Digite aqui a palavra-chave.




Home Page > Letras de Músicas > Operário em Construção

pinterest




Operário em Construção


Musica : E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo e disse-lhe o diabo:
– dar-te-ei todo este poder e a sua glória, porque a mim me foi entregue e dou-o a quem quero; portanto, se tu me adorares, tudo será teu
e jesus, respondendo, disse-lhe:
– vai-te, satanás; porque está escrito: adorarás o senhor teu deus e só a ele servirás
lucas, cap v, vs 5-8

era ele que erguia casas
onde antes só havia chão
como um pássaro sem asas
ele subia com as casas
que lhe brotavam da mão
mas tudo desconhecia
de sua grande missão:
não sabia, por exemplo
que a casa de um homem é um templo
um templo sem religião
como tampouco sabia
que a casa que ele fazia
sendo a sua liberdade
era a sua escravidão

de fato, como podia
um operário em construção
compreender por que um tijolo
valia mais do que um pão?
tijolos ele empilhava
com pá, cimento e esquadria
quanto ao pão, ele o comia
mas fosse comer tijolo!
e assim o operário ia
com suor e com cimento
erguendo uma casa aqui
adiante um apartamento
além uma igreja, à frente
um quartel e uma prisão:
prisão de que sofreria
não fosse, eventualmente
um operário em construção

mas ele desconhecia
esse fato extraordinário:
que o operário faz a coisa
e a coisa faz o operário
de forma que, certo dia
à mesa, ao cortar o pão
o operário foi tomado
de uma súbita emoção
ao constatar assombrado
que tudo naquela mesa
– garrafa, prato, facão –
era ele quem os fazia
ele, um humilde operário,
um operário em construção
olhou em torno: gamela
banco, enxerga, caldeirão
vidro, parede, janela
casa, cidade, nação!
tudo, tudo o que existia
era ele quem o fazia
ele, um humilde operário
um operário que sabia
exercer a profissão

ah, homens de pensamento
não sabereis nunca o quanto
aquele humilde operário
soube naquele momento!
naquela casa vazia
que ele mesmo levantara
um mundo novo nascia
de que sequer suspeitava
o operário emocionado
olhou sua própria mão
sua rude mão de operário
de operário em construção
e olhando bem para ela
teve um segundo a impressão
de que não havia no mundo
coisa que fosse mais bela

foi dentro da compreensão
desse instante solitário
que, tal sua construção
cresceu também o operário
cresceu em alto e profundo
em largo e no coração
e como tudo que cresce
ele não cresceu em vão
pois além do que sabia
– exercer a profissão –
o operário adquiriu
uma nova dimensão:
a dimensão da poesia

e um fato novo se viu
que a todos admirava:
o que o operário dizia
outro operário escutava

e foi assim que o operário
do edifício em construção
que sempre dizia sim
começou a dizer não
e aprendeu a notar coisas
a que não dava atenção:

notou que sua marmita
era o prato do patrão
que sua cerveja preta
era o uísque do patrão
que seu macacão de zuarte
era o terno do patrão
que o casebre onde morava
era a mansão do patrão
que seus dois pés andarilhos
eram as rodas do patrão
que a dureza do seu dia
era a noite do patrão
que sua imensa fadiga
era amiga do patrão

e o operário disse: não!
e o operário fez-se forte
na sua resolução

como era de se esperar
as bocas da delação
começaram a dizer coisas
aos ouvidos do patrão
mas o patrão não queria
nenhuma preocupação
– "convençam-no" do contrário –
disse ele sobre o operário
e ao dizer isso sorria

dia seguinte, o operário
ao sair da construção
viu-se súbito cercado
dos homens da delação
e sofreu, por destinado
sua primeira agressão
teve seu rosto cuspido
teve seu braço quebrado
mas quando foi perguntado
o operário disse: não!

em vão sofrera o operário
sua primeira agressão
muitas outras se seguiram
muitas outras seguirão
porém, por imprescindível
ao edifício em construção
seu trabalho prosseguia
e todo o seu sofrimento
misturava-se ao cimento
da construção que crescia

sentindo que a violência
não dobraria o operário
um dia tentou o patrão
dobrá-lo de modo vário
de sorte que o foi levando
ao alto da construção
e num momento de tempo
mostrou-lhe toda a região
e apontando-a ao operário
fez-lhe esta declaração:
– dar-te-ei todo esse poder
e a sua satisfação
porque a mim me foi entregue
e dou-o a quem bem quiser
dou-te tempo de lazer
dou-te tempo de mulher
portanto, tudo o que vês
será teu se me adorares
e, ainda mais, se abandonares
o que te faz dizer não

disse, e fitou o operário
que olhava e que refletia
mas o que via o operário
o patrão nunca veria
o operário via as casas
e dentro das estruturas
via coisas, objetos
produtos, manufaturas
via tudo o que fazia
o lucro do seu patrão
e em cada coisa que via
misteriosamente havia
a marca de sua mão
e o operário disse: não!

– loucura! – gritou o patrão
não vês o que te dou eu?
– mentira! – disse o operário
não podes dar-me o que é meu

e um grande silêncio fez-se
dentro do seu coração
um silêncio de martírios
um silêncio de prisão
um silêncio povoado
de pedidos de perdão
um silêncio apavorado
com o medo em solidão

um silêncio de torturas
e gritos de maldição
um silêncio de fraturas
a se arrastarem no chão
e o operário ouviu a voz
de todos os seus irmãos
os seus irmãos que morreram
por outros que viverão
uma esperança sincera
cresceu no seu coração
e dentro da tarde mansa
agigantou-se a razão
de um homem pobre e esquecido
razão porém que fizera
em operário construído
o operário em construção

Autores Vinicius de Moraes




Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Letras de Música com temas Animais:

bullet  Tartaruga uguinha celelê e talili

bullet  Filha do mar

bullet  A Cobra e a Rolinha

bullet  Vióla e o carro de boi

bullet  Blues do iniciante

Ver todas as Músicas

Dicas Veterinárias:

bullet  Gata não gosta de carinho

bullet  Gestantes e pets em harmonia

bullet  Mandamentos

bullet  Dor ao urinar e frequente em cães

bullet  Degeneração retiniana

Ver todas as Dicas Veterinárias

Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet  O Clube Pet Memorial está localizado na Avenida Sadae Takagi, 860, em S?o Bernardo do Campo, no Grande ABC, acesso pelo km 20 da Rodovia dos Imigrantes, telefones (11) 4343.0000 e (13) 3222.2949, 0800.772.8885 site www.petmemorial.com.br

bullet  Projeto C?o Moderno Felipe Consentini felipe@caomoderno.com.br

bullet  Dra Renata Avancini Médica veterinária, formada pela Universidade de Santo Amaro em 2007. Mestre e Doutora em Ci?ncias pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Universidade de S?o Paulo (USP), em 2009 e 2012 respectivamente. Graduada em 2014 no Curso de Especialização em Produção e Sanidade de Animais de Biotério pela FMVZ USP. Experi?ncia em clínica geral, medicina regenerativa, biotecnologia com concentração em células tronco e experi?ncia em doc?ncia na disciplina de Anatomia dos Animais Domésticos. Professora de Anatomia Veterinária da Faculdade das Metropolitanas Unidas (FMU) e na Universidade Paulista (UNIP). Médica veterinária na CURAVET. Contato: contato@curavet.com.br

bullet  Dr. Ciro Pinheiro Mathias Franco Medico Veterinário atuante em odontologia eqüina. Cel. (11) 9814 6666 E mail: ciromedvet@ig.com.br

bullet  https://www.petlove.com.br/dicas/cancer em cachorros e gatos o cancer de utero

Confira todos os Colunistas



Cinema, Filmes e Seriados:

bullet  Um peixe chamado wanda (a fish called wanda)

bullet  Tubarao ii

bullet  Benji - o filme

bullet  Batman begins (2005)

bullet  Meu maior amigo

Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bullet  O gato que falava com fantasmas

bullet  A perigosa vida dos passarinhos pequenos

bullet  O estranho caso do cachorro morto

bullet  O cachorro e o lobo

bullet  Um gato aprende a morrer

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br & - Todos os direitos reservados - Créditos