Digite aqui a palavra-chave.




Home Page > Notícias > Vida urbana: cobras criadas

pinterest



Vida urbana: cobras criadas


CELINA CÔRTES, celina.cortes@jb.com.br


Quando a pediatra Sylvia Esch voltava do fim de semana em Teresópolis, na serra fluminense, deparou-se com uma desagradável surpresa ao entrar no quarto de seu apartamento térreo no Horto Florestal, Zona Sul do Rio: uma cobra passeando sobre o tênis de seu marido. O casal chamou os bombeiros, que não demoraram a chegar, e retiraram o filhote da, já identificada, jiboia — não venenosa. Depois de virar a noite desta segunda-feira no plantão, já a caminho de casa, ela foi avisada pelo marido que tinha aparecido outra jiboia no apartamento. “Passei o fim de semana no mato, não vi nenhuma cobra, e elas foram aparecer logo no meu quarto”, lamentou a médica. 


A presença de cobras em áreas urbanas, segundo o biólogo Cláudio Machado, responsável pelo serpentário do Instituto Vital Brazil, é mais comum do que se imagina. “Também acontece bastante na cidade, há muitas notificações no Rio de Janeiro e em São Paulo, aquela selva de pedra. A população está enganada ao achar que esse tipo de situação só ocorre nas áreas rurais”, disse. O maior problema, segundo ele, é que só há dois hospitais de referência no município do Rio de Janeiro para esse tipo de atendimento: o Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, e o Pedro II, em Santa Cruz, ambos na Zona Oeste. 



Atraída por mamão colocado na janela, jiboia invadiu quarto de uma moradora do Horto Florestal


A boa notícia é a eficiência do Corpo de Bombeiros para resolver rapidamente o problema. Eles apareceram logo em seguida à solicitação de Sylvia e receberam elogios da advogada Beatriz Perez, que já encontrou duas enormes jiboias em seu apartamento no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio. Ela postou um vídeo da cobra no Facebook e teve 758 visualizações para a imagem dos bombeiros dominando a jiboia: “Esse mimo, de mais de dois metros, resolveu se hospedar na minha casa. Bombeiros nota mil! Chegaram super rápido e resolveram com eficiência”, descreveu.


A nota de pesar é que a assessoria dos bombeiros não providencia estatísticas sobre este tipo de incidência: os registros são feitos sobre “captura de animais”, sem maiores especificações. Tampouco há referências sobre os bairros de maior ocorrência, porém, não é difícil supor que os locais mais comuns são os bairros fronteiriços às fl orestas, como o Jardim Botânico, o Alto da Boa Vista (Zona Norte), Cosme Velho (Zona Sul) e Santa Teresa (Centro). As cobras capturadas são devolvidas às matas.


Fruta para passarinho atrai 


Depois de se mudar para o Horto, no ano passado, Sylvia Esch passou a colocar pedaços de fruta na janela para atrair passarinhos, e uma das diversões do casal é apreciar o balé de saíras sete cores, sabiás, tiês sangue e outros que costumam visitar o local: “É uma pena, teremos de parar com isso e passaremos a manter tudo fechado”. 


De acordo com o biólogo Cláudio Machado, cobras, como as corais, cujo veneno é dos mais letais, costumam aparecer mais nos dias mais quentes, principalmente depois das chuvas. “Nos dias mais frios as cobras, de uma maneira geral, procuram abrigos e ficam mais recolhidas.” Machado alerta sobre a necessidade de treinamento para os médicos, de forma que eles aprendam a identificar as picadas de cobra, já que para cada uma delas há um tipo de soro específico. “Muitas vezes os médicos nem sabem fazer esse reconhecimento pelos sintomas apresentados pelas vítimas, mesmo nos hospitais de referência. Também falta um 0800, um centro de informações, como o 193 para chamar os bombeiros, sobre esse tipo de necessidade”, alerta.


 



Fonte da Notícia: http://www.jb.com.br/rio/noticias/2018/05/12/vida-urbana-cobras-criadas/




Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Letras de Música com temas Animais:

bullet  Serpente

bullet  Pavão pavãozinho

bullet  Que tiro foi esse

bullet  Águas de março

bullet  Inútil

Ver todas as Músicas

Dicas Veterinárias:

bullet  Infecção parasitária (neosporose) em cães

bullet  Adestramento de gatos

bullet  Geriatria canina

bullet  Banho e tosa: 4 maneiras de aumentar o faturamento desses serviços

bullet  Hemiplegia lari?ngeana

Ver todas as Dicas Veterinárias

Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet  Dra Renata Avancini Médica veterinária, formada pela Universidade de Santo Amaro em 2007. Mestre e Doutora em Ci?ncias pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Universidade de S?o Paulo (USP), em 2009 e 2012 respectivamente. Graduada em 2014 no Curso de Especialização em Produção e Sanidade de Animais de Biotério pela FMVZ USP. Experi?ncia em clínica geral, medicina regenerativa, biotecnologia com concentração em células tronco e experi?ncia em doc?ncia na disciplina de Anatomia dos Animais Domésticos. Professora de Anatomia Veterinária da Faculdade das Metropolitanas Unidas (FMU) e na Universidade Paulista (UNIP). Médica veterinária na CURAVET. Contato: contato@curavet.com.br

bullet  Prof. Fabiano Gregolin professorfg@uol.com.br

bullet  https://upacfortaleza.wordpress.com/artigos/devo cruzar meu cao ou minha cadela/

bullet  Camila Mello, adestradora franqueada da C?o Cidad?o

bullet  tatiana lermontov - fr? 8331- rj fonoaudióloga, psicomotricista, eerapeuta al 24 de outubro 78 icaraí - niterói - rj (21) 2611-5626 / 9691-6646 centro de eqerapia pratique

Confira todos os Colunistas



Cinema, Filmes e Seriados:

bullet  Air bud: world pup

bullet  O gato preto (the black cat)

bullet  Cama de gato (cama de gato / cat s cradle)

bullet  Amor pra cachorro (year of the dog)

bullet  A fuga dos homens pássaros (the birdmen)

Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bullet  O gato de botas

bullet  Enfermidades dos cavalos

bullet  A perigosa vida dos passarinhos pequenos

bullet  O estranho caso do cachorro morto

bullet  Um gato aprende a morrer

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br & - Todos os direitos reservados - Créditos