Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Home Page > Notícias > Resultados são de novembro; segundo lacen, não há suspeita de raiva em humanos

Compartilhe em suas redes sociais:

Resultados são de novembro; segundo lacen, não há suspeita de raiva em humanos


O Laboratório Central de Saúde Pública Professor Gonçalo Muniz (Lacen-BA) emitiu um alerta epidemiológico de raiva animal após a confirmação de três casos de raiva em animais desde novembro na Bahia. De acordo com o alerta, as ocorrências em Feira de Santana, no Centro-Norte do estado, e em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), comprovadas esta semana, envolveram dois cachorros. 


A situação em Feira de Santana envolveu até uma criança, que chegou a ser mordida pelo animal, mas não contraiu a doença. Já em Catu, no Recôncavo do estado, houve o caso de um gato contaminado com o vírus da raiva e confirmado em novembro. Mesmo assim, apesar dessas ocorrências, a diretora do Lacen, Zuinara Maia, reforçou que não há nenhuma suspeita de raiva em humanos na Bahia. 


“Não temos nenhum caso humano. Teve um cachorro positivo e, assim que o resultado saiu, tanto o município quanto a vigilância epidemiológica foram acionados para o bloqueio vacinal na área”, explicou Zuinara, ao CORREIO, nesta sexta-feira (15). De acordo com ela, se houver algum incidente com animal que não se sabe se foi vacinado ou não, é preciso entrar com o protocolo de exposição, que é a vacina e o soro antirrábicos. 


Inclusive, profissionais que estiverem expostos ao contato com esses animais devem ser vacinados e monitorar a imunidade periodicamente, através de exames de sangue. No caso dos animais cuja raiva foi confirmada, uma das possibilidades é de que tenham sido mordidos por algum morcego que tinha a doença. 


Morcegos
Tanto em Lauro de Freitas, quanto em Feira de Santana, há registro histórico de raiva em animais silvestres – como morcegos. Em novembro, também chegaram ao Lacen três morcegos para teste de raiva – dois de Feira de Santana (um no dia 8, outro no dia 13) e um de Lauro de Freitas (no dia 28). 


Eles já passaram pelo exame da imunofluorescência, que analisa o cérebro do animal. Os resultados, que ficam prontos em até 48 horas, foram negativos para a doença. No entanto, os morcegos aguardam os resultados do segundo exame – a prova biológica, que inocula o vírus em seis camundongos. Esses animais ficam isolados de outros e seguem em observação para ver se manifestam algum sintoma. 


“O que não é comum é ter um animal doméstico com raiva (caso de cães e gatos). Por conta dessa identificação animal, a gente percebe que houve falha no processo de prevenção, que é a vacinação, ou os donos não vacinaram. E são animais que circulam em ambientes externos”, diz.


De acordo com ela, vacinar pelo menos 80% dos cães e gatos anualmente pode garantir um bloqueio efetivo da doença, evitando que o vírus alcance a população. Segundo o alerta, logo após a confirmação de um caso de raiva em animais domésticos, cabe à secretaria de saúde local: realizar busca ativa no local do foco para detectar possíveis animais suspeitos, avaliar a necessidade de encaminhar pessoas à vacinação e orientar a população. 


Diagnóstico
Se houver alguma morte de animal doméstico ou de morcegos, uma amostra deve ser encaminhada ao Lacen. Caso não seja possível fazer a coleta do material, é possível enviar a cabeça ou o animal inteiro, se for de pequeno porte. Todo o material deve ser coletado por um profissional especializado, que esteja habilitado e imunizado, seguindo as regras de biossegurança. 


O material para diagnóstico deve ser acondicionado em um saco plástico duplo, vedado hermeticamente, identificado de forma legível. Depois que a amostra for embalada e identificada, deverá ser colocada em uma caixa de isopor com gelo suficiente para que chegue conservada ao seu destino. 


“A raiva é uma doença de emergência em saúde pública. Quando identificamos o animal com raiva, fazemos todo o movimento em conjunto – estado e município – para evitar que haja algum caso humano”


Histórico no estado
O último caso de morte por raiva humana registrada no estado ocorreu, segundo a diretora do Lacen, no dia 6 de março deste ano em Salvador. A vítima foi um lavrador de 46 anos, morador do município de Paramirim, no  Centro-Sul, que morreu no Hospital Couto Maia depois de pisar em um morcego contaminado. Segundo ela, ela procurou atendimento cinco dias depois do contato com o animal. Antes disso, a última morte havia sido em julho de 2004.


"O óbito depende muito do servço de saúde prestado. O protocolo é de quase 100% de êxito, porque você foi exposto ao vírus, mas ele ainda não causou a doença", explica Zuinara. 


Em nota, o Ministério da Saúde informou que, em 2016, houve dois casos de raiva humana registrados no país, nos estados de Roraima e Ceará. Neste ano, até o momento, foram cinco casos, sendo um em Pernambuco, um em Tocantins, um na Bahia e dois no Amazonas. Ainda segundo a pasta, municípios com registro de raiva canina são considerados como área de risco.


O ministério informou que, neste ano, 1,3 milhão de vacinas antirrábicas foram distribuídas no país, sendo 137 mil para a Bahia.



Fonte da Notícia: http://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/raiva-laboratorio-confirma-doenca-em-dois-cachorros-e-um-gato-no-estado/



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletHomem-aranha

bulletSereníssima

bulletBoi soberano

bulletPonbinha branca

bulletA galinha pintadinha 3



Dicas Veterinárias:

bulletA água, ph x gh x kh

bulletIdentificação e cuidados com a égua gestante

bulletO que É o team penning

bulletDiabetes em cães e gatos

bulletGatinho que sobe na pia



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Monica Marvo Cel: 985728281 Atendimento em domicílio, clínicas, centros diagnósticos e hospitais. >

bullet Dr. Carmello Liberato Thadei Médico Veterinário CRMV SP 0442  São José do Rio Preto SP>

bullet Dr. Luiz Bolfer formou se em Medicina Veterinária no Brasil e mudou se para os Estados Unidos para se especializar em Cardiologia, Emergência e Cuidados Intensivos em cães e gatos. Completou 12 meses de Internato em Clínica Médica e Cirúrgica Veterin>

bullet ana cláudia de souza andrade gatil gatto dimaili rua tarobá,95 - jdmaria luiza - cascavel, pr fones: (45)222-8797/9965-9935 >

bullet Darvin: darvin@adestradorpessoal.com.br http://www,adestradorpessoal.com.br>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletMulher-gato (catwoman)

bulletUm hotel bom pra cachorro (hotel for dogs)

bulletErnest e célestine

bulletSoltando os cachorros (the shaggy dog)

bulletUm natal bom pra cachorro (chilly christmas)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletO gato que falava com fantasmas

bulletEnfermidades dos cavalos

bulletPassaros sao eternos, os

bulletUm gato indiscreto e outros contos

bulletFalando de passaros e gatos

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos