Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Dicas Veterinárias > Doença auto-imune sistémica em cães

Compartilhe em suas redes sociais:

Doença auto-imune sistémica em cães



Lúpus eritematoso sist?mico (LES) em cães
Lúpus eritematoso sist?mico (LES) é uma doença multissist?mica auto-imune que se caracteriza pela formação de anticorpos contra uma ampla gama de auto-antígenos (anticorpo geração de substâncias) e complexos imunes circulantes. Em outras palavras, isso é doença na qual o sistema imunológico do corpo tornou-se hiper-defensiva, atacar as células, órg?os, e tecidos de seu próprio corpo como se fossem doenças que precisam ser destruídos.

Altos níveis circulantes de complexos antígeno-anticorpo (hipersensibilidade do tipo III) são formados e depositados na membrana basal glomerular (a parte de filtração do rim), da membrana sinovial (o tecido mole que reveste a superfície de espaço dentro das articulações, tais como o pulso, joelho, etc), e na pele, vasos sanguíneos, e outros locais no corpo. Anticorpos que são direcionados para a auto-antígenos que residem no interior das células e, tais como eritrócitos, leucócitos, e plaquetas (tr?s tipos de células do sangue com o tipo II de hipersensibilidade), também pode ser produzido. Em menor grau, hipersensibilidade do tipo IV também podem estar envolvidos quando imunidade mediada por células é dirigido contra um antígeno próprio.

O LES é rara, mas acredita-se ser subdiagnosticada. Algumas das raças que parecem ter uma predileção por LES incluem Shetland sheepdogs, Collies, Pastores alem?es, antigos cães pastores Ingl?s, Hounds afeg?o, beagles, Setters irlandeses, e poodles. LES foi relatada como uma doença hereditária em uma colônia de pastores alem?es. A idade média é de seis anos, mas pode ocorrer em qualquer idade. Sexo não desempenham um papel.

Sintomas e tipos de

Sintomas clínicos dependem da localização dos complexos imunes, juntamente com a especificidade do auto-anticorpos. Contudo, genético, Ambiental, farmacológica, e fatores infecciosos podem desempenhar um papel no aparecimento de sinais clínicos, tais como letahrgy, perda de apetite (anorexia), e febre, que é visto especialmente na fase aguda. Outros sinais incluem:

Músculo-esqueléticas

Deposição de imunocomplexos na membrana sinovial (os tecidos moles que revestem as superfícies dentro das articulações)
Inchaço nas articulações e / ou dolorosos sinal de apresentação principal na maioria dos pacientes
Deslocando-leg lameness
Dor muscular ou perder

Pele / exócrinas

Deposição de complexos imunes na pele
Les?es de pele
Focal simétrica ou lesões de pele vermelhid?o, scaling, úlceras, despigmentação, e / ou perda de cabelo
Ulceração das junções mucocutâneas e da mucosa oral podem desenvolver uma regi?o da pele que compreende duas cutânea mucosa e pele; estas ocorrem principalmente perto dos orifícios do corpo em que a pele externa pára e a mucosa que reveste o interior do corpo começa (g, boca, ânus, Narinas)

Renal / urológica

Deposição de complexos imunes nos rins
Hepatoesplenomegalia alargamento dos rins e do fígado

Sangue linfa / / sistema imunológico

Auto-anticorpos contra eritrócitos, leucócitos, ou plaquetas (vermelhos e glóbulos brancos)
Linfadenopatia inchaço dos gânglios linfáticos
Sistemas de outros órg?os podem ser afetados se houver deposição de complexos imunes ou anticorpos, ou quando mediada por células T de células (linfócitos) ataque

Causas

As causas definitivas para o LES não são identificados, mas a exposição á luz ultravioleta podem agravar a doença.

Diagnóstico

Um perfil completo de sangue terá de ser conduzida, incluindo um perfil químico no sangue, um hemograma completo, e um exame de urina. Você vai precisar dar uma história completa da saúde do seu cão e início dos sintomas, e se os sintomas ocorreram no fim sucedendo, ou todos de uma vez. Dor nas articulações, inflamação nos rins, lesões de pele, destruição das células vermelhas do sangue, baixa contagem de plaquetas, e fraqueza geral do corpo são sinais de que irá alertar o seu médico para a probabilidade de lúpus.

Tratamento

A hospitalização pode ser necessária para o tratamento inicial de LES, especialmente se seu cão está em estado de hemolítica (a destruição das células vermelhas do sangue) crise. Contudo, gestão ambulatorial muitas vezes é possível se a condição não é grave. O tipo de cuidados e do nível de cuidados variam de acordo com sistemas que estão sendo afetados.

Para a tratamento em casa, você vai precisar para fazer cumprir resto, especialmente durante episódios de dor intensa nas articulações. Você pode considerar resto da gaiola por um tempo curto, até que seu cão pode mover com segurança sobre o novo sem esforço excessivo. Você também pode precisar de evitar a luz solar, que pode exigir agendamento de rotina do seu cão refeição, para que viagens ao ar livre podem ser tomadas no final da tarde / início da noite. Se os rins estão sendo afetados, seu veterinário irá recomendar um rim dieta específica com restrição de proteínas.

Há uma série de medicamentos que podem ser usados para o tratamento do LES, tais como medicamentos imunossupressores para diminuir a resposta do sistema imunitário, e corticosteróides para reduzir a inflamação nos gânglios linfáticos. Seu veterinário irá prescrever os medicamentos necessários para tratar a forma específica da doença está tomando em seu cão.

Prevenção

Não crie animais afetados, o LES é conhecida por ser hereditária em algumas raças.



Contatos dos Autores:
internet



O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados

Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Dicas de Profissionais do ramo pet e agropecuário:


bulletPor que um cachorro fica com falta de apetite e o que precisa ser feito

bulletTratados feito animais

bulletCâncer em cachorros e gatos: o câncer de útero

bulletA sinusite crônica em aves

bulletViajando com seu cão


Ver todas as Dicas de Profissionais



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores



bullet LUIZA CERVENKA DE ASSIS http://emais.estadao.com.br/blogs/comportamento animal/morte e luto o que fazer quando o cachorrogato morre/

bullet Juliane Seixas Juliane Seixas Website.: www.facebook.com/veterinariadrajulianeseixas Graduada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUC/PR. Atua como plantonista na área clínica e cirurgica de animais de companhia CRMV: 11430 / PR Cont

bullet Daniel Zacharias Zago Médico Veterinário Clínica Geral e Reprodução Equina 11 82627922

bullet Roberto Delort A. Leite e Laura Celi de Souza Silva 

bullet Rafael Claro Marques (CRMVSP 18.849) é médico veterinário e pósgraduado em Clínica Médica de Pequenos Animais dr.rafael@clinicapontegrande.com.br

Ver todas as Dicas dos Colunistas




Letras de Música com temas Animais:


bulletSalve jorge! o guerreiro na fé

bulletNão atire o pau no gato aline barros

bulletPunk da periferia

bulletAnfibios malditos

bulletO gato vinicius de moraes

Ver todas as Letras de Músicas




Cinema, Filmes e Seriados:


bulletMulher-gato (catwoman)

bulletFilhote (cachorro / bear cub)

bulletO mar não está prá peixe o mar não está prá peixe

bulletPássaros livres (plumíferos - aventuras voladoras)

bulletO filho do ace ventura


Ver todos os filmes e seriados




Livros Animais

bulletOs passaros e suas doencas

bulletPássaros amarelos

bulletCachorro tem cada uma

bulletVida de cão

bulletOs segredos dos gatos tudo para entender e ensinar o seu companheiro

Ver todos os Livros



Dinheiro / Notas Animais



Garoupa
R$ 100


Beija flor
R$ 1


Garça branca grande
R$ 5


Arara vermelha
R$ 10


Mico leão-dourado
R$ 20


Onça pintada
R$ 50


Tartaruga-de-pente
R$ 2


Lobo Guará
R$ 200


Ver todas as Notas e Moedas



Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos