Home Page > Dicas Veterinárias > Doença renal policística em cães

Doença renal policística em cães


Doença do rim policístico é uma doença em que grandes porções de par?nquima renal, o tecido funcional dos rins que normalmente são diferenciados, são deslocadas por múltiplos cistos.

Um cisto é um saco fechado que podem estar cheios de ar, fluido, ou material semi-sólido. Desenvolver cistos renais na pré-existentes nephrons em ; as células funcionais de filtragem do tecido renal em ; e nos dutos coletores. Invariavelmente, a doença tanto dos rins do cão.

Embora a doença renal policística não é geralmente imediatamente com risco de vida, ela deve ser tratada o mais cedo possível para evitar a progressão cisto e desenvolvimento de infecção bacteriana secundária, qualquer um que pode levar á sepse, a presença de pus-formando organismos tóxicos no sangue.

Cães e gatos podem desenvolver doença renal policística, com algumas raças mais susceptíveis do que outros. Por exemplo, o Cairn Terrier e Beagle são mais frequentemente afetados por esta doença nos rins do que outras raças.

Se você gostaria de saber como esta doença afeta gatos, visitee esta página na biblioteca saúde PetMD.

Sintomas e tipos de

Doença renal policística pode ser difícil de detectar nas fases iniciais. Os cistos permanecem muitas vezes despercebidos até que se tornem grandes e numerosos o suficiente para contribuir para a insufici?ncia renal ou um aumento do abdómen. A maioria dos pacientes não apresentam nenhum sintoma durante os estágios iniciais da formação de cistos e crescimento.

Uma vez que a doença tenha progredido, bocelamento (grumoso) rins podem ser detectados. Isto é descoberto durante uma palpatation abdominal, em que os músculos abdominais se contorcer incontrolavelmente.

A maioria dos cistos renais não são dolorosas, assim que o cão pode não apresentar qualquer desconforto, mas a infecção secundária associada ao cistos podem resultar em desconforto depois.

Causas

Os estímulos exata para cistos renais não é precisamente conhecida. Genético, Ambiental, e fatores endógenos parecem influenciar o desenvolvimento desta doença.

Compostos endógenos que são acreditados para contribuir para o desenvolvimento de cisto incluem o hormônio da paratireóide (um hormônio secretado pelos hormônios da paratireóide do sistema endócrino) e vasopressina (um hormônio peptídeo sintetizado na área do hipotálamo do cérebro).

Diagnóstico

Um procedimento de diagnóstico que podem ser usados se a doença renal policística é suspeito é uma avaliação dos fluidos aspirados com agulha fina através do rim (em que o líquido é removido através de agulha), que podem ajudar a identificar a origem dos cistos.

Procedimentos adicionais de diagnóstico que podem ser necessárias incluem ultra-sonografias abdominais, que pode revelar a presença de cistos em alguns órg?os, uma análise de urina, e um exame do líquido cística. A cultura bacteriana de fluidos cisto pode ser feito para determinar se a infecção secundária desenvolveu e precisa ser tratada. Hipertensão, ou pressão arterial elevada, também podem estar presentes.

Se a doença renal policística não é a causa dos sintomas do cão, diagnósticos alternativos podem incluir um crescimento de células artificiais, tais como tumor no rim, insufici?ncia renal, e uma variedade de outras doenças císticas dos rins.

Tratamento

Eliminação de cistos renais não é possível neste momento, Assim, o tratamento é muitas vezes limitado a minimizar as consequuml;?ncias da formação de cistos, tais como infecção nos rins. Remoção periódica de líquido a partir de grandes cistos renais com uma agulha (um processo conhecido como aspiração) pode ser usado para minimizar a dor e reduzir o volume de cisto, e uma série de medicamentos podem ser prescritos para lidar com os sintomas e complicações secundárias, tais como infecção bacteriana.

Prevenção

Porque a causa exata da doença do rim policístico é desconhecida, não há nenhuma medida específica de prevenção que podem ser tomadas. Reprodução seletiva, contudo, pode reduzir a diversidade genética, aumentando assim a frequ?ncia de outros indesejáveis características hereditárias em raças afetadas.



internet

O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados

Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletCachorro Perigoso

bulletCachorro quente wanderlei studio

bulletPlaneta Água

bulletcerol na mão

bulletCê topa?



Dicas Veterinárias:

bulletSindrome do navicular

bulletInflamação da boca e úlceras (crônico) em cães

bulletTratamento da dor toracolombar

bulletÚlceras estomacais e intestinais em cães

bulletHiperadrenocorticismo canino (doença de cushing)



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Virgínia Figuerôa (11) 55061144 / virginia@ecco.inf.br>

bullet Marina Milos http://www.geocities.com/RainForest/6327/pag2.htm>

bullet Sérgio Villa Santi>

bullet Camila Mello, adestradora franqueada da C?o Cidad?o>

bullet Salvador St.Aubyn Mascarenhas Médico Veterinário www.vetcondeixa.pt Pelos Animais>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletComo cães e gatos (cats e dogs)

bulletBenji - o filme

bulletThe dark knight (2008)

bulletOs pássaros 2 - o ataque final (the birds ii: land s end)

bulletGodzilla



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bullet4 vidas de um cachorro

bulletCrianca, cachorro que fala!

bullet97 maneiras de fazer seu cachorro sorrir

bulletO gato que tocava brahms

bulletMemorias de um gato

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos