Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Home Page > Notícias > É mais provável ser morto por cachorro ou raio do que por tubarão nos eua

Compartilhe em suas redes sociais:

É mais provável ser morto por cachorro ou raio do que por tubarão nos eua


Copie o texto da notícia direto neste espaço.


País lidera ranking de ataques de tubarão; brasileiro morreu em praia de Massachusetts



Em 181 anos, houve somente quatro ataques de tubarão no estado de Massachusetts, no qual o brasileiro Arthur Medici, 26, morreu no último sábado (15), após ser atacado pelo animal enquanto surfava. Foi a primeira morte na região por esse tipo de incidente desde 1936.


Mas, ao mesmo tempo, seguindo a tendência histórica, os EUA, em 2017, lideraram o ranking de ataques de tubarão não provocados. Foram 53 incidentes, mas nenhum deles resultou em morte.


Placa


Placa de perigo avisa sobre o avistamento recente de tubarões em Cape Cod, Massachusetts, onde brasileiro foi morto por tubarão - William J. Kole/AP


Depois dos EUA, Austrália e a Ilha Reunião (departamento ultramarino francês no oceano Índico, localizado a leste de Madagáscar) completam o top 3 de ataques em 2017 (veja lista abaixo).


Massachusetts está entre os estados que menos registram ataques —somente um em 2017 e quatro desde 1837. A Flórida é o local que mais tem incidentes. Foram 31 no último ano e 812 desde o início dos registros.


Segundo o National Park Service, um órgão do governo americano, Arthur provavelmente foi vítima de um tubarão branco. O brasileiro era de Vila Velha, no Espírito Santo, e morava em Revere, uma cidade de 53 mil habitantes em Massachusetts.


Ele tinha ido aos Estados Unidos para estudar engenharia e praticava atividades ao ar livre e esportes, como o surfe. No momento do ataque, ele estava na água com o irmão de sua noiva.


Os dados sobre os incidentes com tubarão são do Isaf (International Shark Attack File, ou arquivos internacionais de ataques de tubarão, em tradução livre), projeto que existe desde 1958 e que é sediado no Museu de História Natural da Flórida, parte da Universidade da Flórida, nos EUA.


ATAQUES DE TUBARÃO NÃO PROVOCADOS EM 2017


 


  1. Estados Unidos


    53

  2. Austrália


    14 (1 fatal)

  3. Ilha Reunião


    3 (2 fatais)

  4. Ilha de Ascensão


    2

  5. Bahamas


    2

  6. Costa Rica


    2 (1 fatal)

  7. Indonésia


    2

  8. África do Sul


    2

  9. Brasil


    1

  10. Ilhas Canárias


    1


No ano passado, o Isaf documentou um total de 155 casos de contato entre tubarões e pessoas. Desses, 88 foram ataques não provocados —incidentes que ocorrem no habitat do animal sem provocação humana. Outros 30 foram ataques provocados, nos quais a pessoa inicia o contato físico com o animal. Em meio a esses números, há casos em que o contato não pôde ser confirmado.


Os números de ataques não provocados em 2017 não fogem muito ao padrão dos últimos anos. Enquanto isso, 2015 apresentou o recorde desse tipo de incidente, com 98 casos.


Um ataque que resulta em morte é um fato ainda mais raro. A média é de seis mortes por ano e em 2017 foram somente cinco.


ATAQUES NOS EUA EM 2017


 


  1. Flórida


    31

  2. Carolina do Sul


    10

  3. Havaí


    6

  4. Califórnia


    2

  5. Massachusetts


    1


Para uma comparação rápida, considerando dados dos EUA, é mais provável ser morto por um cachorro —36,4 mortes ao ano entre 2001 e 2010, ante 11 mortes ao ano por tubarões em todo o período— ou por um raio numa área costeira —1.970 mortes entre 1959 e 2010, ou 38 ao ano, contra um total de 26 mortes após encontros com tubarão no mesmo período. 


Segundo o Isaf, a tendência das últimas décadas mostra que o maior número de ataques não provocados ocorre com pessoas que estão fazendo atividades de flutuação na água, como foi o caso de Arthur, que surfava.


O segundo grupo mais vitimado pelos ataques é o de banhistas ou pessoas praticando natação, seguidos pelos mergulhadores.


1 15


Para mergulhador, tubarões são dóceis


Minha


  1. O
  2.  
  3.  
  4.  
  5.  
  6.  
  7.  
  8.  
  9.  
  10.  
  11.  
  12.  
  13.  
  14.  
  15.  
  16.  
  17.  
  18.  
  19.  
  20.  
  21.  
  22.  
  23.  
  24.  
  25.  
  26.  
  27.  
  28.  
  29.  
  30.  

 


O fotógrafo e engenheiro marítimo Klaus Jost mergulha há anos ao lado de tubarões. Nesta foto, o tubarão-touro que ele apelidou de "vovó", devido a sua natureza dócil e relaxada/Klaus Jost


Compartilhe


LEIA MAIS


 


 


 


 



Voltar


  • Facebook
  • Whatsapp
  • Twitter
  • Messenger
  • Google
  • Pinterest
  • Linkedin
  • E-mail
  • Copiar link

Loading


Mesmo com o risco muito pequeno de um encontro ou ataque de tubarão, algumas dicas podem ajudar na prevenção. Segundo o Museu da Flórida, deve-se evitar ir para muito longe da costa, principalmente quando se está sozinho.


Deve-se evitar também estar dentro da água em horas de escuridão ou de crepúsculo, nos quais os tubarões estão mais ativos. Não é indicado entrar na água com cortes abertos sangrando e durante a menstruação também é necessário cuidado.


Águas com atividade de pesca também devem ser evitadas, assim como áreas com presença conhecida de tubarões.


Finalmente, em casos de ataque, a reação é importante. Acertar o focinho pode ajudar na interrupção do ataque. Atingir olhos e brânquias também pode ajudar.



Fonte da Notícia: https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2018/09/e-mais-provavel-ser-morto-por-cachorro-ou-raio-do-que-por-tubarao-nos-eua.shtml



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletEu nasci há dez mil anos atrás

bulletCobras essiele

bulletTeia da aranha virgem

bulletBoi soberano tião carreiro e pardinho

bulletCachorro quente wanderlei studio



Dicas Veterinárias:

bulletDoenças do coração do nó sinusal em cães

bulletO dente de lobo

bulletA caxumba em cães

bulletTudo sobre catarata

bulletLuxação em cães



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Mariana LageMarques Médica Veterinária graduada pela Universidade Paulista em 2002. Mestre em Cirurgia pela FMVZUSP em 2008. Sócia Fundadora ABOV (Associação Brasileira de Odontologia Veterinária), 2002. Faço atendimento odontológico móvel. >

bullet Rosmeire de O.S.Jacinavicius CRMVSP 21580 Médica Veterinária acupunturista tel: 19 999971911 email: stuffzinha@gmail.com>

bullet O Clube Pet Memorial está localizado na Avenida Sadae Takagi, 860, em São Bernardo do Campo, no Grande ABC, acesso pelo km 20 da Rodovia dos Imigrantes, telefones (11) 4343.0000 e (13) 3222.2949, 0800.772.8885 site www.petmemorial.com.br>

bullet >

bullet Juliane Seixas Juliane Seixas Website.: www.facebook.com/veterinariadrajulianeseixas Graduada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUC/PR. Atua como plantonista na área clínica e cirurgica de animais de companhia CRMV: 11430 / PR Cont>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletNetto e o domador de cavalos

bulletO favor, o relógio e o peixe muito grande (the favour, the watch and the very big fish)

bulletO cachorro bombeiro (firehouse dog)

bulletThe batman (1943)

bulletRin tin tin - o filme



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletO gato de botas

bulletPassaro-camaleao, o

bulletUm gato entre os pombos

bulletEnfermidades dos cavalos

bulletO encantador de cães

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos