Digite aqui a palavra-chave.





Home Page > Dicas Veterinárias > Dioctofimose renal

pinterest



Dioctofimose renal


O parasita Dioctophyma renale consiste em um nematódeo, popularmente conhecido como verme gigante renal, que tem sido descrita em diferentes espécies de animais e também no homem. Com relação às espécies de animais domésticos, afeta com maior frequência os cães, embora já tenha sido descrito em suínos, felinos, equinos e bovinos, além de diferentes animais silvestres.


São vermes delgados, de coloração avermelhada, que podem alcançar, quando adultos, até 45 cm de comprimento, com 3 a 6 mm de diâmetro, os machos, e até 103 cm de comprimento e 5 a 13 mm de diâmetro os nematódeos do sexo feminino.


Quando no interior dos rins, as fêmeas adultas colocam os seus ovos, que são liberados ao meio externo juntamente com a urina do animal parasitado, com os ovos podendo permanecer viáveis por até 2 anos em ambiente adequado. Dentro de 1 a 7 meses, esses ovos eclodem, liberado larvas que, ao serem ingeridas pelos hospedeiros intermediários, como o anelídeo oligoqueta aquático Lumbriculis variegatus, evoluem para a larva do grau II, passando, por conseguinte, para o estágio de Larva infestantes dos graus III e IV.


Quando outros animais, como os cães, ingerem os hospedeiros intermediários infectados pela larva, esses se tornam hospedeiros definitivos, pois já abrigam o verme adulto.


Este nematódeo se instala no rim de seus hospedeiros definitivos, alimentando-se do parênquima desse órgão, resultando em danos irreparáveis ao órgão, podendo levar à morte de seus hospedeiros. Estes parasitas também podem ser encontrados no interior da cavidade abdominal, uma vez que podem destruir por completo um dos rins de seu hospedeiro, passado, então, a destruir as suas vísceras. Quando o parasitismo é de apenas um dos rins, o hospedeiro pode sobreviver por um longo período de tempo, apresentando somente sintomas de cólicas renais.


O diagnóstico é feito por meio da identificação dos ovos do parasita na urina do animal.


Até o momento, a única forma de tratamento é a remoção dos parasitas por meio de cirurgia, ou até mesmo, ressecção cirúrgica do rim acometido.



Débora Carvalho Meldau

O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados


Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Letras de Música com temas Animais:

bullet  Tristeza do jeca

bullet  Tchutchuca

bullet  Cavalos Calados

bullet  Estilo cachorro

bullet  Cachorro amigo lourenço e lourival

Ver todas as Músicas

Dicas Veterinárias:

bullet  C?es: primeiros socorros

bullet  Erupção cutânea devido ao contato com substâncias irritantes ? cães

bullet  Limpeza e remoção de tártaro em felinos

bullet  Entenda um pouco mais sobre palpação em equinos

bullet  Você sabe dizer se seu gato está doente?

Ver todas as Dicas Veterinárias

Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet  https://animais.umcomo.com.br/artigo/como agir se meu cachorro tiver um ataque epiletico 14835.html

bullet  Macm Kennels Caixa Postal 611 Goiânia Goiás 74001970 Tel: +55 (62) 8111.3600 (62) 4053.8280 (11) 4063.1570

bullet  Fabiano Gregolin. Administrador de Negócios Mestrando em Comunicação (15) 97776812 fabianogregolin@uol.com.br

bullet  Heloísa Helena Amaro

bullet  Keila Regina de Godoy

Confira todos os Colunistas



Cinema, Filmes e Seriados:

bullet  Gatos, fios dentais e amassos (angus, thongs and perfect snogging)

bullet  K9 - um policial bom pra cachorro

bullet  Quanto pesa o cavalo de tróia? (ile wazy kon trojanski?)

bullet  Os pássaros feridos (the thorn birds)

bullet  Aquele gato danado (that darn cat!)

Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bullet  Um gato aprende a morrer

bullet  A volta do gato preto

bullet  4 vidas de um cachorro

bullet  Aves-simbolos dos estados brasileiros, as

bullet  Livro dos passaros magicos, o

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br & - Todos os direitos reservados - Créditos