turma. 


 


Divulgação


Os cães precisam ser dóceis e usar coleira para terem contato com as criançasImagem: Divulgação


 


Francina conta que mediou todo o processo com o apoio de uma estagiária, mas também foram envolvidos outros profissionais, desde o porteiro, que recebe os alunos e seus animais, até o diretor e a coordenadora pedagógica.


Já o transporte dos animais até o colégio ficou por conta dos pais, que também foram informados que os animais trazidos de casa não poderiam oferecer nenhum risco às crianças.


Aula descontraída, mas levada a sério


Tudo definido, o projeto mudou a rotina da escola. Pelo menos duas vezes por semana, seguindo a ordem alfabética da lista de chamadas da turma, ficou decidido que cada criança levaria seu animal de estimação para participar das atividades escolares em sala de aula. Quem não possuía um mascote teve a oportunidade de conviver com os bichinhos dos colegas.


 


Divulgação


Cada aluno leva seu mascote um dia na escola. São aceitos gatos, cães e até roedoresImagem: Divulgação


 


"A ideia é que todos aprendam a ter uma relação de respeito com os animais, troquem maneiras de cuidá-los e compreendam seus comportamentos e sentimentos para ajudar aqueles que são abandonados a superarem a violência sofrida. Dessa forma, os alunos também transferem essa vivência para as suas relações interpessoais", explica Francina Dias.


Em um momento durante a aula, com os alunos sentados em roda, os animais entravam na sala ou no espaço reservados a eles acompanhados de seus responsáveis, pais ou alunos.


Para participar desse tipo de dinâmica, os cães precisam ser dóceis e conduzidos na coleira; a mesma regra de temperamento vale para os gatos, que são trazidos na caixa de transporte. A segurança e o bem-estar de animais são levados em consideração. Os hamsters, por exemplo, são apresentados em gaiolas e os peixes, por serem mais sensíveis e difíceis de serem transportados, marcam presença na aula por meio de fotos e relatos de seus donos mirins.


"Nenhum animal presente é submetido a testes e as avaliações dos alunos são realizadas por meio de observações, perguntas e experiências compartilhadas em grupo. Ações como fazer carinho, passear com o gato ou cãozinho pelo colégio, oferecer água, entre outros, fazem o animal reagir de alguma forma e essas reações é que são compartilhadas", diz a professora.


Animais percebem os resultados 


A busca das crianças por maneiras de combater a violência contra animais as levou a desenvolver também uma campanha de doação para um abrigo de gatos de Ribeirão Preto.


"Promovemos uma ação com os voluntários da associação Só Gatinhos, que recolhe gatos abandonados nas ruas da cidade, para conscientizar os alunos do 1º ano e realizamos uma campanha para tentar ajudá-los", lembra Francina. 


De acordo com ela, os felinos foram recebidos na escola e os alunos, encantados, demonstraram interesse em adotá-los. Motivada pela ideia, uma aluna até resgatou uma cadelinha de rua, junto com sua família, e a levou para a escola para apresentar aos seus colegas de turma.


 


Divulgação


A escola também desenvolveu uma campanha de doação para um abrigo de gatosImagem: Divulgação


 


"Momentos assim são importantes porque esclarecem sobre o processo de adoção e revelam como esse gesto é importante na formação de cidadãos conscientes", conclui a professora.


Segundo a associação Só Gatinhos, em 2018 foram adotados mais de 90 gatos --alguns deles com a ajuda dos alunos. Atualmente, o abrigo disponibiliza para adoção mais algumas dezenas 



Fonte da Notícia: https://universa.uol.com.br/noticias/redacao/2018/12/18/escola-libera-animais-de-estimacao-em-sala-de-aula-conheca-a-iniciativa.htm



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletCobra Jibóia

bulletCachorro viralata baby do brasil

bulletNós, Os Gatos

bulletFaroeste cabloco

bulletRato de academia



Dicas Veterinárias:

bulletComo se iniciar na aquariofilia

bulletCuidado com a pelagem

bulletPneumonia (intersticial) em cães

bulletBrônquios estreitados em cães

bulletVómito em cães e gatos



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Prof. Saulo Tadeu Lemos Pinto Filho>

bullet Flávia Raucci Facchinihttp://www.infohorse.com.br/2018/05/07/a criacao de cavalos paixao e zelo/>

bullet Archivaldo Reche, professor de veterinária da USP.>

bullet Alexandre Cury Instrutor de Hipismo
centro hípico mirassol
(19) 32460423 ? 91322162
e-mail: mrpccury@uol.com.br>

bullet carlos alexandre pessoa
médico veterinário (11) 99112330 www.animalexotico.com.br>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletCondorman - o homem pássaro (condorman)

bulletPiranhas

bulletThe dark knight (2008)

bullet

bulletA verdadeira história do gato de botas (la véritable histoire du chat botté / the true story of puss n boots)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletOs passaros e suas doencas

bulletPássaros amarelos

bulletAtlas colorido de anatomia veterinária do cão e gato

bulletMais que um leao por dia

bulletO gato e a revolução

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos