Digite aqui a palavra-chave.





Home Page > Dicas Veterinárias > Como agir se meu cachorro tiver um ataque epilético

pinterest



Como agir se meu cachorro tiver um ataque epilético


A epilepsia é uma patologia de caráter hereditário que costuma apresentar os primeiros ataques entre os seis meses de idade e os cinco anos. Identificamos que nosso cachorro sofre desta doença, principalmente, pelas convulsões acompanhadas da rigidez das extremidades, movimentos em forma de pedaladas, salivação abundante e perda da consciência, entre outros sintomas. Seu cachorro tem epilepsia e você quer saber como deve agir? 


Instruções:


1


A epilepsia é uma doença que deve ser diagnosticada pelo veterinário, por isso, se você desconfia que seu cão teve um ataque epiléptico deve levá-lo a um especialista para que ele confirme ou não se isto é correto e avalie a necessidade de iniciar um tratamento. A epilepsia é uma patologia que não tem cura, mas sim um tratamento médico que reduz o número de crises e a intensidade das mesmas. No entanto, este tipo de fármacos só é administrado àqueles cães que tendem a sofrer de ataques epilépticos com muita frequência, já que poderia apresentar efeitos secundários.


2


Na maioria das vezes os ataques são repentinos, mas, em algumas ocasiões, podemos perceber sinais que nos indicam que nosso cão está a ponto de sofrer uma crise epiléptica. O aviso principal é o nervosismo. Alguns cães segundos antes de ter o ataque epiléptico mostram-se inquietos e muito nervosos, de modo que você deverá ficar alerta e preparar-se para agir.


3


Tanto se você notar que seu cão está a ponto de sofrer um ataque como se tiver acabado de começar, a primeira coisa que você deve fazer é manter a calma. Os cães têm a capacidade de sentir nossas emoções e assumi-las, de modo que se ele notar que você está nervoso vai ficar mais nervoso ainda do que já está.


4


Depois, é muito importante deitar o cão sobre uma superfície acolchoada para que ele esteja mais cômodo e consiga relaxar. O ideal é colocar a almofada ou colchão que você utilizar no chão para evitar uma possível queda. Se as convulsões forem muito fortes você deverá segurá-lo sem exercer pressão para que ele permaneça deitado.


5


É fundamental não tentar puxar a língua do seu cão se ele tiver um ataque epiléptico. Não se preocupe com ele se afogar porque isto não acontecerá, pelo contrário, se você tentar puxá-la é provável que ele acabe mordendo-a de forma inconsciente.


6


Para os cães epilépticos que sofrem de ataques muito intensos e frequentes, o veterinário pode receitar, além do tratamento preventivo, um relaxante muscular que deverá ser aplicado durante a crise. Este relaxante é administrado por via retal e os próprios donos podem fazê-lo, seguindo as instruções dadas pelo veterinário. O ideal é aplicar a medicação quando você deitar o cão no chão. Lembre-se que você deve parecer calmo a todo o momento. Uma vez administrado o medicamento, o ataque regredirá rapidamente.


7


Depois de finalizado o ataque, o cão costuma ficar desorientado e muito cansado, por isso você deverá deixá-lo recuperar-se. Para isso, deixe-o deitado sobre a superfície acolchoada se ele se sentir cômodo, na cama dele ou onde você achar que ele pode ficar mais tranquilo e relaxado.


8


Ainda que os ataques epilépticos sejam muito impressionantes e costumem assustar os donos, você deve ter em conta que raramente acabam com a vida do cão e não apresentam nenhum tipo de efeito secundário. Uma vez passada a crise, o cão pode ter a mesma qualidade de vida que um cão que não sofra de epilepsia. Só os casos mais graves deverão seguir um tratamento médico pelo resto da vida.



https://animais.umcomo.com.br/artigo/como agir se meu cachorro tiver um ataque epiletico 14835.html

O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados


Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Letras de Música com temas Animais:

bullet  Homem tartaruga neanderthal

bullet  Pedaço de chão

bullet  Negro gato

bullet  Tristeza do jeca

bullet  Gato fujão cantora sol

Ver todas as Músicas

Dicas Veterinárias:

bullet  Choveu? cuidado com o pet durante a enchente

bullet  Problemas na boca dos pets podem afetar outros órg?os

bullet  Como alimentar seu gato

bullet  Cachorro cansado é cachorro feliz

bullet  Como educar um cachorro surdo

Ver todas as Dicas Veterinárias

Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet  Juliane Seixas Juliane Seixas Website.: www.facebook.com/veterinariadrajulianeseixas Graduada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUC/PR. Atua como plantonista na área clínica e cirurgica de animais de companhia CRMV: 11430 / PR Cont

bullet  

bullet  André Barreto www.andrebarreto.com 1150936244 / 25037333

bullet  Susana Reinhardt Cintra Superintendente do Serviço de Registro Genealógico da Raça Bret?o, Zootecnista. ABCCBret?o (19) 38077974/ 97154545 (Susana). Email: cavalobretao@uol.com.br. André Galv?o Cintra Presidente da ABBCBret?o e Criador

bullet  Fernanda Aparecida de Gouv?a Oliveira Paro bióloga e crbio 43684/01 protetora animal independente educadora ambiental nanda_paro@yahoocombr

Confira todos os Colunistas



Cinema, Filmes e Seriados:

bullet  Jurassic park ii

bullet  Gato negro (black cat (gatto nero))

bullet  Água para elefantes

bullet  Mulher-gato (catwoman)

bullet  As crônicas de nárnia - o leão, a feiticeira e o guarda-roupa

Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bullet  Cachorro magro

bullet  Um gato entre os pombos

bullet  Atlas colorido de anatomia veterinária do cão e gato

bullet  Pequenos passaros

bullet  Quem e mais feliz: voce ou o seu cachorro?

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br & - Todos os direitos reservados - Créditos