Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Dicas Veterinárias > Doenças de pele de alergias em cães

Compartilhe em suas redes sociais:

Doenças de pele de alergias em cães


Eosinophilic granuloma complex in dogs

Em cães, o complexo granuloma eosinofílico é um termo ás vezes confuso por tr?s síndromes distintas que causam a inflamação e irritação da pele:

Placa eosinofílica circunscrito, levantado, rodada a lesões oval que frequentemente são ulceradas. Eles geralmente estão localizados no abdômen ou coxas. Estas lesões cont?m um tipo de glóbulo branco chamado eosinófilo.
Granuloma eosinofílico uma massa ou lesão nodular contendo eosinófilos normalmente e encontrados na parte de trás das coxas, na face, ou na boca.
Úlcera indolente - circunscrito, lesões ulceradas mais frequentemente encontrados no lábio superior.

Eosinofílica refere-se a eosinófilos, um tipo de glóbulos brancos geralmente nvolvidas em respostas alérgicas. Granuloma é um grande nódulo inflamatório ou massa sólida. E um complexo é um grupo de sinais ou doenças que t?m uma característica identificável que os torna semelhantes de alguma forma.

Note-se que em cães, granulomas eosinofílicos são raros e não são parte do complexo granuloma eosinofílico. granulomas eosinofílicos ocorrem em cães e outras espécies, eles não são considerados parte do complexo granuloma eosinofílico. complexo granuloma é restrita a gatos. Contudo, cães podem ser atingidas com granulomas eosinofílicos, e que será abordado aqui.

Placa eosinofílica está circunscrito, levantado, arredondado a oval lesões que frequentemente são ulceradas e, geralmente, aparecem no abdômen ou coxas. Ase lesões cont?m um tipo de glóbulo branco chamado de osinófilos e geralmente aparecem entre as idades de dois e seis anos. Geneticamente iniciado granuloma eosinofílico será visto em cães que t?m menos de dois anos de idade.

Doenças alérgicas geralmente se desenvolvem depois que um cão tenha atingido a idade de dois, com alergia relacionada com granuloma eosinofílico se tornando aparente antes do cão chegou a tr?s anos de idade.

A genética é desconhecida, apesar de vários relatos indicam que em pelo menos alguns indivíduos, susceptibilidade genética (talvez resultando em uma disfunção hereditária de osinófilos) é um componente significativo da doença. Com granuloma eosinofílico em cães, Huskies siberianos são responsáveis por 76 por cento dos casos, e até mmake 72 por cento dos casos de granuloma eosinofílico em cães afetados.

Sintomas e tipos de

Les?es de mais de uma síndrome pode ocorrer simultaneamente. Em cães, você pode notar um ou mais massas ulceradas que são grossos com um topo plano, e que aparecem de cor escura ou laranja.

Placas eosinofílica:

Circunscrito, levantado, volta para lesões ulceradas frequentemente oval
Placas úmidas ou brilhantes (podem ter aumento dos gânglios linfáticos)
Abdômen
Perto do peito
Área interna da coxa
Perto do ânus
Sob as patas dianteiras
Perda de cabelo
Pele vermelha
Erosóes

Granulomas eosinofílicos:

Orientação linear
Parte posterior da coxa
Les?es múltiplas unindo
Grosseiro, padr?o de calçada
Branca ou amarela
Lábio ou queixo inchaço (edema)
Footpad inchaço
Dor
Claudicação

Úlcera indolente:

Úlceras da boca
Encontrados no lábio superior
Dentro da cavidade oral, úlceras nas gengivas
Margens ligeiramente levantada
Não-sangramento
Geralmente indolor
Pode se transformar em uma forma mais maligna cancerosas (carcinoma)

Causas

Não-específica alergias
Reação de hipersensibilidade alérgica
Alergia alimentar
Pulgas
Insetos
Predisposição genética

Diagnóstico

Seu veterinário irá realizar um exame físico completo em seu cão. Você vai precisar dar uma história completa da saúde do seu cão, início dos sintomas, e possíveis incidentes que possam ter precedido esta condição, como uma reação alérgica ou infestação de pulgas. Qualquer informação que você tem sobre os antecedentes genéticos do seu cão também pode ser útil no diagnóstico do distúrbio. Seu veterinário irá pedir um perfil químico no sangue, um hemograma completo, um painel de eletrólito e um exame de urina, como parte do processo de diagnóstico.

O exame físico deve incluir um exame dermatológico, durante o qual biópsias de pele para um estudo histopatológico ser?o tomadas. Raspado de pele também será examinada microscopicamente cultivadas para a presença de bactérias, micobactérias e fungos. Manchas impressão das lesões também devem ser tomadas.

Tratamento

A maioria dos cães podem ser tratados em nível ambulatorial, a menos que a condição é grave está causando o desconforto cão grave.

Um ensaio de alimentos eliminação deve ser iniciado para todos os casos no caso de ser uma simples alergia. Uma dieta que o seu cão nunca foi exposto ao deve ser colocado no local usando carnes de alta proteína, como cordeiro, carne de porco, carne de veado, ou coelho, exclusivamente para 8-10 semanas. Após este tempo, reinstituir a dieta da anterior e observar o seu cão para o desenvolvimento de novas lesões.

Uma alergia ambiental (atopia) podem ser identificadas por testes intradérmico, em alguns casos. Seu veterinário irá injetar pequenas quantidades de diluir os alérgenos por via intradérmica (entre as camadas da pele). Uma reacção positiva (alergia) é indicada pelo desenvolvimento de uma colméia ou pápula no local da injeção.

Seu veterinário irá recomendar e prescrever medicamentos anti-inflamatórios para alívio imediato do inchaço e inflamação. Injeções hipossensibilização, que usam pequenas quantidades do alérgeno para diminuir a sensibilidade ao alérgeno em questão, funciona para a maioria dos cães é preferível a longo prazo da administração de steróides.

>

internet

O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados

Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletQuem Saberia Perder

bulletCanção do exílio

bulletBoi bumbá

bulletMil Gatos No Telhado

bulletTristeza do jeca



Dicas Veterinárias:

bulletMotivos para se ter um hamster

bulletTumor venéreo transmissível em cães (tvt)

bulletAnsiedade de separação em cachorros

bulletAlopecia psicogênica

bulletCiclo de vida dos equinos



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet carlos alexandre pessoa
médico veterinário (11) 99112330 www.animalexotico.com.br>

bullet Dr. Luiz Bolfer formou se em Medicina Veterinária no Brasil e mudou se para os Estados Unidos para se especializar em Cardiologia, Emergência e Cuidados Intensivos em cães e gatos. Completou 12 meses de Internato em Clínica Médica e Cirúrgica Veterin>

bullet Keila Regina de Godoy>

bullet Magda Izidio de Souza, Médica Veterinária>

bullet Sérgio Villa Santi>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletSeefood um peixe fora d agua (seefood)

bulletBatman (1989)

bulletMarley e eu

bulletO mar não está prá peixe o mar não está prá peixe

bulletO filho do ace ventura



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletFalando de passaros e gatos

bulletO gato e a revolução

bulletO estranho caso do cachorro morto

bulletVira-lata? não! também sou cachorro

bulletA arca de noé

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos