Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Dicas Veterinárias > Anestesia em cães e gatos: mitos e verdades

Compartilhe em suas redes sociais:

Anestesia em cães e gatos: mitos e verdades


POR LUIZA CERVENKA DE ASSIS

src=

Just a Wili/Created Commons

Chegou o dia de castrar meu gato. Fui atrás de todas as informações para garantir segurança ao Doritos (o gato) e me deixar tranquila. Descobri a real importância de gastar um pouco mais e contar com um veterinário anestesista.

Primeiro fato muito importante para esclarecer: anestesia não é tudo igual. Eu achava que existia um único princípio ativo, que era injetado de acordo com o peso do animal, e pronto. Nada disso! São inúmeros anestésicos, cada um para uma espécie, dependendo da idade do animal, situação, tipo e local da cirurgia.

Anestesia geral

src=

Haleyhughes/Created Commons

Ela pode ser geral intravenosa (direto na veia), inalatória ou mesclada. Quem irá decidir é o médico veternário.

Existe um mito de que existe uma anestesia geral, na qual o animal fica consciente, porém sem conseguir se mexer. Porém, o termo “geral” implica na perda de consciência.

Por mais simples que seja a cirurgia nos animais, é sempre utilizada a anestesia geral. Isso para que eles possam ficar mais tranquilos e sem se mexer durante o procedimento.

Não há tempo ideal entre uma anestesia e outra. Há animais, como o cavalo que pode precisar ser sedado semanla

Anestesia local

Em humanos é possível dar apenas um sedativo ou tranquilizante e aplicar a anestesia local. Porém é inviável fazer isso nos animais. A anestesia local é um complemento, que ajudará na recuperação do peludo, para que ele sinta menos dor.

Riscos

src=

Adragoth/Created Commons

Segundo a médica veterinária e professora titular de anestesiologia da FMVZ-USP, Denise Fantoni, o risco, hoje, é considerado bem baixo. Isso porque são usados fármacos mais modernos, feita a monitoração ao longo da cirurgia (o que antigamente era pouco usado na medicina veterinária) e avalia-se melhor o estado de saúde do animal, através dos exames pré-operatórios (hemograma, função renal, hepática,  eletrocardiograma e ecocardiograma). “Nesse contexto, é muito mais seguro” explica.

O grande problema é quando não há toda essa preocupação. Em uma campanha de castração, por exemplo, ou em uma clínica veterinária sem monitoramento, o risco é muito maior. Infelizmente alguns veterinários ainda trabalham com técnicas mais antigas de anestesia, nas quais não são levadas em consideração as características individuais de cada animal. Aí a chance de problemas é maior.

Por isso, para garantir o sucesso da cirurgia, fiz todos os exames solicitamos pela veterinária. Além disso, optei por uma clínica com anestesista e monitoramento ao longo de todo o procedimento.

“Antigamente, no começo do século passado, a anestesia era feita com éter, com clorofórmio. A taxa de mortalidade em humanos era altíssima. Esse medo arrasta até hoje. É muito raro haver morte por anestesia. Há 30 anos atrás, quando eu comecei a trabalhar com anestesia, era um horror, morria dois ou três animais por semana. Porque o seu cuidados eram diferentes. Não se conhecia esse paciente de verdade. Apesar de já usar anestesia inalatória, os exames pré-operatórios não eram feitos” pondera Dra Denise.

Animal idoso

O risco é maior pelas funções renais e hepáticas que podem estar piores por conta da idade. Mas é super possível operar um animal de 16 anos, sem problema algum, desde que seja feito tudo corretamente.

Mesmo o animal com problema renal, cardíaco ou diabetes é possivel que ele seja operado. A maior parte dos animais operados tem algum tipo de problema. Mas ao saber disso, é possível pensar qual o melhor anestésico a ser utilizado, sem correr qualquer risco.

Nesses casos, é muito importante ter um anestesista experiente. “Anestesia é igual piloto: precisa ter horas de voo. Pode ter 10 cirurgias tudo bem, mas a próxima pode dar algum problema” lembra a anestesista.

Procedimento

src=

Ambulatorio Veterinario Orsa Maggiore/Created Commons

Antes da cirurgia de castração do Doritos, a veterinária Daniela Mungioli pediu um hemograma com função renal e hepática e um eletrocardiograma. Ela fez diversas perguntas sobre o estado de saúde dele. No dia da cirurgia, ela pediu jejum de 8 horas.

Chegado o temido dia da cirurgia, lá fomos eu e o Doritos à clínica. Ao chegar, levamos o pequeno gato ao consultório para ser examinado e em seguida à sala de preparo. Como ele estava na bolsa de transporte com seu cobertor, ficou até que tranquilo. Eu que estava mais nervosa.

Primeiro passo cirúrgico: raspar a pata do gato e pegar a veia. A bióloga mole aqui quase desmaiou. O Doritos? Tava bem de boa com o carinho da Dra Daniela e da Dra Carla Holms (anestesista).

Na veia, foi colocado o soro. Aos poucos, a Dra Carla foi introduzindo o pré-anestésico. O Doritos foi entrando na lombra. Depois de uns 30 minutos, as pupilas estavam dilatadas e ele já estava bem lesado.

Aí que começou a cirurgia em si. Com o gato já sedado, foi feita a tricotomia (raspagem dos pelos) da região a ser operada (as bolinhas, no caso). Enquanto isso, a Dra Carla colocou diversos fios para monitorar pulsação, oxigenação e mais um monte de coisa.

Segunda hora tensa: entubar. Nem olhei! As veterinárias tiraram de letra e em menos de cinco minutos o gato já estava com anestesia inalatória e em posição de cirurgia: de barriga para cima. Por último, foi feita uma anestesia local. Aí já era demais para mim. Saí da sala e fiquei conversando pela porta com as vets.

Uns 20 minutos depois, o Doritos estava sem as bolinhas e ainda sedado. Pouco a pouco a sedação foi tirada, ele foi desentubado e colocado no cobertor com o cheiro dele. “Luiza, cuidado que ele pode voltar agressivo da anestesia” disse a Dra Carla. Sim, alguns animais apresentam comportamentos bizarros ao voltarem da sedação. Mas não foi o caso do Doritos, fofinho.

Ele estava tão tranquilo, que ainda fiz um vídeo com as veterinárias. Nele, a Dra Carla fala sobre o que nós, tutores, podemos fazer de mais errado antes da cirurgia. Olha só:

 

Pós-operatório

Com o gato acordado, coloquei na bolsa e levei para casa. Ele ficou umas horas andando engraçado, trançando as patas. Dei muita risada, fiz diversos instastories… e finalmente ele voltou ao normal.

Depois de dois dias ele comeu os pontos, mas mesmo assim a cirurgia foi um sucesso. Hoje ele nem lembra mais que um dia teve bolinhas. Parou de tentar copular com meu braço e não faz mais xixi na minha bolsa e sapatos.



https://emais.estadao.com.br/blogs/comportamento animal/anestesia em caes e gatos mitos e verdades/

O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados

Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletDesce do cavalo

bulletVampiro

bulletAsa s cobras

bulletApesar de você

bulletCruz de tecido



Dicas Veterinárias:

bulletReprodutivas anormalidades genéticas em cães

bulletRuptura de ligamento cruzado cranial em cães

bulletDisfunção cognitiva

bulletTumor da bainha do nervo em cães

bulletCoceiras que incomodam os cães



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Chani Blue http://www.epochtimes.com.br/equoterapiaeficazcombateproblemaspsicologicos/>

bullet monica gil www.monijil.nom.br/canil caocia@globocom fone: (21) 2260 9427 >

bullet Dr. Ciro Pinheiro Mathias Franco Medico Veterinário atuante em medicina e odontologia eqüina. Cel. (11) 9814 6666 E mail ciromedvet@ig.com.br www.dentistadecavalo.com.br>

bullet carlos alexandre pessoa
médico veterinário (11) 99112330 www.animalexotico.com.br>

bullet Av. Brasil 1772, Jd. Chapadão Campinas/SP * ATENDIMENTO 24HRS * (ao Lado do posto Shell cruzamento com a Imperatriz Leopoldina x Francisco josé de Camargo Andrade) (19) 3212 2601 (19) 9822 3758 contato@edosbichos.com.br>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletA fuga dos homens pássaros (the birdmen)

bulletO cachorro bombeiro (firehouse dog)

bulletGatos, fios dentais e amassos (angus, thongs and perfect snogging)

bulletBirdman

bulletDogão - amigo pra cachorro (doogal)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletCama de gato

bulletO selo da agonia - livro dos cavalos

bulletExplicação dos pássaros

bulletCachorro magro

bulletEnfermidades dos cavalos

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos