Digite aqui a palavra-chave.





Home Page > Raças & Espécies > Cães > Terrier irlandês

pinterest



Terrier irlandês

 TERRIERIRLANDES

País de origem: Irlanda
Nome no país de origem: Irish Terrier
Utilização: Versátil cão de fazenda, de família, de
guarda muito suscetível ao perigo ou feridas, e cão de
trabalho depois do tiro.
Sem prova de trabalho
RESUMO HISTÓRICO: a Irlanda produziu quatro raças de terriers, cada uma das
quais notadamente diferente dos terriers no continente e na Inglaterra. O cão, hoje
denominado ofi cialmente como Terrier Irlandês, é possivelmente o mais antigo de todas
as raças irlandesas, mas os registros são tão escassos que seria conclusivamente difícil
de comprovar. Antes de 1880 a cor do Terrier Irlandês não havia sido defi nida. Além
do vermelho, eles as vezes eram, preto e castanho ou tigrados. Ao fi nal do século 19
esforços foram feitos para as cores preto e castanho e o tigrado da raça, dessa forma,
por volta do século 20 todos os Terrier Irlandês apresentavam a pelagem vermelha.
O Terrier Irlandês de pêlo vermelho logo fez seu aparecimento em apresentações
na Inglaterra e nos Estados Unidos, onde foi estusiasticamente recebido. Sua fama
aumentou durante a Primeira Guerra Mundial, quando foi utilizado como cão
mensageiro em meio ao terrível barulho e a confusão das trincheiras das operações
militares, provando, dessa forma, sua inteligência e sua coragem. O primeiro clube
da raça foi fundado em Dublin em 31 de março de 1879 e o Terrier Irlandês foi o
primeiro membro do Grupo Terrier a ser reconhecido pelo Kennel Clube Inglês ao
fi nal do século 19 como raça nativa da Irlanda.
APARÊNCIA GERAL: o cão tem que mostrar uma aparência ativa, esperta, ágil e
vigorosa; muita substância e ao mesmo tempo sem rusticidade, uma vez que velocidade,
resistência e potência são essenciais. Não deve ser “pesado nem atarracado”, mas deve
ser moldado nas “linhas de velocidade”, mostrando um contorno gracioso.
COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: o Terrier Irlandês, mesmo que sendo
um cão de caça e capaz de manterse
com outros cães, é notavelmente fi el, de bom
temperamento e afeiçoado com a espécie humana, mas quando atacado, possui a
coragem de um leão e lutará até o fi nal. Sua reputação de procurar briga com outros
cães, algumas vezes, mesmo em pistas de exposições, não é merecida. Embora o
terrier possa ser feroz quando a circunstância o chamar para isso, o Irish Terrier pode
ser facilmente treinado e gentil, mantendose
fi el as antigas descrições de ser “o
sentinela do homem pobre, o amigo do fazendeiro e o favorito do cavalheiro”.
CABEÇA: longa, livre de rugas.
REGIÃO CRANIANA
Crânio: plano e bastante estreito entre as orelhas, estreitandose
ligeiramente para
os olhos.
Stop: difi cilmente visível, exceto de perfi l.
REGIÃO FACIAL
Tr ufa: deve ser preta.
Lábios: bem ajustados e de contorno externo quase preto.
Maxilares: devem ser fortes e musculosos e de bom comprimento.
Dentes: devem ser fortes e alinhados, sem cáries e os incisivos superiores sobrepõemse
ligeiramente aos inferiores.
Bochechas: não muito cheias. Deverão ter uma leve depressão logo abaixo dos olhos,
para não ter a aparência de Greyhound.
Olhos: devem ser de cor escura, pequenos, não proeminentes e cheios de vida,
sagacidade e inteligência. Olhos amarelos ou claros são muito indesejáveis.
Orelhas: pequenas, em forma de V, de espessura moderada, bem inseridas na cabeça
e dobradas para a frente rente às faces. A linha da dobra da orelha deve fi car bem
acima do nível do crânio. Uma orelha pendente na lateral, como a de um “hound”,
não é uma característica de um terrier, entretanto, uma orelha semiereta
é ainda mais
indesejável A pelagem da orelha deve ser curta e de cor mais escura que a do corpo.
PESCOÇO: deve ser de comprimento razoável e gradualmente se alargando para os
ombros, de bom porte e sem barbelas. Geralmente, há uma espécie de crista visível
em cada lado do pescoço, indo próxima às orelhas.
TRONCO: deve ser simétrico, nem muito longo nem muito curto.
Dorso: forte e reto, sem apresentar indícios de debilidade entre os ombros.
Lombo: musculoso e levemente arqueado. O lombo das fêmeas pode ser ligeiramente
mais longo que o dos machos.
Peito: profundo e musculoso, sem ser cheio nem largo. Costelas razoavelmente
arqueadas, mais para profundas que para arredondadas e bem anguladas para trás.
6
CAUDA: deve ser inserida bastante alta, portada alegremente mas não sobre o dorso
ou enrolada. Bem robusta e substanciosa e razoavelmente longa. Habitualmente
amputada a 2/3 do seu tamanho original. Bem revestida por uma pelagem dura e
livre de franjas ou tufos. A cauda natural (sem corte) só é permitida nos países onde
a amputação é proibida por lei.
MEMBROS: ambos, anteriores e posteriores movimentamse
direcionados para a
frente.
Anter iores
Ombros: devem ser refi nados, longos e bem inclinados.
Cotovelos: trabalhando livremente nas laterais.
Antebr aços: moderadamente longos, perfeitamente retos com boa ossatura e
musculatura.
Metacarpos: curtos e retos, quase imperceptíveis.
Posteriores: devem ser fortes e musculosos.
Coxas: poderosas.
J oelhos: moderadamente angulados.
J arretes: próximos ao solo.
Patas: fortes, razoavelmente redondas e moderadamente pequenas; dedos arqueados e
corretamente direcionados para a frente. Unhas pretas são mais preferidas. Almofadas
saudáveis e livres de rachaduras ou calosidade.
MOVIMENTAÇÃO: anteriores e posteriores paralelos e direcionados para a frente.
Cotovelos movendose
paralelos ao eixo do corpo, livre nas laterais, joelhos não
virando nem para dentro nem para fora.
PELAGEM
Pêlo: denso e de textura de arame, conferindo aparência quebradiça, porém bem
assentes, crescendo tão próximos e fortes que quando afastados com os dedos a pele
não pode ser vista, sem maciez ou aparência sedosa e de comprimento razoável para
não ocultar o contorno do corpo, particularmente nos posteriores e sem rarefação ou
cacheados. No focinho, a pelagem tem a mesma descrição que a do tronco, porém
curtos (em torno de 0,75cm de comprimento), quase lisos e retos, uma barba moderada
são os únicos pêlos longos (e só são longos em comparação com o resto do pêlo)
isso é permitido e é característico. Uma barba de “bode” sugere que os pêlos sejam
sedosos e geralmente uma pelagem ruim pelo tronco.
Membros: sem franjas e cobertos, como a cabeça, com textura dura como a pelagem
do tronco mas não tão longa.
COR: deve ser unicolor, sendo vermelho, vermelho trigo ou vermelho amarelado.
Branco as vezes no peito. Uma pequena quantidade de branco é freqüentemente vista
em raças de uma só cor.
TAMANHO / PESO
Altura na cernelha: aproximadamente 45,5cm.
Peso: machos 12,25 kg.
fêmeas 11,4kg.
FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deverá ser considerado como falta
e penalizado na exata proporção de sua gravidade.
FALTAS ELIMINATÓRIAS
Tr ufa: qualquer cor além do preto.
Maxilares: prognatismo superior inferior evidentes.
Cor: qualquer cor que não seja o vermelho, vermelho amarelado ou vermelho
trigo. Uma pequena mancha de branco no peito é permitida como em outras raças
de cor uniforme.
Patas: rachadura ou desenvolvimento de calosidade nas almofadas.
NOTAS:
· os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem




Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Letras de Música com temas Animais:

bullet  Eu, minha gata e meu cachorro blitz

bullet  Vaca estrela e boi fub

bullet  Vagalumes (pollo)

bullet   boi avies do forr

bullet  Clara crocodilo arrigo barnab

Ver todas as Músicas

Dicas Veterinárias:

bullet  E as pol?micas ligas de trabalho: usar ou no usar?

bullet  Principais cuidados para ces e gatos no inverno

bullet  Como salvar um cachorro engasgado

bullet  O exame de compra mesmo necessrio?

bullet  O que fazer quando o animal morre?

Ver todas as Dicas Veterinárias

Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet  Priscila Thomazelli Atleta, Amazonas, Instrutora e Treinadora de Equitao Engenharia Civil, de Segurrana do Trabalho, Meio Ambiente e Qualidade (11) 9 9944-2168 www.dressagearteequestre.com

bullet  Juliane Seixas Juliane Seixas Website.: www.facebook.com/veterinariadrajulianeseixas Graduada pela Pontifcia Universidade Catlica do Paran, PUC/PR. Atua como plantonista na rea clnica e cirurgica de animais de companhia CRMV: 11430 / PR Cont

bullet  tatiana lermontov - fr? 8331- rj fonoaudiloga, psicomotricista, eerapeuta al 24 de outubro 78 icara - niteri - rj (21) 2611-5626 / 9691-6646 centro de eqerapia pratique

bullet  Karine Kleine www.grupokleine.com.br

bullet  Pet Care Hospital Veterinrio de S?o Paulo (11) 3740 2152 (11) 3743 2142 Av. Giovanni Gronchi, 3001 S?o Paulo SP

Confira todos os Colunistas



Cinema, Filmes e Seriados:

bullet  Flipper (1996)

bullet  Harry, o amigo de tonto

bullet  Animais unidos - jamais sero vencidos

bullet  Cujo

bullet  Madagascar ii

Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bullet  Livro definitivo de dicas e sugestoes de jardinagem

bullet  Um gato indiscreto e outros contos

bullet  Ces de guerra

bullet  O gato que falava com fantasmas

bullet  Falando de passaros e gatos

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br & - Todos os direitos reservados - Créditos