Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Dicas Veterinárias > Baixa temperatura corporal em cães

Compartilhe em suas redes sociais:

Baixa temperatura corporal em cães


Hipotermia em cães

A hipotermia é uma condição médica que se caracteriza por uma temperatura corporal anormalmente baixo. Ele tem tr?s fases: suave, moderado, e grave. Hipotermia leve é classificado como uma temperatura corporal de 90 99deg;F (ou 32 35deg;C), hipotermia moderada a 82 90deg;deg; F28 32deg;C), e hipotermia grave é qualquer temperatura inferior a 82 deg; F (deg; C#65533;C). A hipotermia ocorre quando o corpo de um animal não é mais capaz de manter a temperatura normal, causando uma depressão do sistema nervoso central (CNS). Pode também afetar o coração eo fluxo de sangue (cardiovascular), respiração (respiratório), eo sistema imunológico. Um batimento cardíaco irregular, dificuldade para respirar, e alterações da consci?ncia, a ponto de coma pode resultar.

Sintomas e tipos de

Sintomas de hipotermia variam de acordo com o nível de gravidade. Hipotermia leve é evidente por fraqueza, tremores, e falta de agilidade mental. Hipotermia moderada revela características como rigidez muscular, pressão arterial baixa, um estado de stupor-like, e superficial, respiração lenta. Características de hipotermia grave são pupilas fixas e dilatadas, batimento cardíaco inaudível,dificuldade em respirar, e coma.

Causas

A hipotermia ocorre normalmente e em temperaturas frias, apesar de recém-nascidos podem sofrer hipotermia em temperaturas normais ambientais. Raças menores e animais muito jovens, mais propensas á perda de superfície rápida de calor do corpo, estão em maior risco, como são velhos (geriátrica) animais de estimação. Animais sob anestesia também estão em maior risco.

Outros fatores que podem aumentar o risco são a doença do hipotálamo, a parte do cérebro que regula o apetite a temperatura do corpo, e hipotireoidismo, uma condição caracterizada por baixos níveis de hormônio tireoidiano no organismo.

Diagnóstico

Se houver suspeita de hipotermia, temperatura corporal do seu cão será medido com um termômetro ou, em casos graves, com uma sonda retal ou de sôfago. Irregularidades na respiração e os batimentos cardíacos também será verificada. Um eletrocardiograma (ECG), que registra a atividade elétrica do coração, pode determinar o estado cardiovascular do seu cão.

Um exame de urina e sangue testes são comumente usados para diagnosticar as causas alternativas para a temperatura do corpo abaixo do normal e aus?ncia de resposta. Estes testes podem revelar baixo açúcar no sangue (hipoglicemia), distúrbios metabólicos, cardíaca primária (cardíaco) doença, ou anestésicos ou sedativos no sistema do seu cão.

Tratamento

Hipotérmica animais estão ativamente tratados até uma temperatura normal do corpo é atingida. Movimento deve ser minimizada para evitar perda de calor adicional e um batimento cardíaco irregular potencialmente mortal (arritmia cardíaca) enquanto o paciente está sendo aquecido. Durante o reaquecimento, uma queda inicial da temperatura do corpo pode ser esperado, como o contato é feito entre os mais quentes "core" do sangue da superfície do corpo frio.

Hipotermia leve pode ser tratada de forma passiva, com isolamento térmico e cobertores para evitar a perda de calor mais, enquanto hipotermia moderada requer ativos externos re-aquecimento. Isso inclui o uso de fontes de calor externo, como o calor radiante ou aquecedores, que pode ser aplicado a torso do seu cão para aquecer o seu "core". A camada protetora deve ser colocado entre a pele do cão e da fonte de calor para evitar queimaduras. Para hipotermia grave, aquecimento central invasivo será necessário, tais como a administração de nemas de água morna e quente intravenosa (IV) fluidos.

Tratamentos adicionais, essenciais, especialmente para hipotermia grave, incluem aparelhos de respiração, como oxig?nio, que pode ser administrado com uma máscara facial, e fluidos IV para apoio volume de sangue. Todos os líquidos devem ser aquecidos primeiro, para evitar perda de calor mais.

Gestão

Durante o tratamento, temperatura do corpo do paciente, pressão arterial, e os batimentos cardíacos devem ser monitorados. Também é importante verificar a frostbite, outro risco que podem se desenvolver em temperaturas frias.

Prevenção

A hipotermia pode ser prevenida por evitar a exposição prolongada a baixas temperaturas. Isto é especialmente importante para os cães que são considerados em situação de risco. Fatores que aumentam o risco de um animal para hipotermia incluem a idade muito jovem ou velho, baixa gordura corporal, doença hipotalâmica ou hipotireoidismo, e anestesia e cirurgia anterior.

Cães doentes ou recém-nascido com baixo açúcar no sangue (hipoglicemia) estão em risco de hipotermia, mesmo em ambientes normais. Cuidados de longo prazo podem ser necessárias, como incubação para manter a temperatura corporal estável. Prevenção de hipotermia em animais anestesiados exige manter o aquecimento de animais com cobertores e acompanhamento da sua temperatura corporal após a cirurgia.



internet

O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados

Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletPlaneta Sonho

bulletOlímpico por natureza todo mundo se encontra no rio

bulletNegro gato

bulletCachorro tchakabum

bulleta Dona Aranha



Dicas Veterinárias:

bulletSistema imunológico fraco, devido ? doença hereditária em cães

bulletO fantasma da crise

bulletEducação aprenda os primeiros passos para a educação e o adestramento de seu cão

bulletHigienização

bulletDieta vegetariana para cães e gatos



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Ciro Pinheiro Mathias Franco Medico Veterinário atuante em odontologia eqüina. Cel. (11) 98146666 Email: ciromedvet@ig.com.br>

bullet marcello alonso criador de cães pelo canil lord manske, cinófilo, juíz de raças, educador e comportamentalista canino >

bullet Kadu Camargo Professor da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, responsável pelo G.E.R.E. (Grupo de Estudos em Reprodução Equina PUCPR); Doutorando do Programa de Pós Graduação em Medicina Animal: Equinos, na área da Reprodução Equina da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul). E mail: kaducamargo@gmail.com Leia mais sobre esse assunto em https://www.revistahorse.com.br/imprensa/cuidados durante a gestacao de eguas os primeiros 60 dias sao os mais criticos/20170410 175102 j086>

bullet Magda Izidio de Souza, Médica Veterinária>

bullet Dra Renata Avancini Médica veterinária, formada pela Universidade de Santo Amaro em 2007. Mestre e Doutora em Ciências pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Universidade de São Paulo (USP), em 2009 e 2012 respectivamente. Graduada em 2014 no Curso de Especialização em Produção e Sanidade de Animais de Biotério pela FMVZ USP. Experi?ncia em clínica geral, medicina regenerativa, biotecnologia com concentração em células tronco e experi?ncia em doc?ncia na disciplina de Anatomia dos Animais Domésticos. Professora de Anatomia Veterinária da Faculdade das Metropolitanas Unidas (FMU) e na Universidade Paulista (UNIP). Médica veterinária na CURAVET. Contato: contato@curavet.com.br>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletO encantador de cavalos / o senhor dos cavalos (the horse whisperer)

bulletGatos numa roubada (tomcats)

bulletO gato e o violino (the cat and the fiddle)

bulletConfusão pra cachorro (dog gone)

bulletUm homem chamado cavalo (a man called horse)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletVira-lata? não! também sou cachorro

bulletVida de cão

bulletA perigosa vida dos passarinhos pequenos

bulletNosso planeta verde - 100 ótimas propostas para trabalhar na educação infantil

bulletUrologia e nefrologia do cão e do gato

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos