Digite aqui a palavra-chave.





Home Page > Raças & Espécies > Cães > Basset fulvo da bretanha

pinterest



Basset fulvo da bretanha

 BASSETFULVODABRETANHA

País de origem: França
Nome no país de origem: Basset Fauve de Bretagne
Utilização: Cão de faro usado para a caça de coelhos,
lebres, raposas, roedores e porcos do mato.
Sujeito à prova de trabalho para campeonato internacional.
Sergio Meira Lopes de Castro
Presidente da CBKC
Domingos Josué Cruz Setta
Presidente do Conselho Cinotécnico
Tradução: Álvaro D’Alincourt
Revisão: Mirian Wendhausen
Impresso em: 28 de junho de 2007.
BASSET FULVO DA BRETANHA
RESUMO HISTÓRICO: este pequeno basset tem as mesmas qualidades da raça
que o originou: o Griffon Fulvo da Bretanha. Muito popular no século XIX na sua
região de origem; ganhou uma reputação nacional no curso dos últimos 30 anos. Sua
atitude excepcional para a caça o permitiu ser vencedor de vários troféus nas Copas
Francesas de caça ao coelho e isto o tornou muito popular.
APARÊNCIA GERAL: o Basset Fulvo da Bretanha é um cão pequeno, troncudo,
vivaz, e rápido para seu tamanho. Ele é dotado de uma notável energia associada a
uma excelente rusticidade.
COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: os Bassets Fulvos da Bretanha são
cães de caça apaixonados mas também são excelentes companheiros para o homem,
sociáveis, afetuosos e equilibrados. Eles se adaptam facilmente aos vários terrenos
de trabalho, mesmo os mais difíceis, e a todos os tipos de caça. Durante a caça, eles
se revelam corajosos, ardilosos e obstinados, o que os tornam muito efi cazes.
CABEÇA
REGIÃO CRANIANA
Crânio: bastante alongado com a protuberância occipital marcada. Visto de frente, o
crânio tem a forma de um arco achatado e diminui sua largura na direção do occipital
para as arcadas superciliares, que não são muito proeminentes.
Stop: um pouco mais marcado que no Griffon Fulvo da Bretanha.
REGIÃO FACIAL
Tr ufa: negra ou marrom escura. Narinas bem abertas.
Focinho: de prefer;ncia mais afi lado que quadrado.
Lábios: cobrindo bem o maxilar inferior, mas sem excessos. Os bigodes são pouco
abundantes.
Maxilares / Dentes: os maxilares e os dentes são fortes, com uma mordedura em
4
tesoura, perfeita e regular. Os incisivos superiores cobrem os inferiores em contato
estreito. A inserção dos incisivos é perpendicular em relação aos maxilares. Aus;ncia
dos PM1 (primeiros prémolares)
não deve ser penalizada.
Olhos: nem proeminentes nem de inserção profunda. De cor marrom escura. A
conjuntiva não deve ser aparente. A expressão é vivaz.
Orelhas: fi namente inseridas em linha com os olhos, apenas alcançando a ponta da
trufa, quando puxada para a frente. Terminadas em ponta, viradas para dentro e coberta
com p;los mais curtos e fi nos que no resto do corpo.
PESCOÇO: bastante curto e musculoso.
TRONCO
Dorso: curto para um Basset e largo. Nunca selado.
Lombo: largo e musculoso.
Peito: alto e largo.
Costelas: bastante redondas.
Abdômen: a linha inferior tem ligeira elevação em direção ao posterior.
CAUDA: portada ligeiramente em foice, de comprimento médio, grossa em sua base,
frequentemente coberta com p;los espetados e afi lada em direção à ponta. Em ação,
a cauda é portada acima da linha do dorso e descreve movimentos laterais regulares.
MEMBROS
MEMBROS ANTERIORES
Visto em conjunto: boa ossatura.
Ombros: oblíquos e bem inseridos no tórax.
Cotovelos: inseridos nos eixos do corpo.
Antebr aços: verticais ou ligeiramente curvados para dentro (o que não é buscado
na criação).
Metacarpos: vistos de perfi l, ligeiramente oblíquos. Vistos de frente, inseridos nos
eixos do corpo ou ligeiramente desviados para dentro (o que não é buscado na criação).
MEMBROS POSTERIORES
Visto em conjunto: bem musculosos. Os membros são regulares. Visto por trás, os
posteriores são paralelos, nem abertos nem fechados.
Coxas: longas e musculosas.
J arretes: descidos e moderadamente angulados.
Metatarsos: verticais.
PATAS: compactas, com os dedos juntos, arqueados e com unhas fortes. As almofadas
plantares são duras.
MOVIMENTAÇÃO: fl exível e regular, jamais saltitante.
PELE: bastante grossa e fl exível. Aus;ncia de barbelas.
PELAGEM
P;lo: muito duro, seco, bastante curto, nunca lanoso ou encaracolado. A face não
deve ser muito emaranhada.
COR: fulvo, desde o trigo dourado até o vermelho tijolo. Alguns p;los escuros
dispersos ao nível do dorso e nas orelhas são tolerados. As vezes apresenta uma
pequena estrela branca no peito, mas não é objetivo de busca na criação.
ALTURA
Machos e F;meas: de 32 cm à 38 cm.
Com tolerância de 2 cm para exemplares excepcionais.
FALTAS: Qualquer desvio nos termos deste padrão deve ser considerado como falta
e penalizado na exata proporção de sua gravidade.
6
FALTAS GRAVES
Comportamento
· timidez
Cabeça
· crânio largo, achatado;
· arcadas superciliares proeminentes demais;
· focinho curto ou pontudo. Lábios pendentes ou pesados;
· olhos claros;
· orelhas planas e largas.
Tronco
· corpo de apar;ncia frágil;
· linha superior insufi cientemente estendido;
· ventre esgalgado.
Cauda
· desviada.
Membros
· ossatura insufi ciente;
· patas espalmadas.
Pelagem
· insufi ciente, rasa, fi na, macia.




Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Letras de Música com temas Animais:

bullet  Casa no campo

bullet  Quem vai querer a minha piriquita

bullet  Ponbinha branca

bullet  Pedras Que Cantam

bullet  Receita de Mulher

Ver todas as Músicas

Dicas Veterinárias:

bullet  Eles latem, lambem e fazem fisioterapia

bullet  Hemograma: entenda um pouco mais sobre esse importante exame

bullet  Instalaes para hamsters

bullet  Aflatoxinas

bullet  Cncer de pele (tumor de clulas basais) em ces

Ver todas as Dicas Veterinárias

Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet  ana cludia de souza andrade gatil gatto dimaili rua tarob,95 - jdmaria luiza - cascavel, pr fones: (45)222-8797/9965-9935

bullet  Dr. Luiz Bolfer formou se em Medicina Veterinria no Brasil e mudou se para os Estados Unidos para se especializar em Cardiologia, Emerg?ncia e Cuidados Intensivos em ces e gatos. Completou 12 meses de Internato em Clnica Mdica e Cirrgica Veterin

bullet  Mariana LageMarques Mdica Veterinria graduada pela Universidade Paulista em 2002. Mestre em Cirurgia pela FMVZUSP em 2008. Scia Fundadora ABOV (Associao Brasileira de Odontologia Veterinria), 2002. Fao atendimento odontolgico mvel.

bullet  Karine Kleine www.grupokleine.com.br

bullet  Darvin: darvin@adestradorpessoal.com.br http://www,adestradorpessoal.com.br

Confira todos os Colunistas



Cinema, Filmes e Seriados:

bullet  Famoso pra cachorro (in the doghouse)

bullet  Pssaros livres (plumferos - aventuras voladoras)

bullet  Mulher-gato (catwoman)

bullet  O cavalo de ferro (the iron horse)

bullet  Os pssaros 2 - o ataque final (the birds ii: land s end)

Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bullet  Amazonas aguas, passaros, seres e milagres

bullet  Pssaros amarelos

bullet  Passaros sao eternos, os

bullet  Memorias de um gato

bullet  Gato viriato

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br & - Todos os direitos reservados - Créditos