Digite aqui a palavra-chave.





Home Page > Raças & Espécies > Cães > Mastino napoletano

pinterest



Mastino napoletano

 MASTINONAPOLETANO

País de origem: Itália
Nome no país de origem: Mastino Napoletano
Utilização: Guarda e defesa
Sem prova de trabalho
RESUMO HISTÓRICO: o Mastino Napoletano é descendente do grande Mastiff
Romano, descrito por Columelle no século I A.D. em seu livro “De Re Rustica”.
Difundido em toda a Europa pelas legiões romanas, com as quais combateu, é o ancestral
de numerosas raças de Mastiffs em outros países europeus. Tendo sobrevivido por
muitos séculos na zona rural ao pé do Vesúvio e, em geral, na região de Nápoles, ele
foi re-selecionado desde 1947, graças à tenacidade e à devoção de um grupo de amantes
de cães.
APARÊNCIA GERAL: grande, massudo e volumoso, cujo comprimento do tronco
é maior do que a altura na cernelha.
PROPORÇÕES IMPORTANTES: o comprimento do tronco é 10% maior do
que a altura na cernelha. A relação crânio-focinho é de 2 para 1.
COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: firme e leal, não é agressivo, nem
morde sem razão, guardião de propriedade e de seus moradores, sempre vigilante,
inteligente, nobre e majestoso.
CABEÇA: curta e maciça, com um crânio largo na altura dos arcos zigomáticos. Seu
comprimento é mais ou menos 3/10 da altura na cernelha. Pele abundante com rugas e
dobras, das quais, a mais típica e mais bem marcada vai desde o ângulo externo da
pálpebra para baixo até o ângulo labial. O eixo superior longitudinal do crânio e do
focinho é paralelo.
REGIÃO CRANIANA: o crânio é largo, plano, particularmente entre as orelhas, e,
vista de frente, a cabeça é ligeiramente convexa em sua parte anterior. As arcadas
zigomáticas são muito pronunciadas, mas com músculos planos. As protuberâncias
dos ossos frontais são bem desenvolvidas; o sulco frontal é marcado; a crista occipital
é apenas visível.
4
Stop: bem definido.
REGIÃO FACIAL
Trufa: situada no prolongamento do focinho, não deve ser proeminente acima da
linha vertical dos lábios; deve ser volumosa, com narinas grandes e bem abertas. Sua
pigmentação varia de acordo com a cor da pelagem: preta, nos cães pretos; cinzaamarronzado
escuro em exemplares de outras cores e castanha para os de pelagem
marrom.
Focinho: bem largo e profundo; seu comprimento corresponde ao da face e deve ser
igual a 1/3 do comprimento da cabeça. As faces laterais são paralelas (entre si), de
maneira que, vista de frente, a forma do focinho é praticamente quadrada.
Lábios: carnudos, espessos e cheios; vistos de frente, formam um “V” invertido no
seu ponto de encontro. A linha inferior do focinho é formada pelo lábio superior; a
parte mais baixa é o canto dos lábios, com visíveis membranas mucosas situadas na
vertical do ângulo externo do olho.
Maxilares: poderosos, com fortes ossos e arcos dentários que se unem perfeitamente.
A mandíbula deve ser bem desenvolvida na sua largura.
Dentes: brancos, bem desenvolvidos, regularmente alinhados e numericamente
completos. Mordedura em tesoura ou torqu;s.
Olhos: inseridos ligeiramente profundos e em uma linha frontal nivelada, bem separados
um do outro; mais para redondos. Comparada com a cor da pelagem, a cor da íris é
mais escura. Os olhos nunca poderão ser mais claros, nem em tons diluídos.
Orelhas: pequenas em relação ao tamanho do cão, de forma triangular, inseridas acima
do arco zigomático, são planas e rentes às bochechas. Quando elas são cortadas, t;m
a forma de um ângulo quase equilátero.
PESCOÇO
Perfil: o perfil superior é ligeiramente convexo.
Comprimento: mais para curto, mede mais ou menos 2,8/10 da altura na cernelha.
Forma: de tronco cônico, bem musculoso. Na metade do comprimento, o perímetro é
igual a mais ou menos 8/10 da altura na cernelha.
5
Pele: a parte inferior do pescoço é feita de muita pele solta que forma uma dupla
barbela, bem separada, mas não exagerada. Começa no nível da mandíbula e não
ultrapassa o meio do pescoço.
TRONCO: o comprimento do tronco excede em 10% a altura na cernelha.
Linha superior: reta; cernelha larga, longa e não muito proeminente.
Dorso: largo e de comprimento em torno de 1/3 da altura na cernelha. A região
lombar deve unir-se harmoniosamente ao dorso e os músculos são bem desenvolvidos
em largura. A caixa torácica é ampla, com costelas longas e bem arqueadas. A
circunfer;ncia do tórax é de aproximadamente 1/4 a mais que a altura na cernelha.
Garupa: larga, forte e bem musculosa. Com angulação em torno de 30°. Seu
comprimento é igual a 3/10 da altura na cernelha. As ancas são proeminentes a ponto
de alcançar a linha superior do lombo.
Peito: largo e amplo com músculos peitorais bem desenvolvidos. Sua largura está
diretamente relacionada com a do tórax e atinge os 40-45% da altura na cernelha. A
ponta do esterno está situada no nível da articulação escápulo-umeral.
CAUDA: larga e espessa em sua raiz; forte e afinando ligeiramente até a ponta. Em
comprimento, ela alcança a articulação do jarrete, mas normalmente é cortada deixando
2/3 de seu comprimento. Em repouso, é portada pendente e curvada em forma de
sabre; em ação, erguida horizontalmente ou ligeiramente mais alta que a linha do
dorso.
MEMBROS
ANTERIORES: em seu conjunto, os anteriores, do solo até a ponta do cotovelo,
vistos de perfil e pela frente, são verticais, com uma forte estrutura óssea em proporção
ao tamanho do cão.
Ombros: seu comprimento é de aproximadamente 3/10 da altura na cernelha, com
uma obliquidade de 50º a 60º com a horizontal. Os músculos são bem desenvolvidos,
longos e bem definidos. O ângulo da articulação escápulo-umeral é de 105° a 115°.
Braços: de comprimento em torno de 30º da altura na cernelha. Sua obliquidade é de
55° a 60° com significante musculatura.
6
Cotovelos: abundantemente cobertos por peles soltas; não tão próximos ao tronco.
Antebraços: seu comprimento é aproximadamente o mesmo que o do braço.
Colocados em uma perfeita posição vertical, sobre uma forte estrutura óssea, com
músculos limpos e bem desenvolvidos.
Articulação do metacarpo: largo, seco e sem nódulos, continuando a linha vertical
do antebraço.
Metacarpos: planos, continuando a linha vertical do antebraço. Sua inclinação, na
horizontal para a frente, é de mais ou menos 70º a 75º. Seu comprimento é igual a 1/6
do comprimento da perna do solo até o cotovelo.
Patas: redondas, largas, dedos bem arqueados e bem unidos. As almofadas são magras,
duras e bem pigmentadas. As unhas são fortes, curvadas e de cor escura.
POSTERIORES: em seu conjunto, devem ser poderosos e fortes, em proporção
ao tamanho do cão, capazes de assegurar a propulsão desejada em movimento.
Coxas: em comprimento, medindo 1/3 da altura na cernelha e sua obliquidade na
horizontal é de aproximadamente 60º. São largas, com músculos grossos, proeminentes
e claramente definidos. Os ossos do f;mur e da coxa formam um ângulo de 90º.
Pernas: de comprimento ligeiramente inferior ao da coxa e de uma obliquidade de
50º a 55º, com uma forte estrutura óssea e uma musculatura bem visível.
Joelhos: angulação f;moro-tibial em torno de 110º a 115º.
Articulação do jarrete: muito longa em relação ao comprimento da perna. Seu
comprimento é aproximadamente 2,5/10 da altura na cernelha. A articulação tíbiotarsiana
forma um ângulo de 140º a 145º .
Jarretes: fortes e magros; de forma quase cilíndrica, perfeitamente retos e paralelos;
seu comprimento é aproximadamente 1/4 da altura na cernelha; eventuais ergôs devem
ser removidos.
Patas: menores que as anteriores, redondas, com dedos bem unidos. Almofadas
secas, duras e pigmentadas. Unhas fortes, curvadas e de cor escura.
7
MOVIMENTAÇÃO: constitui uma característica típica da raça. A passo, a
movimentação é do tipo felina, com passadas de leão, lenta e assemelha-se à do urso.
O trote é caracterizado por uma forte propulsão dos posteriores e um bom alcance dos
anteriores. O cão raramente galopa, normalmente trota. O passo de camelo é tolerado.
PELE: grossa, abundante e solta sobre todo o corpo, particularmente na cabeça,
onde formam numerosas pregas e rugas, e na parte inferior do pescoço, onde forma
uma dupla barbela.
PELAGEM
Pelo: curto, áspero, duro e denso, do mesmo comprimento sobre o corpo todo,
uniformemente liso, fino e medindo, no máximo, 1,5 cm. Não deve mostrar nenhum
traço de franjas.
COR: as cores preferidas são: cinza, cinza chumbo e preto, mas também mogno,
fulvo e fulvo avermelhado (corça vermelho), com algumas pequenas manchas brancas
no peito e na ponta dos dedos. Todas essas cores podem ser tigradas; castanho, cinza
pombo e tons de isabela são tolerados.
TAMANHO / PESO
Altura na cernelha: machos: 65 – 75 cm.
f;meas: 60 – 68 cm.
Uma tolerância de 2 cm para mais ou para menos é permitida.
Peso: machos: 60 – 70 kg.
f;meas: 50 – 60 kg
FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e
penalizado na exata proporção de sua gravidade.
FALTAS GRAVES
• prognatismo inferior pronunciado.
• cauda alegre.
• tamanho acima ou abaixo dos limites permitidos.
8
FALTAS DESQUALIFICANTES
• prognatismo superior.
• acentuada converg;ncia ou diverg;ncia dos eixos crânio-faciais.
• linha superior do focinho côncava, convexa ou aquilina (nariz romano).
• total despigmentação da trufa.
• olhos azuis.
• total despigmentação das pálpebras.
• vesgo.
• aus;ncia de rugas, dobras ou barbelas.
• aus;ncia de cauda, seja cong;nita ou artificial.
• extensas manchas brancas.
• manchas brancas na cabeça.
• todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento
deve ser desqualificado.
NOTA:
• os machos devem apresentar os dois testículos, de apar;ncia normal, bem descidos
e acomodados na bolsa escrotal.




Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Letras de Música com temas Animais:

bullet  Rabo de galo polara

bullet  Anfbios belos

bullet  Rogai por boi

bullet  Caipira

bullet  Vendedor de Jumento

Ver todas as Músicas

Dicas Veterinárias:

bullet  Tumor de tecido adiposo (benigno) em ces

bullet  Medulares e vertebral defeitos congnitos em ces

bullet  Exame de holter 24 horas

bullet  Ces enxergam o mundo em azul e amarelo

bullet  Combata as pulgas

Ver todas as Dicas Veterinárias

Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet  Revista Ces e cia

bullet  Samantha Brasil
antroploga criadora de labrador e yorkshire
www.canilalfakitnet canilalfa@globocom
(21) 3367 - 3247 / 3366 - 3900 / 8808 - 3001
ilha do governador - rio de janeiro

bullet  https://petanjo.com/blog/como fazer seu cachorro parar de destruir tudo/

bullet  Karine Kleine www.grupokleine.com.br

bullet  O Clube Pet Memorial est localizado na Avenida Sadae Takagi, 860, em S?o Bernardo do Campo, no Grande ABC, acesso pelo km 20 da Rodovia dos Imigrantes, telefones (11) 4343.0000 e (13) 3222.2949, 0800.772.8885 site www.petmemorial.com.br

Confira todos os Colunistas



Cinema, Filmes e Seriados:

bullet  Nas montanhas dos gorilas

bullet  O dia do gato

bullet  O gato do rabino (le chat du rabbin)

bullet  O mar no est pr peixe: tubares vista! (the reef 2: high tide)

bullet  King kong

Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bullet  Aves-simbolos dos estados brasileiros, as

bullet  Gato que gostava de cenoura

bullet  Atlas colorido de anatomia veterinria do co e gato

bullet  Nosso planeta verde - 100 timas propostas para trabalhar na educao infantil

bullet  A princesa e o sapo

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br & - Todos os direitos reservados - Créditos