Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Home Page > Notícias > Governo do estado mira região de araçatuba para criar peixes

Compartilhe em suas redes sociais:

Governo do estado mira região de araçatuba para criar peixes


 


Temos

'Temos o desafio de transformar São Paulo no maior produtor de piscicultura do País', afirma Emerson Esteves


14 áreas estão pré-selecionadas para parques aquícolas




A região do Baixo Tietê concentra 14 áreas pré-selecionadas pelo governo estadual que podem ser transformadas em parques aquícolas. Juntos, os espaços demarcados têm a capacidade de produzir 68 mil toneladas de pescado, segundo o pesquisador Luiz Marques da Silva Ayroza, diretor técnico do Instituto de Pesca, vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. 


O potencial de expansão da aquicultura regional foi uma das informações apresentadas em evento realizado pelo Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) Alta Noroeste na manhã de segunda-feira (18), em Araçatuba, com debates sobre pesquisas, mercado, processos de implantação e desenvolvimento da prática. O objetivo da reunião foi difundir a aquicultura e a piscicultura na região.


"É uma grande oportunidade para a área do Baixo Tietê e aqui foram colocadas todas as principais vantagens de o empresário receber esse projeto na região", afirma Ayroza. 
Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), a região de Araçatuba produziu 2.649 toneladas de tilápia, em 2016.


QUALIDADE
Ayroza esclarece que o reservatório Três Irmãos, no Baixo Tietê, foi escolhido para ser o primeiro a ter áreas demarcadas para estudos sobre potenciais parques aquícolas devido à qualidade elevada da água no local, que o torna propício para a criação de peixes em cativeiro. Foram excluídos pontos do reservatório pouco aptos para a aquicultura devido à presença da captação de água, esgoto ou macrófitas. 


Os 14 trechos pré-selecionados receberão uma equipe do Instituto da Pesca na segunda quinzena de janeiro para que seja concluída uma análise sobre quais dessas áreas realmente poderão receber o programa estadual de parques aquícolas. Os dados primários levantados nos espaço serão encaminhados para a Cetesb, que licenciará os parques. Depois disso, o governo elaborará editais de licitação que serão abertos ao público.


Produtores de qualquer porte poderão participar. Segundo Ayroza, a secretaria estadual de agricultura pretende aproximar a pesquisa sobre aquicultura com o setor produtivo, promover o agronegócio familiar trazendo uma alternativa para o pequeno e médio produtor do Baixo Tietê, além de incentivar uma alimentação mais saudável alavancando a produção e consumo de peixes.


O pesquisador destaca que o planejamento do projeto foi realizado pelo Instituto de Pesca, atendendo decreto de 2016 que regulamentou os procedimentos para o licenciamento ambiental da aquicultura. 


PREVISÃO
O dirigente da assessoria técnica da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, José Luiz Fontes, explica que as áreas pré-selecionadas foram apresentadas em setembro e que a previsão é de que os chamamentos públicos sejam abertos no primeiro semestre de 2018. "É do nosso interesse que investidores da região participem. Quanto mais o pessoal daqui se interessar, melhor para a região, já que os parques podem dinamizar a economia local, trazer novos negócios, empregos e renda", disse à Folha. 


O diretor do Ciesp Alta Noroeste, Samir Nakad, enxerga a aquicultura como uma oportunidade de investimento. "A gente pode oportunizar uma série de negócios na produção, na indústria de transformação, na educação e no setor de frigoríficos, além de introduzir uma alimentação mais saudável ao morador", afirma Nakad. De acordo com ele, o trecho do Baixo Tietê com as 14 áreas pré-selecionadas vai de Andradina a Araçatuba. 



Entidades buscam elevar produção no Brasil e em SP


Segundo o presidente da Peixe BR (Associação Brasileira da Piscicultura), Francisco Medeiros, um dos palestrantes do evento, atualmente o Brasil consome dois quilos de peixe importados por ano, o que equivale a aproximadamente R$ 4 bilhões aplicados em compras de pescados do exterior. 


Em 2016, a piscicultura nacional produziu 640 mil toneladas, gerando uma renda de R$ 4,3 bilhões, ou seja, quase o mesmo valor investido na importação, de acordo com ele. "Ao todo, o Brasil consome 9,2 kg de pescados por habitante ao ano, incluindo produtos da piscicultura nacional. É muito pouco quando se pensa que o consumo anual de frango per capita é de 45 kg." Medeiros lembra que no passado, a carne da ave era considerada nobre e cara. Por isso, o frango fazia parte do cardápio das famílias brasileiras, principalmente nas refeições de finais de semana, o que foi superado.


A associação busca promover um processo parecido com os pescados. "Nós precisamos trazer o peixe para o almoço de terça-feira, como acontece hoje com o frango e o bife bovino." Medeiros destaca que o aumento de consumo só será possível com a entrada de novos empresários no negócio.


MERCADO
De acordo com presidente da Peixe BR, se cada habitante do País passar a comer mais um quilo de pescado por ano, será necessário produzir mais 200 mil toneladas de peixe. O produtor de tilápia Emerson Esteves, presidente da Peixe SP (Associação de Piscicultores em Águas Paulistas e da União), conta que São Paulo é o maior mercado consumidor de pescados do País, contudo a guerra fiscal com estados vizinhos prejudica a venda da produção. 


Segundo ele, 80% dos peixes do Paraná, principal estado produtor em cativeiro do Brasil, são vendidos para São Paulo. Ele considera a criação de parques aquícolas estaduais um avanço. "Nós temos o desafio de transformar São Paulo no maior produtor de piscicultura do País em cinco anos."



Fonte da Notícia: http://www.folhadaregiao.com.br/regi%C3%A3o/governo-do-estado-mira-regi%C3%A3o-de-ara%C3%A7atuba-para-criar-peixes-1.380435



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Dicas de Profissionais do ramo pet e agropecuário:


bulletEstudo comparativo entre as técnicas de esfregaços de punção espl?nica e de sangue periférico para diagnóstico laboratorial de babesia equina na regi?o de jundiaí

bulletImportÂncia das midias na filtragem de aquários

bulletAdestramento de gatos

bulletModalidade equestre atrelagem

bulletTreinamento básico do yorkshire


Ver todas as Dicas de Profissionais



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores



bullet Prof. Saulo Tadeu Lemos Pinto Filho

bullet Nome, Telefones, Endereço, Email, Website, facebook ou outras redes sociais

bullet Pedro Lauane Barbosa Campioni VET HOME clinica veterinária e banho e tosa vinhedosp (19) 38865677

bullet Virgínia Figuerôa (11) 55061144 / virginia@ecco.inf.br

bullet Rafael Claro Marques (CRMVSP 18.849) é médico veterinário e pósgraduado em Clínica Médica de Pequenos Animais dr.rafael@clinicapontegrande.com.br

Ver todas as Dicas dos Colunistas

Letras de Música com temas Animais:


bulletChovendo na roseira

bulletSucuri

bulletNelore valente

bulletPolícia, bandido, cachorro, dentista sérgio sampaio

bulletIncompatibilidade de gênios

Ver todas as Letras de Músicas

Cinema, Filmes e Seriados:


bulletNo olho do gato (dans l oeil du chat)

bulletO corcel negro

bulletO cachorro que salvou o natal (the dog who saved christmas)

bulletGodzilla

bulletO dia do gato


Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletO cachorro e o lobo

bulletA perigosa vida dos passarinhos pequenos

bulletLivro definitivo de dicas e sugestoes de jardinagem

bulletUrologia e nefrologia do cão e do gato

bulletCrianca, cachorro que fala!

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos