Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Dicas Veterinárias > Intoxicações e envenenamentos

Compartilhe em suas redes sociais:

Intoxicações e envenenamentos


Essa é a historia de um gatinho que coloquei o nome de Seth de Nove. Quem conhece um pouco de “Jornada nas Estrelas” vai reconhecer o nome de um “borg”, mas isso não é tão importante; esse nome foi escolhido para nós lembrar a importâ;ncia da castração. Imaginem você que esse animalzinho vinha de uma ninhada de “nove” filhotes ( uma gata pode ter de doía a doze filhotes por ninhada) e ele foi o sétimo a nascer, assim “sete de nove”, e que dessa ninhada só ele conseguiu sobreviver os outros oito irmãozinhos dele morreram de fome, sede, atropelados ou em consequência da maldade humana. E quase ele mesmo não escapa dessa “maldade humana” que se expressou, para ele, na forma de um veneno mortal. E pensar que tudo isso podia ser impedido se sua mãe e seu pai fossem castrados!


Quantos animais não seriam abandonados nas ruas se as pessoas tivessem o bom senso de castrar. Muitos ainda pensam que é errado castrar, que estamos interferindo na natureza dos animais, mas já não interferimos?


O que é mais frustrante, você não ter vontade de acasalar ou você ter vontade e, dia após dia ser impedido? Não desequilibramos a reprodução, criação e até a genética dos animais? Agora é a hora de começarmos a arrumar a bagunça que fizemos!


“Deus concedeu ao homem, sobre todos os seres vivos, um poder de que ele deve usar, sem abusar. Pode, pois, regular a reprodução, de acordo com as necessidades. A ação inteligente do homem é um contrapeso que Deus dispôs para restabelecer o equilíbrio entre as forças da Natureza” – Livro dos Espíritos


            “Uma cadela não esterilizada e sua descendência, podem ter até 67 mil cães.


E, se falamos de gatos, a cifra se multiplica várias vezes. Uma gata não esterilizada e sua descendência podem chegar a ter até 420 mil gatinhos e menos da metade desses animais vai chegar à vida adulta e apenas alguns poucos conseguirão um lar.”


Voltando a nosso querido “Seth”; em sua jovem vida (aproximadamente 4 meses) já teve o desprazer de enfrentar a maldade humana. Foi colocado em seu caminho um prato com uma apetitosa ração temperada com “chumbinho” que nosso inocente amigo não demorou a comer.


Com certeza ao ver aquele prato com ração, a fome falou mais alto, e em instantes todo o veneno circulava em seu sangue.


Quem já observou um animal envenenado por “chumbinho” sabe a dramaticidade da situação. São sintomas horríveis de “espasmos”, salivação, dores e descontrole neurológico, enquanto o veneno vai praticamente “destruindo” tudo o que encontra.


Uma situação muito triste, principalmente se pensarmos que foi causada voluntariamente.


src=


Fonte: http://portalteses.icict.fiocruz.br


Podemos conjecturar que nosso amado amigo ficou nessa situação se contorcendo e sofrendo por aproximadamente umas 6 a 8 horas, já que quando foi encontrado não apresentava mais sinais de intoxicação aguda. Estava em um estado de “coma” com alguns poucos espasmos musculares e sem percepção do mundo.


Um senhor que tinha um escritório por ali perto viu o pobre gatinho e, como o bom samaritano da parábola, o recolheu e nos trouxe. Colocou em pequeno vaso de plantas e levou-o, mesmo pensando que ele estava morto ou a caminho do fato consumado.


Chegando a nosso consultório, percebemos que respirava com certa dificuldade, mas estava vivo! Começava aí um processo de recuperação que hoje chega a 20 dias.


Graças à bondade de Deus, hoje ele “Seth de Nove” está 80% recuperado. Come, bebe água, se limpa e faz suas necessidades como qualquer gato normal, mas em consequência do envenenamento ele tem certa descoordenação que não lhe dá o equilíbrio normal de um gato.


Não consegue pular de um lugar para outro, calcula mal às distancias e acaba caindo. Também não tem firmeza para se segurar em objetos para escalar e acaba escorregando e vive com a cabeça torta… o que não deixa de ser um charme!


Mas… voltando as lições que o exemplo de Seth pode nos transmitir…


Castre seus animais, para que não procriem e esses filhotes acabem nas ruas sofrendo e morrendo.


Evite de seus animaizinhos de estimação saiam de casa e possam correr o risco de serem atropelados, envenenados ou feridos por humanos ou outros animais. Se você tem gatos, tele as janelas. Se você tem cães, tome sempre cuidado com as portas e portões que dão para a rua, a qualquer descuido eles podem escapar.


Muito cuidado com produtos de limpeza que são usados em casa, eles podem irritar a pele, olhos e gargantas dos animais com o cheiro forte que exalam, ou causar alergias e coceiras do contato direto. Podem intoxicar e envenenar, principalmente animais pequenos como hamsters, outros roedores e pássaros.


Muitos canários morrem simplesmente por viverem na cozinha, aspirando a fumaça de frituras, muitos hamsters ficam com alergias, com olhos e gargantas irritadas devido a produtos que são usados na limpeza de suas gaiolas, assim, tomem cuidado!


Prestar atenção no uso de remédios, observar sempre a indicação dos produtos, cães e gatos são intoxicados e muitas vezes morrem com o uso de medicações humanas. Muitos anti-inflamatórios humanos podem causar ulceras em cães e insuficiência renal em gatos.


Um simples shampoo anti pulgas de cachorro pode, muitas vezes, intoxicar um gato ou coelho.


Cuidado e precaução, muitas vezes o envenenamento pode não ser causado pela “maldade humana”, mas sim pelo “ desconhecimento humano”!


 “Todas as substâ;ncias são venenos, não existe nada que não seja veneno. Somente a dose correta diferencia o veneno do remédio.”  – Dr. Phillipus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim ( Paracelso).



http://www.anda.jor.br/03/03/2017/intoxicacoes e envenenamentos

O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados

Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletChovendo na roseira

bulletCê topa?

bulletCachorrada

bulletVoa, canarinho, voa

bulletA aranha, o sapo bola e o tamanduá



Dicas Veterinárias:

bulletUma questão de cultura!

bulletAs diferenças de cuidados entre c es e gatos

bulletCães precisam de exercícios

bulletEspasmo das patas traseiras em cães

bulletA declaração universal dos direitos dos animais



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Dan Wroblewski www.bordercollie.com.br dw@parquecanino.com.br>

bullet UPAC Fortaleza https://upacfortaleza.wordpress.com/>

bullet Alexandre Cury Instrutor de Hipismo
centro hípico mirassol
(19) 32460423 ? 91322162
e-mail: mrpccury@uol.com.br>

bullet Carlos Cava
Cava criadouro de aves rua guerino lubiani, 201 ? vila verde
piracicaba - sp - cep 13420-850 f : (19) 3424-2084 / 3424-3206 / 9782-1065 e-mail : aves@cava.com.br
http://www.cava.com.br>

bullet Roberto Delort A. Leite e Laura Celi de Souza Silva >



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletGato negro (black cat (gatto nero))

bulletO mar não está prá peixe o mar não está prá peixe

bulletOlhos de gato (cat s eye)

bulletMamãe virei um peixe (hjælp, jeg er en fisk)

bulletO corcel negro



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletLivro de banho galinha pintadinha

bulletO encantador de cães

bulletO estranho caso do cachorro morto

bulletSucesso na criação de pássaros canários e periquitos

bulletAves-simbolos dos estados brasileiros, as

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos